Zapatillas nike zapatillas reebok nike air max blancas ropa abercrombie gafas ray ban zapatillas under armour gafas de sol ray ban Gafas carrea new balance hombre botas futbol zapatillas asics new balance mujer zapatos casuales Zapatillas air jordan nike sb nike corte zapatillas vans zapatos timberland zapatillas sport zapatos de mujer nike free puma zapatillas zapatos gucci botas de futbol nike presto gorras new era Gafas oakley bolsos louis vuitton
Zapatillas nike zapatillas reebok nike air max blancas ropa abercrombie gafas ray ban zapatillas under armour gafas de sol ray ban Gafas carrea new balance hombre botas futbol zapatillas asics new balance mujer zapatos casuales Zapatillas air jordan nike sb nike corte zapatillas vans zapatos timberland zapatillas sport zapatos de mujer nike free puma zapatillas zapatos gucci botas de futbol nike presto gorras new era Gafas oakley bolsos louis vuitton
new balance uk jordan trainers Adidas Stan Smith uk nike free 5.0 uk oakley sunglasses uk timberland boots uk nike air max sale saucony trainers Longchamp uk adidas football boots uk polo shirts uk louis vuitton uk adidas neo uk nike air force 1 uk cheap ray bans uk hollister uk balenciaga trainers nike trainers uk adidas trainers Adidas Superstar uk nike football boots uk nike air force uk puma uk abercrombie and fitch uk gucci belt uk nike shox uk jimmy choo uk nike blazers uk giuseppe zanotti uk adidas tubular uk
puma chaussure nike corte new balance femme nike flynit polo lacoste vetement chaussure sport adidas nmd Sac michael kors Sac longchamp Chaussure vans chaussure reebok nike air max nike shox adidas superstar Chaussure adidas nike free run femme chaussure de sport lunette ray ban Chaussure puma christian louboutin adidas zx flux chaussures de foot adidas femme Chaussure louboutin chaussure bateau Sac louis vuitton chaussure de foot polo ralph lauren chaussure de marque Chaussure nike Bijoux nike roshe run femme nike blazer lunette de soleil chaussure femme
Menu principal
Página inicial
Notícias
Galeria de fotos
Loja virtual
Fale conosco
Morro de São Paulo
A História
O que fazer de dia
Comércios e Serviços
Meio Ambiente
Eventos
Férias Bahia
Férias Brasil
Está na hora
Promoções
Apresentação
O que fazer a noite
Bairros
Como Chegar
Taxi Aereo
De Avião
De Catamarãs
Via Terrestre
Rotas rodoviárias
Transfer Terrestre
Hotéis e pousadas
Localização
Hospedagem
Escolha onde ficar
Melhores Hospedagens
Em destaque
Pacotes promocionais
Novidade
Promoções da Hora
Festival de primavera
English
Onde Comprar
Dica Info
Video
Informações em Espanhol
Espanhol
Italiano
Praias
Primeira Praia
Segunda Praia
Terceira Praia
Quarta Praia
Quinta Praia
Praia do Encanto
Praia Pequena
Praias próximas a vila
Prainha do Forte
Porto de Cima
Ponta da Pedra
Praias nas redondezas
Gamboa
Garapuá
Praia Argila Medicinal
Pratigi
Boipeba
Ponta do Curral
Ponta do Curral
O Que Fazer
Baleia Jubarte
City Tour
Trilhas de Aventura
Esportes náuticos
Ponta do Curral e Gamboa
Informações
Passeeios
Noite
Esporte & Lazer
Passeio de Barco a Vela
Aluguel de Caiaques
Passeio de Tirolesa
Passeio de Kite Surf
Passeio Pesca Esportiva
Mergulho com cilindro
Surf / Aulas de Surf
Passeio de Banana Boat
Notícia: Show Sucesso de Nando Reis
Passeio a Cavalo
Passeios e excursões
Passeio Volta a Ilha
Passeio Pirata do Morro
Passeio Garapuá em 4x4
Passeio Pancada Crande
Passeio de ultraleve
Caminhada Ecológica
Trilha Ecológica
Arte & Cultura
Atelier do Encanto
Feira de Artesanato
Artistas no Morro Online
Artesãos do Morro
Museus
Escritores
Religiosidade
Gente Daqui
Educação & Livros
Monumentos
Fortaleza
Forte
Farol
Fonte do Imperador
Igreja N.S da Luz
Casarão
Serviços Gerais
Telefones Úteis
Perguntas Frequentes
Tábua de Maré
Tô no Morro online
Companhias Aéreas
Entrevistas
Jornais
Online 24 Horas
Rodovias
Ondas
Empresas & Show Room
Rádio
Web Site
Site de Busca
Utilidade
Blogs
Embaixadas & Consulados
Delegacia de Polícia
Livro de Visita
Empregos
Profissionais
Governo
Modelos de Embarcações
Associações & ONGs no Morro
Achados & Perdidos em Morro
Registro de Domínios
Receitas
Humor
Prefeitura & Secretarias
Projetos Sociais
Mande sua História
Aeroportos Bahia e Brasil
Estéticas
Prestação de Serviços
Tatuagens
Lavanderias
Advocacias em Morro
Pet Shop
Telemensagens
Comidas Típicas
Bancos
Clima
Notícias Anteriores
Carnaval na Pousada
O Portal do Morro
Quem Somos
Anúncios grátis no Morro
Links
Sugestões & Reclamações
Agradecimentos aos Leitores
Classificados Grátis
Imóveis & Terrenos
Venda
Natureza
APA - Proteção Ambiental
Ecologia
Consciência Ambiental
Eco Turismo
Mangues
Saúde & Beleza
Clínicas
Odontologia
Atrações Próximas
As Praias da ilha
Cairú
Ilha de Boipeba
Valença
Nazaré
Ilha de Itaparica
Salvador
Roteiros do Morro
Restaurantes
Lua de Mel
Melhor Idade
Para Crianças
Mochileiros
Salvador da Bahia
História
Destinos
Hotéis
Pousadas
Albergues em Salvador
Igrejas e Capelas
Casas Noturnas
English
Brasil
Descobrimento do Brasil
Sobre o Brasil
Golfe no Brasil
Parques Nacionais
Esporte Radicais
Estradas
Estados com Site
Cidades do Brazil
Praias
Informações Governo
Educação
Arte no Morro Online
Fusos Horários
Hotéis
Fronteiras e Limites
Limites do Brasil
Turismo
Destinos Brasileiros
Glossário Turismo
Utilidades Publica
Cartões Postais
Agências de Notícias do Brasil
Amor & Amizade em Morro
Jogos Online em Morro
Arquitetura & Artes em Morro
Astrologia & Astronomia
Biblioteca
Carnaval
Carros & Motos
Cinema
Concursos
Cultura Diversos
Editoras
Esoterismo
Esportes
Futebol
Games
Imperdíveis
Informatica
Instituições
Internet
Livrarias & Livros
Mulher
Musicas & Letras
Navegando
Países
Personalidades & Pessoais
Politica & Partidos
Portais
Rádios
Revistas
Superinteresante
Parcerias
Comprar Fotos
Faça seu site
Viagem & Turismo
Dicas rápida como chegar
Melhores fotos do Morro
Não Perca Tempo
Reserve online: rápido e fácil.
Escolher sempre é bom
Relato de viagem: Indo para Morro de São Paulo
blog do Morro sp
Morro On Line - 4x4 - Passeios e expedições off-road
Universidades
Dicas e informações úteis
Hotéis e Pousadas em até 2X sem juros - Descontos imperdíveis à vista!
Programação copa 2014.
Reserve já seus passeios, pousadas, hotéis carnaval com antecedência.
Guia do Morro
Agências de Turismo
PORTAIS DE TURISMO
Cidades Turisticas
Hotéis Internacionais
SPAS
Hotéis em site
Empresas Aéreas
Cruzeiros
Locadoras tarifas
TRANSPORTE
PARQUES
MUSEUS
Escolas de Turismo
VARIEDADES
Guia Gigante - Hotéis e Pousadas Morro de
Morro de São Paulo - Bahia - Brasil
Zapatillas nike zapatillas reebok nike air max blancas ropa abercrombie gafas ray ban zapatillas under armour gafas de sol ray ban Gafas carrea new balance hombre botas futbol zapatillas asics new balance mujer zapatos casuales Zapatillas air jordan nike sb nike corte zapatillas vans zapatos timberland zapatillas sport zapatos de mujer nike free puma zapatillas zapatos gucci botas de futbol nike presto gorras new era Gafas oakley bolsos louis vuitton Adidas Neo cinturones gucci zapatillas saucony zapatillas de moda Adidas Originals Adidas Yeezy nike air force
Turismo em Morro de São Paulo, Bahia BrasilConheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples

Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples

Na contramão da sociedade contemporânea, homens e mulheres optam por uma vida 
mais simples. Eles garantem que são mais felizes. Conheça as histórias.

Você pode ter passado a vida inteira, ou parte dela, ouvindo a expressão: tempo é dinheiro.
 
Conhecido de perto um universo em que ter do “bom e do melhor” é sinônimo de uma vida 
 
sossegada. Também deve ter escutado, e acreditado, que comprar roupas, sapatos e 
 
supérfluos alivia o estresse, principalmente, das mulheres durante a tensão pré-menstrual
 
(TPM). Que shopping é e será um dos melhores lazeres desta vida moderna. Agora, suponha 
 
que tudo isso virasse de cabeça para baixo. Em nome da simplicidade do ser, homens e 
 
mulheres, de idades diferentes, chacoalharam esses velhos conceitos cada vez mais 
 
impostos à sociedade e optaram, sem culpa e com leveza, por uma vida simples. Acreditam 
 
que precisam de pouco para se satisfazer e asseguram que o lucro com tudo isso não se 
 
vende nem se troca, e tem nome: felicidade.
 
Não se trata de um movimento, mas um fenômeno sem causa única e nenhuma regra. Essas 
 
pessoas estão, aos poucos, caminhando por conta própria em busca da simplicidade, sem 
 
fazer publicidade disso. Alguns mudaram de cidade, outros conseguiram isso morando em 
 
uma capital como Belo Horizonte. E não estão sós. A tal simplicidade já chama a atenção do 
 
mundo, já que grandes homens, que poderiam esbanjar mordomias, disseram “não” a elas e a 
 
tudo que elas remetem. O ex-guerrilheiro José Mujica, atual presidente do Uruguai, por 
 
exemplo, mora em uma casa deteriorada na periferia de Montevidéu, sem empregado 
 
nenhum. Seu aparato de segurança: dois policiais à paisana estacionados em uma rua de 
 
terra.
 
Outro que recebeu os olhares do planeta é o papa argentino Francisco, que despertou a 
 
simpatia dos católicos e até mesmo de quem não segue a religião, por quebrar protocolos da 
 
Igreja. Sabe-se que antes de chegar ao cargo mais alto da instituição, no dia 13, quando foi 
 
escolhido como papa, ele andava de metrô e ônibus por Buenos Aires e cozinhava a própria 
 
comida. Já como líder do catolicismo, ele dispensou o carro oficial ao celebrar uma missa e 
 
caminhou pelas ruas, aproximando-se mais do povo.
 
BONS EXEMPLOS
 
 
Mas não é preciso ir a Roma ou ao Uruguai para conhecer pessoas que apostam nesse modo 
 
de vida. O Bem Viver conheceu bons exemplos dessa vida simples. São guerreiros que 
 
nadam contra a maré em uma sociedade que, cada vez mais, valoriza o supérfluo como a 
 
garantia para ser feliz. “Hoje, o que predomina é o consumismo mais exacerbado, mas se há 
 
grupos buscando essa simplicidade é um sintoma de que essa exaustão das buscas 
 
frenéticas acaba não levando a lugar nenhum”, comenta o psicólogo, psicanalista e doutor em 
 
filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Carlos Roberto Drawin.
 
 
Advogada Débora Paglioni, de 23 
 
anos, acredita que ser simples é uma 
 
postura que tem a ver com bem-estar 
 
e consciência (Foto: Estado de 
 
Minas)
 
Certos de que há muito mais quando se tem menos, os 
 
entrevistados para esta reportagem servem como 
 
verdadeiras lições de vida. Maria Madalena Aguiar, de 66 
 
anos, diz ser “feliz demais” em levar uma vida baseada na 
 
simplicidade e acredita, por exemplo, que está mais perto 
 
de Deus. Já Guilherme Moreira da Silva, de 56, mora em 
 
um sítio em Macacos, na Grande BH, e garante que “ser 
 
simples” traz a ele conforto, alegria, prazer e felicidade. A 
 
mesma sensação tem Priscila Maria Caliziorne Cruz, de 
 
23, que ao optar por esse estilo de vida diz ter ampliado 
 
sua consciência, ficando mais inteira e presente na vida. “A 
 
simplicidade nos obriga a olhar para nós mesmos”, 
 
comenta o frei Jonas Nogueira da Costa, que desde 
 
menino se encantou pela vida de São Francisco de Assis e 
 
adotou a espiritualidade franciscana. Para a advogada 
 
Débora Paglioni, de 23 anos, ser simples vai muito além de 
 
ter dinheiro. “Tem a ver com bem-estar e consciência”, 
 
afirma.
 
SOMENTE O NECESSÁRIO
 
Carro, só ser for para locomoção. Telefone é para se 
 
comunicar, não precisa de touch screen nem aplicativos 
 
mirabolantes. Roupas ou sapatos novos somente quando 
 
forem de extrema necessidade, afinal, para quê mais? Comer bem não é ir a restaurante 
 
refinado, mas aquilo que é feito em casa. Ter uma vida simples passa por muitas dessas 
 
posturas, que não são regras.
 
Mas quem decide viver com o que é necessário nega o que hoje é tão valorizado, como a 
 
corrida disparada pelos melhores celulares, casa, carros e as mais belas joias. E acaba 
 
consciente de que o tempo e a energia investidos para a aquisição de coisas podem minguar 
 
as oportunidades de conviver com o outro, de buscar a espiritualidade, autoconhecimento e 
 
senso de comunidade. É como se essas pessoas se abrissem mais para o mundo ao seu 
 
redor e dissessem: “Desapeguei”. Talvez por isso, elas são serenas, sorridentes e leves, 
 
vivendo somente com o necessário, aquilo que para elas é essencial.
 
Leia também 
Família alemã vive praticamente sem usar dinheiro há 3 anos
 
 
Os bilionários e a fome mundial: rios de dinheiro e oceano de tristeza
 
 
Presidente mais pobre do mundo ainda anda de fusca e doa 90% do salário
 
 
Esse desapego e vontade de viver somente com o que precisa não é algo que a humanidade 
 
conheceu hoje. O psicólogo, psicanalista e doutor em filosofia pela Universidade Federal de 
 
Minas Gerais (UFMG) Carlos Roberto Drawin destaca que esse comportamento é antigo e 
 
vem desde antes do cristianismo. “Vem de uma sabedoria grega. Não é só no sentido de não 
 
ter bens materiais, mas não transformá-los em uma tirania.” Ele conta que existia uma 
 
corrente da filosofia grega, o chamado estoicismo, que mostrava que o homem só atinge a 
 
felicidade se ele for livre, ao se livrar das dependências dos bens materiais. “Isso foi seguido 
 
tanto por um escravo quanto pelo imperador.”
 
 
De tanto desapegar desses bens, Guilherme Moreira da Silva, de 56 anos, é chamado de 
 
Mazzaropi pelos amigos, em alusão ao cineasta, ator de rádio, TV, de circo, cantor e diretor 
 
Amácio Mazzaropi, que, mesmo rico, foi conhecido como o gênio da simplicidade. Ele marcou 
 
a história do cinema nacional ao mostrar personagens simples e uma linguagem bem próxima 
 
do povo. Guilherme não optou pela arte. Desde menino, sofria de bronquite e a medicina não 
 
lhe dava esperança de cura. Por meio de uma vida que ele mesmo chama de alternativa, 
 
conseguiu se livrar da doença, desafiando até o diagnóstico médico.
 
Nascido e criado em Belo Horizonte, há 30 anos Guilherme se mudou para São Sebastião 
 
das Águas Claras, mais conhecido como Macacos, na Grande BH. Formado em arquitetura e 
 
especializado em paisagismo, ele morou na Espanha por um ano. Mas foi em Macacos, em 
 
um sítio em meio à natureza, que se encontrou. Por 15 anos, morou ali sem energia elétrica. 
 
Ele diz até hoje não comprar roupas e só usar aquelas que seus irmãos lhe dão. “Não atribuo 
 
grandes valores ao materialismo. Tenho uma caminhonete porque preciso dela para 
 
trabalhar.”
 
Guilherme hoje mexe com produtos naturais, vende pães integrais e come tudo o que planta. 
 
Onde mora não há internet. “A minha bronquite que me incomodava muito. Queria uma vida 
 
saudável. Esse modelo que adotei tem raízes profundas em querer sobreviver e gostar da 
 
vida. Chegou o momento em que o mais importante era a qualidade do ar que respirava , o 
 
contato com a terra e a comida que comia.”
 
Em uma casa de alvenaria sem luxos nem precariedade, Guilherme tem uma televisão, que 
 
de vez em quando é ligada. “A vida pode ser muito mais simples. A busca por ter tudo, trocar 
 
o velho pelo novo, traz desconforto. A sociedade nunca está satisfeita.” Para ele, a vida no 
 
campo traz essa simplicidade, alegria, conforto e prazer.
 
ESFORÇO
 
 
Professor do curso de ciências sociais da Pontifícia Universidade Católica (PUC Minas), 
 
Ricardo Ferreira Ribeiro diz que hoje as pessoas fazem um esforço danado para ter renda 
 
e, por outro lado, geram um estresse, acúmulo de trabalho e problemas de saúde. “A 
 
opção pela vida simples tem sido mais singela, há menos requinte, mas exige menos 
 
esforços.” Ele lembra que os hippies chegaram a optar por esse modo de vida, como crítica 
 
ao consumismo. “Esse modo de viver aproxima mais as pessoas, cria-se uma empatia.”
 
Para o frei Jonas Nogueira da Costa, de 37, viver com pouco se aprende ao estar perto 
 
daqueles que têm poucas condições financeiras. De família simples e católica, ele sempre 
 
participou das atividades da igreja de Três Rios, sua cidade natal, no interior do Rio de
 
Janeiro, o que despertou sua vontade de ser padre. Em 1995, entrou para a Ordem dos 
 
Frades Menores, motivado pelo exemplo de São Francisco de Assis, que dedicou a vida à 
 
simplicidade e aos pobres. “A proposta de simplicidade, de viver como irmão e ter uma vida 
 
de oração são pilares que me encantaram”, diz. A simplicidade para Jonas é entendida como 
 
partilha. “Você não pode chegar a Deus com títulos acadêmicos, roupas e outros. Deus é 
 
simples.”
 

 
O frei conta que a principal mudança que sentiu na sua opção devida foi no conceito de 
 
posse. “As coisas que eram da minha família pertenciam a eles e a mim. Hoje, tenho o 
 
conceito do nosso.” Suas posses, segundo ele, são os livros. Não se importa com roupas e 
 
compra só o necessário. “A simplicidade tem o campo prático e político. No primeiro, é o 
 
contato com as pessoas mais simples e afetos com as plantas e animais. No segundo, é a 
 
denúncia do consumismo que gera frustrações.”
 
Ele ensina que a vida simples permite o contato consigo mesmo. “Nos obriga a olhar para nós 
 
 
mesmos e ao nos depararmos com o ser humano que somos nos libertamos das grandes 
 
tentações do consumismo.” O grande ganho para o frei é a felicidade como comunhão, prazer 
 
nas pequenas coisas , estar bem consigo mesmo. “Temos que fazer o que gostamos. A 
 
minha opção me faz bem, humano e feliz.”
 
Para o frei, quem segue a vida baseada na simplicidade, independentemente da religião, tem 
 
que aprender a escutar os pobres materialmente e socialmente. “Eles são os nossos mestres. 
 
Há muita coisa que dissemos que são fundamentais para nós, e vemos que outras pessoas 
 
conseguem viver sem aquilo. Às vezes temos tudo e não abrimos mão de nada, e esse pobre 
 
consegue sorrir e falar de Deus. Por trás disso, há uma sabedoria. Não há uma receita pronta 
 
para essa vida simples. Cada um tem que fazer a própria síntese”, aconselha.
 
 
Estilo de vidas
 
 
Existe um movimento chamado simplicidade voluntária, que é um estilo de vida no qual os 
 
indivíduos conscientemente escolhem minimizar a preocupação com o “quanto mais melhor”, 
 
em termos de riqueza e consumo. Seus adeptos escolhem uma vida simples por diferentes 
 
razões, que podem estar ligadas a espiritualidade, saúde, qualidade de vida e do tempo 
 
passado com família e amigos, redução do estresse, preservação do meio ambiente, justiça 
 
social ou anticonsumismo. Algumas pessoas agem conscientemente para reduzir as suas 
 
necessidades de comprar serviços e bens, e, por extensão, reduzir também a necessidade de 
 
vender o seu tempo. Alguns usarão as horas a mais para ajudar os seus familiares ou a 
 
sociedade, ou sendo voluntário em alguma atividade.
 
 
Compra consciente
 
 
Mudar os hábitos de consumo e só adquirir produtos de que realmente precisa é uma opção 
 
de vida de quem busca ser mais saudável
 
Não é preciso sair da capital ou se dedicar integralmente ao sacerdócio para ter uma vida 
 
simples. Essa opção de vida, apesar de a luta ser ainda maior, é bem possível na cidade 
 
grande, mesmo com as tentações do consumo e seus exageros bem próximos. A 
 
simplicidade, muitas vezes, está na essência da alma e em atitudes conscientes, e não é 
 
preciso radicalismo para chegar até ela. O professor do curso de ciências sociais da Pontifícia 
 
Universidade Católica (PUC Minas) Ricardo Ferreira Ribeiro diz que essa opção de vida pode 
 
ser uma certa crítica aos valores ligados à ostentação e ao padrão de vida de pessoas que 
 
não conseguem abrir mão dos bens materiais. “A gente acaba consumindo muitas coisas, 
 
para quê? Qual a finalidade desse bem que se adquire?”, provoca.
 
 
Foram essas as perguntas que motivaram a psicóloga Marina Paula Silva Viana, de 28 anos, 
 
a enfrentar um desafio: um ano sem compras. De junho de 2011 até junho de 2012, ela não 
 
comprou nada de supérfluo e criou um blog na internet relatando sua experiência durante 
 
esse período. A página levou o nome do desafio, Um Ano sem Compras. Mineira de Belo 
 
Horizonte, a jovem mora desde 2008 em Curitiba e achava que a proposta seria difícil. “O 
 
mais complicado é conter o primeiro impulso. Mas vi que isso é bem possível.” O dinheiro que 
 
usava para comprar roupas, bolsas, calçados e cosméticos foi gasto em lazer. “Sempre gostei 
 
dessa opção de vida, e queria fazer essa experiência. Você percebe que tem outras 
 
prioridades na vida. Passei a fazer mais programas ao ar livre, a aproveitar atividades 
 
intelectualizadas. Quando estamos imersos no consumo, deixamos o que nos dá prazer em 
 
segundo plano. Passada essa experiência, hoje compro bem menos e me foquei no que é 
 
essencial para mim.”
 

Como psicóloga, Marina conta que muitos pacientes trazem para o consultório frustrações
 
vindas do consumo. “As pessoas estão consumindo mais. E isso acaba tendo uma função 
 
psicológica. Ela acabam acreditando que a personalidade está ligada ao que consomem.” 
 
Formada em teatro, produtora do curso de educação gaia em BH e estudante de letras na 
 
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Priscila Maria Caliziorne Cruz, de 23, diz que 
 
a vida simples vem dos pilares que recebeu em casa e das suas buscas e anseios. “São 
 
escolhas diárias. Encontrei em BH, no meio urbano, uma alternativa mais simples para viver.”
 
Ela conta que o segredo dessa opção está na consciência do que se busca. “Sabemos que 
 
ter um telefone é importante para atender a necessidade. Mas nem sempre essa necessidade 
 
por um produto acompanha moda e o que está no mercado.” Há 10 anos, a jovem não entra 
 
 
em shopping, pois, segundo ela, é um ambiente que a incomoda, principalmente pelo objetivo 
 
daqueles que estão ali e os tipos de relações estabelecidas. “Participo de um encontro anual 
 
de trocas de roupas. Para a minha alimentação, participo de redes de agricultura urbana, que 
 
são alimentos produzidos na cidade. Compramos diretamente dos produtores, sai mais barato 
 
e não acumula tanto valores.”
 
A maior preocupação de Priscila é com o meio ambiente. Ela procura ter atitudes 
 
sustentáveis, como reciclagem de lixo, usar carona ou transporte público. “Essa opção de vida 
 
me faz sentir em harmonia comigo mesma. Quando fiz essa escolha, é como se tivesse 
 
responsabilidade com as pessoas ao meu redor.” Ela diz que o encontro com esse modo de 
 
vida foi motivado por uma busca de vida saudável, da saúde do corpo e da mente . “Nunca fiz 
 
escolhas motivada pelo financeiro.”
 
BENS MATERIAIS
 
Por mais que as quatro filhas insistam, Maria Madalena Aguiar, de 66 anos, fica bons anos 
sem comprar roupas. Prefere consertar as que tem e não se importa com a idade delas. Um 
vestido e um tamanco já estão de bom tamanho. Mesmo morando na capital, a essência, 
adquirida na infância, na roça e durante os três anos que morou em um convento em São 
Paulo, ela mantém intacta e com orgulho. Diz já ter conhecido muitas pessoas que ostentam 
bens materiais. “É de dar dó”, comenta.
 
Certo dia, uma de suas filhas a chamou para sair. Ela logo pegou a bolsa de pano e disse
estar pronta para acompanhá-la. A filha sugeriu que mudasse de roupa. “Você quer o que 
visto ou a minha companhia?”, respondeu Madalena. Apaixonada pelas poesias que cria, ela 
conta que prefere andar de ônibus ou a pé a ir de carro. “Temos pernas é para andar.” 
Compras com ela, só o essencial. O seu lazer é mexer na terra, com as plantas e aprender 
com elas. “A vida simples é uma sabedoria”, avisa. Para ela, ajudar o outro a ter um coração 
bom são as grandes riquezas do ser humano.
 
Madalena conta a lenda que lhe serve de inspiração. “Uma vez, um turista viajou para
conhecer um grande sábio. Quando chegou, disse a ele que queria conhecer seus móveis. O 
sábio, muito tranquilo, mostrou que só tinha uma cama e uma cadeira e o convidou a entrar. 
O homem não aceitou, disse estar só de passagem. O sábio respondeu: ‘Eu também’.” Para 
essa senhora, a história aponta o que devemos pensar antes dos bens materiais serem 
nossos donos. “Caixão não tem gaveta. Estamos aqui só de passagem.” (LE)
 
Viver com o essencial
 
Este mês, o New York Times publicou um artigo sobre a vida de Graham Hill, que vive em um 
estúdio de 420 pés. Ele tem seis camisas, 10 tigelas rasas que usa para saladas e pratos 
principais. Não tem um único CD ou DVD. Era rico, tinha uma casa gigantesca e cheia de 
coisas – eletrônicos , carros e eletrodomésticos. “De uma certa forma, essas coisas acabaram 
me consumindo”, disse na entrevista. Em 1998, em Seattle, vendeu sua empresa de consultoria de
internet, Sitewerks, por muito dinheiro e passou a comprar muito. Entre as 
compras, um Volvo preto turbinado. Mas tudo isso passou a incomodá-lo e a ficar sem graça. 
E ele decidiu viver somente com o essencial.
 
Luciane Evans, Estado de Minas
www.pragmatismopolitico.com.br/2013/04/homens-e-mulheres-que-optaram-
por-uma-vida-simples.html
 
Posts relacionados
 
Por que Lobão e Roger 
se transformaram em 
dois derrotistas 
explícitos?
 
A melhor educação do 
mundo é 100% estatal, 
gratuita e universal
 
Faça o 'teste do 
pescoço' e saiba se 
existe racismo no 
Brasil
 
"Sou fruto de estupro 
e a favor do aborto"
 
Comentários
Jão 
Muito interessante e concordo, mas é fácil qdo se tem dinheiro p poder viver assim.
 
Hugo Renato
Vi um filme dia desses em que um dos executivos pediu pra sair e depois voltou
procurando emprego na mesma instituição financeira... Daí a recepcionista disse "Sr.
Fulano, podemos recolocá-lo em seu cargo anterior", daí ele respondeu "Não, eu quero o 
cargo que tiver menos responsabilidade."
 
Ge Munoz 
Qdo vc consegue viver do que tem e nao sofrer, ter a liberdade de ir e vir, nao se
preocupar como que o outro tem....ai vc tem a PLENITUDE de vida....ja tive este grande 
prazer da plenitude. Existem lugares lindos no Brasil onde vc pode ter uma vida 
gostosa....simples...e nao precisar de muito, apenas o basico. E estou acreditando que 
muitas pessoas estao indo nesta busca. Eu sou uma.. voltar a minha PLENITUDE DE 
VIDA.
 
Alisson Mattos 
Viver assim não é facil, gera muitos questionamentos (de outros). Também opto pela
simplicidade tenho carro velho, moto velha e utilizo a bicicleta como meio de transporte. 
Meus amigos sempre me criticam por não buscar cargos melhores. Não conseguem 
conformar com meu modo de vida. Dizem caralho tu forma pra não fazer nada... Também 
sigo a regra que minha vida é mais importante que meu emprego. O trabalho precisa ser 
prazeroso. Hoje estou assim em harmonia. Só que vive assim entende..

Cristiani Raymundo
Isso sim é qualidade de vida.
 
Milton Neto Postado 
Quero um dia chegar a viver nessa simplicidade, UM KITNET, um sofá,
uma cama, plantar... trabalhar de metrô e ônibus...um dia irei chegar 
nesse nivel.
 
Maria Postado em 
se ninguém quiser responsabilidade ninguém vive de nada, isso hoje é um luxo. Mesmo 
que você plante sua comida, alguém cultivará as sementes. Na imensa maioria das vezes, 
grandes corporações. Eu sou a favor de se disseminar essa ideia menos comunista, 
mas não criar ilusões românticas e bucólicas sobre o sistema que nos engoliu. hoje é um 
luxo, pois vá até em cidades menores ou mais pobres,as pessoas que sempre viveram 
assim cansam e sofrem de falta de muita coisa. Já os que podem, vão e voltam na 
simplicidade quando lhes apetece.
 
Carlos Postado 
Me parece que esta matéria é bem pouco política e tão somente pragmática... pessoas que
já estão num patamar financeiro, profisional e social muito confortável, que podem ou não 
optar pela simplicidade não é nada revolucionário, não se configura como algo relevante, 
mas apenas um fenômeno da burguesia entediada. A grande massa dos explorados pelo 
sistema simplesmente não pode se dar ao luxo de ser simples, pois serão presos. Dizer 
que quer ser simples sem abdicar do status que já possui (principalmente financeiro) me 
cheira a hipocrisia.
Responder
 

Beatriz
serão presos? como assim? não entendi! acho que vc não entendeu o texto!
conheço gente que trabalha muito, para poder comprar um celular última geração, 
pq "precisa". Precisa mesmo? é isso que o texto está dizendo. Reveja o que você 
consome. Eu não vou deixar de andar de carro, por exemplo, pois o meu trabalho 
é longe, e acho perigoso andar de ônibus sozinha a hora que eu saio de lá. Mas
 não preciso de um carro super sofisticado. Não vou gastar o meu dinheiro suado 
do trabalho para financiar por 3 anos um carro sofisticado. Um carro popular, para 
exercer a função de ir e vir, já está bom. Conheço pessoas que ganham menos do 
que eu e tem carros muito mais sofisticados e caros. Elas precisam mesmo disso? 
Você não vai ser preso por deixar de lado o consumismo sem propósito. Entendeu 
a lógica do texto?
Responder
 
André
Só não entendi a relevância da palavra ateu na frase "O ateu José Mujica, o ex-guerrilheiro
e presidente do Uruguai..." ! Ateu agora é uma profissão, classe social ou algum outro tipo 
de classificação? Ou foi pra se subentender que pra ter uma vida simples vc precisa ser 
ateu tabmém?
Responder
Anon  Postado em 
Tento seguir essa filosofia de ter um estilo de vida mais simples e menos
consumista/ambicioso, na medida do possível... ela varia de pessoa pra pessoa, não tem 
uma regra, cada um tem que se auto-avaliar e avaliar também a sociedade e o sistema em 
que vivemos. Nascí na classe média mas não tenho aquela ambição materialista e fome 
por trabalho, pois percebí desde pequeno que nossa sociedade é muito corrompida pelo 
dinheiro e pela aquisição de bens materiais, e eles não trazem a verdadeira felicidade, de 
fato. Não acho necessário abandonar as tecnologias, como a internet e os smartphones, 
por exemplo, que são muito úteis se a pessoa souber utilizá-los. Basta ter a consciência de 
que não há necessidade de trocar esses aparelhos sempre que sái um novo; eu espero 
quebrar mesmo.
Responder
 
Paulo Postado 
Gosto de viajar, conhecer o mundo todo, para isso é preciso dinheiro. Ganho mais do que
preciso para viver e nem por isso tenho carro ou artigos de luxo, nem jóias, não frequento 
restaurantes, baladas, etc. Prazer é ficar em casa, fazer a comida, receber amigos sem 
frescuras de vinhos caros e mordomias, só o básico.
Responder
 
Ricardo Machado Jorge, Postado em 
Eu ganho bem, mas gasto pouco, ou seja, só compro o necessário quando o assunto é
roupas e aparelhos eletrônicos, carro eu tenho um com quase dez anos e no ano que vem 
devo trocá-lo, pois os problemas de mecânica já começaram a aparecer e ficam caros 
demais para mante-lo e o uso apenas quando é realmente necessário. Optar por um estilo 
mais simples de vida não tem nada de errado. Do meu ponto de vista é até melhor e 
aquelas tradicionais angústias promovidas pela vida consumista nem existem. Tenho meus 
luxos sim, mas eles se resumem a aquisição de livros, filmes e música. Meu apartamento é 
três quartos e uma suíte, enfim é bem espaçoso e atende as minhas necessidades, pois 
fora o meu quarto os demais um é da minha filha quando vem passar as férias do recesso 
escolar e o outro o menor é o meu escritório, biblioteca, discoteca e videoteca. Alimentação 
no meu caso é um pouco complicado porque não tenho tempo para voltar para casa e 
prepara-la, eu almoço fora mesmo, mas como é vale refeição e não é descontado em folha 
meu gasto em alimentação é muito baixo, pois não como porcarias como: chocolates, 
bolachas entre outros. A vida mais simples é mais legal não apenas por ser econômica e 
ter outros valores, mas por proporcionar um bem estar que no atual sistema é impossível 
ter. Os valores da nossa sociedade se inverteram, pois não foi sempre que os bens de 
consumo assumiram tal importância e inclusive valores morais por consumir isso ou aquilo.
Responder
 
Miagui, Postado em 

ué... Mão não é assim mesmo que se vive...?? ..
Responder
 
Paulomnibus, Postado em 
Bela matéria!
Responder
 
Marcos Abraxas, Postado em 16/Apr/2013 às 14:37

Fantástico! Quando surgir alguma doença séria, estas pessoas podem apelar ara S
Francisco de Assiss, o Preto Velho ou os altamente eficientes métodos indígenas de cura! 
Vamos todos voltar para o Éden, pois afinal se sabe que lá começou a apologia da 
"simpricidadi"(sc)! Ah, e não esqueçamos do alto nível de educação que daremos aos 
nossos filhos com esta filosofia de vida...
Responder
 
JúliaPostado em 16/Apr/2013 às 15:01
Pelo que ganho, já levo uma vida bem simples. Como disseram, parece ser ''apenas um 
fenômeno da burguesia entediada.''
Responder
 
By Luk, Postado em 16/Apr/2013 às 15:16

eu vivo assim, desde pequeno, pois crescir em uma vila paradisiaca no sul da bahia. Minha
familia é bem de vida, mas a simplicidade nao os deixa, e isso é otimo. Eu Cansei, e hoje 
eu quero ter sim, uma vida mais luxuosa, para isso, me mudei para capital. Para que lugar 
melhor que Brasilia para sentir um pouco disso, e sim, depois disso ter a vontade de volta p 
minha vida simples e bela!
Responder
Larissa, Postado em 16/Apr/2013 às 15:39
Excelente texto! Lembrando que desmereço totalmente essa ideologia de superpopulação. 
Não somos muitos no mundo. A ganância, soberba e tecnologias que estão em excesso. 
Veja bem: se os aparelhos eletroeletrônicos não mudassem constantemente, não 
lançassem a cada dia uma novidade e não fizessem uma pressão psicológica para os 
consumidores comprarem, não teríamos tanto lixo tóxico no ambiente. Se essa tal moda de 
indumentária não existisse, não teríamos que utilizar tanto a indústria de vestuário, têxtil e 
assim por diante. Mesmo se reciclássemos todo o lixo doméstico, o lixo industrial é muito 
maior. O mundo suporta 7 bilhões e até muito mais! O problema é que poucos usam 
demais nossos recursos e as migalhas ficam para muitos. E claro, se o ser humano 
parasse de ser individualista e largasse esse pensamento de que ter mais é ser mais. Por 
isso que não existe superpopulação, pois não passa de uma desculpa da elite egoísta-
gananciosa.
Responder
 
Guilherme, Postado em 16/Apr/2013 às 15:43
420 pés quadrados, não metros.
Responder
Roberto Murad, Postado em 16/Apr/2013 às 16:18
O título deveria ser "Estilo de vida Hippie"
Responder
Maria, Postado em 16/Apr/2013 às 16:40
Gostei do seu questionamento, André. Desde quando foi necessário mencionar a religião
ou a falta dela para nominar as pessoas?Se assim fosse, deveríamos sempre dizer: o 
católico Fulano de Tal ou o evangélico Beltrano, e não apenas quando se tratasse de um 
ateu.
Responder
 
felipe, Postado em 16/Apr/2013 às 17:20
Vida simples ...?! todos querem, porém poucos a têm. É bem mais fácil ter "vida simples"
quando a vida financeira esta organizada e estável, ou então abrir mão de coisas que a 
nossa própria sociedade exige que você as tenha ( caso contrario estará fora do grupo). 
Como ter vida simples se para realizar uma visita ou uma confraternização social básica 
com os amigos no mínimo deverá desembolsar R$50,00 na contribuição coletiva para as 
"comidinhas". Não é bem assim "optar por ter vida simples".
Responder
 
duva tavares, Postado em 16/Apr/2013 às 17:24

Débora Paglioni, quer ser simples comigo? Eu sou bastante simples- comer, beber, amar,
etc. PS:- desculpe usar teu blog para "correio sentimental" e por fim concordo com a 
matéria
Responder
 
Raimundo Pires, Postado em 16/Apr/2013 às 17:44
Custumo dizer para meu irmão padre, que nossa filosofia de vida é viver muito com pouco. 
Eu sou budista e ele é padre anglicano. Raimundo Pires - Agrônomo
Responder
 
stela, Postado em 16/Apr/2013 às 17:54
Penso que nem tanto, nem tão pouco...creio que tudo nessa vida pede equilíbrio.
Responder
FrancinePostado em 16/Apr/2013 às 18:03
Né por nada não, mas é tão difícil assim NÃO comprar??
Responder
Leninha PeixotoPostado em 16/Apr/2013 às 18:23
Eu não sou burguesa, nunca fui, trabalho até hoje em ritmo de cidade grande, as
diferenças são eu consigo viver sem carro do ano, sem me preocupar com que os outros 
pensam se minha roupa é da ultima grife ou não, também não moro em nenhum lugar 
paradísiaco é apenas 3h de SP, minha casa é bem normal, meu emprego exige de mim 
bem mais que 8h por dia e por isso meus clientes souberam entender que eu poderia 
render mais em um lugar calmo do que pirar na megalope, também pago contas como 
qualquer ser humano, tenho que trabalhar até mais que muito gente que só faz 8h 
semanais. Mas o que mudou em minha vida: ALMA, FÉ E MENTE... Hoje até trabalho aos 
domingos mas pelo menos aqui posso ver meus animais passando, se eu quiser pegar 
meu note e trabalhar lá fora pra sentir o sol na pele ou a brisa... eu posso, sei que posso ir 
ao shopping e não me preocupar se minha bolsa é da moda ou não, posso ir há um 
mercado de bike, posso andar a pé...Nem por isso deixo de pelo menos 1x ao mês ir à SP 
pra curtir uma noite que só SP oferece. Então deixando bem claro aqui isso tem haver mais 
com seu interior do que exterior... só pessoas com $$ tem direito a qualidade de vida, 
QUALIDADE DE VIDA tem a haver com seu interior.
Responder
 
Jace Reynaud, Postado em 16/Apr/2013 às 19:00
Comprei em 19/09/2005 o livro "Simplicidade Voluntária" de Duane Elgin e agora olhando
para ele vi que fiz uma anotação..."meu presente de aniversário", pois faço aniversário em 
21/09. E agora neste momento é que observo o quanto mudei o estilo de vida que me era 
imposto e eu consentia, depois desta leitura. Não tenho cartões de crédito e nem talão de 
cheques, concluindo resolvi minha vida financeira. Comprar? Somente o que é de uso e 
depois de verificar se realmente necessito do produto. Moro numa capital, onde a 
aparência e o ter são extremamente valorizados. Mas, por trabalhar no mundo acadêmico 
meu grande investimento são em livros, eles me são necessários como ferramenta de 
trabalho e para me deixarem feliz. Não vou à shoppings ( só esporadicamente, a não ser 
quando é para fazer companhia para minhas filhas ). Se tenho dinheiro prefiro gastá-lo em 
viagens de preferência pelo interior do Brasil. E agora que me aposentei da universidade 
federal onde trabalhei e estudei durante estes anos todos estou realizando meu 
sonho...vou morar no interior do nordeste (onde já morei anteriormente), num município 
pequeno, ministrar aulas socializando o conhecimento que obtive até agora. E estou e sou 
muito feliz assim, porque esta é a vida que sonhei para mim! Namastê!
Responder
 
Fernando, Postado em 16/Apr/2013 às 19:01
galera não tem nada a ver de estilo de vidad da burguesia entediada, ou algo que os
pobres não escolhem, a critica aqui vem desse moda de vida hiper consumista que agente 
vive, não é nem um pouco dificil de viver assim, e o certo é voce lutar para que os mais 
necesitados os rejeitados da sociedade, tenham os mesmos direitos das pessoas, mas 
esses direitos são, educação, segurança, lazer, saúde de qualidade, segurança social e 
não o direito de comprar coisas, a galera tem uma idéia distorcida de uma vida igualitária, e 
voce não precisa abandonar as tecnologias e avanços da nossa sociedade, só não precisa 
mudar de celular a cada 2 meses, ficar se importando com marcas, querer sempre o 
melhor carro, ter as melhores roupas, se voce acha que isso é dificil, o problematico é 
voce, algumas dessas pessoas do texto nem foram morar em lugares afastados voce pode 
fazer no seu dia a dia, e por favor ensine seus filhos, pois sou professor, e essa geração do 
descartavel do consumismo esta gerando uma geração de seres estupidos com dificuldade 
extrema de aprendizagem e respeito
Responder
 
douglas luccena, Postado em 16/Apr/2013 às 19:06
o importante é ser e estar feliz com o que se tem na mão agora, não sonhar com algo
inconquistavel como uma filosofia sobre algo que esta ao alcance de todos, o contrario é q 
é dificil. Mas fico feliz por se falar nisto, vejo que nossa geração é diferente, vejo muitos 
jovens que não estão preocupados em conquistar cada vez mais, e sim ser cada vez mais 
livre de paradigmas e rotulos a muito impostos pela sociedade e aceito por nós mesmos. 
Muito boa a matéria, parabens
Responder
 
Daniel: Postado em 16/Apr/2013 às 19:06
Belo exemplo a moça botar os pés sujos sobre o banco do cobrador. Qualidade de vida pra
você e os outros que se danem!
Responder

Luis SoaresPostado em 17/Apr/2013 às 00:20
Daniel, a imagem é meramente ilustrativa.
Responder
 
Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples |
jornalvitrinelageana, 
Postado em 16/Apr/2013 às 19:35
[...] Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples [...]
Responder
 
geovanibetin, 
Postado em 16/Apr/2013 às 19:45
levar uma vida simples, é diferente de ser humilde ( baixa renda), o cara pode ter muita
grana e ser simples, viver sem luxo ou ostentação, viver leve.
Responder
 
Si
Postado em 16/Apr/2013 às 20:21
Eu mudei de vida, vivo com essencial, tenho um sítio e comecei a plantar, quero poder
colher o que vou comer e consumir o mínimo. Vivo em contato com a natureza e aprendi a 
economizar no cardápio fazendo pratos bem nutritivos, não consigo comer fora e pagar 3x 
mais pelo que eu pagaria se eu mesma fizesse.
Responder
 
Marina
Postado em 16/Apr/2013 às 21:14
Muito bom! Existe um estilo de vida chamado "minimalismo" que tem tudo a ver com esse
texto!
Responder
Diego Stamato
Postado em 16/Apr/2013 às 22:41
Minha opinião é que não deve haver radicalismos tanto na postura de
riqueza quanto na de
simplicidade. A vida é equilíbrio, é bom e mau, tristeza e felicidade e assim por diante. 
Vista uma roupa linda, mas saiba andar simples, coma a comida da mamãe, mas
 experimente a de um chef, tenho um carro legal e que você curta, mas saiba o quanto é 
bom andar na beirinha do mar, do rio ou nas ruas históricas de algum local. Por que se 
privar dessas sensações? Vida simples é educação, é espiritualidade, é aprendizado e 
erros... Na teoria Católica, Jesus não poupou esforços para dar o melhor sabor para o 
vinho em uma comemoração, quando transformou água em vinho, entenderam a analogia? 
Simplicidade não tem nada a ver com dinheiro, simplicidade também é "berço" e 
novamente, é educação, ética e moral, espiritualidade e também sexual (o sexo pode 
interferir em diversar áreas de um ser). Conheço pobres que são esnobes (pode ser arma 
de defesa), conheço ricos simples. Buscar a espiritualidade (a sua espiritualidade) em 
qualquer circustância é o que faz a verdadeira diferença, ajudar o próximo, ser solidário, se 
doar e evoluir como ser humano. Os bens materiais também são legais e muitas vezes 
estão relacionados a reflexos da infância, a sonhos, a ideais e a estilos de vida. Bens 
materiais também podem complementar a espiritualidade e a tocar os corações alheios, 
seja através de um belo instrumento (música), de um belo vestido de noiva, de uma viagem 
para um local incrível com o seu amor, ou até um carrão para uma criança que sonha em 
ser um piloto. Isso não é inspiração? E não é bom acordar num sábado de manhã 
inspirado? Por fim, entendo que se na nossa vida conseguirmos conciliar todas as 
inteligências humanas e atitudes positivas, acredito que estaremos conectados com nós 
mesmos e com tudo que nos cerca. Faça o quiser fazer, desde que não machuque 
ninguém, que não degrade nada, que seja de coração e principalmente, que além de fazer 
bem para você, faça bem para o MUNDO. Equilíbrio, muito amor, MUITA SAÚDE, muita 
solidariedade, muitos sonhos e muita felicidade, nesse e em todos os PLANOS que 
passarmos. Esse é meu desejo e minha busca para todos os seres de todas as dimensões 
que conheço e que não conheço. Obs: Vamos nos permitir, às vezes!!! rs......
Responder
 
nina
Postado em 16/Apr/2013 às 22:44
vivo com meu filho, compro em lojas de seguinda mao,nao tenho muitos moveis, nao tenho 
tv, assisto na net, ou pego dvds na biblioteca! carro infelizmente onde moro e essencial, 
pois nao tem transporte algum. Doei roupas e sapatos em excesso, doeibrinquedos, livreos 
etc...planto minhas hortalicas, melhor comida e a feita em casa.... Tudo isso nao quer dizer 
que nao gasto com futilidades, sempre somos pegos por uma outra coisa, e nem acho que 
e errado! O que nao pode rolar e viver dependedno do que e lancamento, do que e melhor, 
mais caro, passar o dia em apps, olhando o telefone, nao e assim...ate por que isso e pra 
minoria. Ultimo detalhe, moro no mpais mais consumista do mundo! USA e aqui vivo bem, 
com minhas
Responder
 
Adriana
Postado em 16/Apr/2013 às 23:21
Já passei por momentos da minha vida profissional que fiquei 9 meses sem comprar uma 
roupa, simplesmente porque não tinha dinheiro para isso. Viver de modo simples é ótimo 
desde que seja uma escolha. Hoje ganho muito mais em um emprego massacrante. Penso 
todo dia em chutar o balde e adotar aquela vida mais simples de antes, mas é muito mais 
difícil ser simples quando sua conta não tem um puto e você fica com medo de ficar doente 
porque não vai ter dinheiro para comprar remédio ou grana para pagar um táxi e levar seu 
filho no médico em dia de chuva. Isso sim seria corajoso.
Responder
 
luiz
Postado em 16/Apr/2013 às 23:28
Optar por uma vida simples pode ser maravilhoso, ecológico, "cool". Mas e quando não se
tem a "opção"? Sou contra o consumismo desenfreado, mas poder "optar" por uma vida 
mais simples por si só já é um luxo.
Responder
Gustavo Henrique Marquim Firmo de Araújo
Postado em 16/Apr/2013 às 23:55
Cuidado para não confundir capitalismo com consumismo. O capitalismo, com todos os
seus defeitos, é, ainda, o melhor sistema que existe. O consumismo, esse sim, pode levar 
as pessoas ao fundo do poço. O segredo é viver a vida com simplicidade numa sociedade 
consumista, mas, acima de tudo, sendo produtivo, trabalhando arduamente, sempre, até 
morrer. Realmente, deitar numa rede, de pernas pro ar, depois de ter feito fortuna, não me 
parece mérito nenhum. Doe toda sua fortuna e seus bens e viva o resto da vida em 
simplicidade, trabalhando para se sustentar e gerando mais riqueza para seu irmão, para a 
sociedade. Isso sim é uma vida digna das bênçãos de Deus.
Responder
 
CicBenSil
Postado em 17/Apr/2013 às 00:50
Na nova era, o sucesso é medido pela a qualidade de vida, saúde e espiritualidade,
trabalhar fazendo o que se gosta, ter tempo livre para si, para o lazer, os amigos, a familia, 
para dedicar a um hobby, ler, estudar, passear ou viajar... viver sem estresse, sem 
conflitos, ter mais liberdade de ação e de pensamento... ser solidário dedicar-se ao 
próximo. O sucesso da nova era não é medido pelo o que se tem ou se ganha, mas pelo 
que se doa e se faz pelos outros, demonstrando quem somos de verdade! Meu dilema 
Tempo ou dinheiro? Tempo pra fazer coisas que o dinheiro não compra? Ou dinheiro para 
comprar coisas que o tempo não da conta? Quer saber vou ficar com o tempo do amor E 
os tesouros da felicidade Ou com o tempo da felicidade E os tesouros do amor? É só basta 
se for completo... CicBenSil
Responder
 
Mariana
Postado em 17/Apr/2013 às 01:17
Vida simples é ter conforto, e conforto sem dinheiro nesse mundo é utopia, claro que
quando digo dinheiro não é rio de dinheiro mas uma quantia pra poder se manter bem, os 
miseráveis tem uma vida sem luxo, sem consumo, e não são felizes pela condição em que 
vivem. É a mesma coisa quando vejo: largar o trampo que não gosta, e fazer algo que 
gosta, sem dinheiro fica difícil. Eu sou total a favor, de uma vida com menos consumismo, 
mais simples, mas não quero ser utópica e dizer que isso é possível sem dinheiro, gostei 
muito do que li, mas creio que essas pessoas tem uma boa estabilidade financeira para 
isso. Andar de ônibus é caro, vai bem uns 150,00 reais por mês. Então mesmo se você 
abdica te um transporte pessoal, o custo com transporte público mensal é caro também
Responder
 
Mary
Postado em 17/Apr/2013 às 01:20
Li a matéria toda, mas a imagem da moça sentada no ônibus com o pé no banco do
cobrador, pegando um solzinho em um onibus vazio, me deixou abismada. Sinto muito, 
mas duvido que ela manteria a mesma fisionomia de satisfação, pegando um "busão" às 5h 
da manhã, na cidade de São Paulo, mais precisamente na Zona Leste, super lotado, em pé 
(ao ponto de se vc tirar o pé do lugar, alguém ocupa o lugar do seu pé, e você corre risco 
de seguir a viagem com uma perna só, igual saci). E para completar o pacote, algum 
tarado te encocha e se vc não segurar a bolsa firme, alguém te rouba. Quero ver esse 
pessoal manter essa filosofia da simplicidade aqui na minha quebrada kkk. Eu sou pobre 
há 21 anos (desde que nasci) e sei do que estou falando. Ser "simples" (para não dizer 
pobre) é muito bom, quando a sociedade respeita sua dignidade e te trata como gente, 
coisa que não acontece por aí. Enfim, esses "pobres" do texto, são fake. Eu sou a pobre 
original, que se lasca todo dia, e não tem condições (nem dinheiro, pra variar) para morar 
no interior e viver plantando mandioca. Ps: o mais ironico foi a fala do sujeito que disse que 
os pobres são os seus mestres. Puxa! Nunca vi um mestre ser tão maltratado em sua 
dignidade como ser humano e cidadão. É um mestre tratado como lixo.
Responder

Rafael Ravazzi
Postado em 12/Sep/2013 às 13:26
é verdade. Como disseram aí pra cima, ter essa opção já é um luxo. Opção é
coisa de quem tem poder. E poder, é coisa de quem tem dinheiro. E dinheiro, é 
coisa de algum que ferrou com a opção de alguém. E são esses "alguéms" que 
sustentam a simplicidade dos outros. Desafio é viver a vida de forma simples, 
quer seja rico ou pobre. Viver a vida preocupado em fazer aquilo que está ao seu 
alcance, trabalhar, servir e amar, amar a esposa de forma incondicional e sacrificial. E 
vida simples não tem a ver com consumismo ou acetismo. Vida 
simples tem a ver com saber quem você é, seu propósito de estar aqui e sua total 
incapacidade de ser uma pessoa boa, enquanto continuar separado do seu 
Criador, Deus Pai, Espírito e o Filho, Senhor e Salvador.
Responder

Ramon
Postado em 17/Apr/2013 às 01:31
Ter esta vida simples ao qual o texto faz referência nao é privilégio somente daqueles que
nasceram abastardos e abriram mão disto. Porque nao é o ter dinheiro que define se 
vivemos em função do consumismo. Como o texto mesmo deixou claro, tem mais haver 
com um questionamento da importância das coisas que trabalhamos para ter em nossas 
vidas. É assumir a postura de se ter dinheiro, ao contrário de viver em função do mesmo.
Responder
ramon miranda
Postado em 17/Apr/2013 às 03:14
Quem pode optar por essa vida, quem pode se dar ao luxo de desnaturalizar e repensar as 
suas práticas cotidianas, o consumo? Sem dúvida não são os trabalhadores 
ultraprecarizados, que gastam 4 horas no dia-a-dia para ir e voltar da periferia aos centros
para trabalhar e sustentar a família. Quem é que pode realizar estes questionamentos? Me 
parece uma solução um tanto quanto romântica e ingênua de uma classe média, "ecocool". 
Não podemos esquecer, como já pontuaram acima usando outros termos que toda a 
cadeira produtiva está suja com sangue, celular touchscreen ou não que importa isso, 
afinal?
Responder
 
nivea semprini
Postado em 17/Apr/2013 às 06:32
Ha 7 anos atras troquei minha vida no Rio por mais qualidade de vida , numa casinha na
serra de Nova Friburgo. Não sou aposentada (ainda!), não recebo nenhum tipo de 
pensão,trabalho pra viver, sou artista plastica , atriz e Taróloga, tenho meu atelier na minha 
casinha,( no mato, não na cidade, optei por um bairro mais afastado) onde vivo em paz, 
com meus gatos, andando livres pelo quintal...Tudo na vida é uma questão de opção , essa 
foi a minha "somos feitos das nossas escolhas", cabe a cada um pesar na balança o q é 
mais importante pra sua vida. Não existe certo e errado, cada um decide o q é melhor pra si 
mesmo. Minhas necessidades, são diferentes das do outro...Sempre abrimos mão de 
algumas coisas em troca de outras, As vezes sinto falta de algumas coisas q tinha na 
cidade grande, de vez em quando desço, tenho amigos, filhos no Rio, aproveito pra ir ao 
teatro, ao cinema,passear. Fiz tb grande s amigos aqui em Friburgo, muitos, como eu, 
"refugiados da cidade grande", Cada um é cada um, e, como dizem os franceses: "vive la 
diférance"! mas uma coisa posso dizer, com certeza pra vcs...de quanto menos 
precisamos, mais evitamos a frustração do não ter...e isso é muuuito bom...Ainda estou 
aprendendo, mas ja melhorei bastante. A tal da felicidade não existe, plena..é feita de 
momentos felizes, procuro colecionar os meus...um abraço a todos...
Responder
 
wanniak@gmail.com
Postado em 17/Apr/2013 às 06:39
interessante
Responder
Bellé
Postado em 17/Apr/2013 às 08:04
Tem que se ter muita corragem para viver de forma simples... Veja
www.nossaecovila.com.br
Responder
 
Maria antonia Miranda
Postado em 17/Apr/2013 às 09:34
Quando se tem dinheiro e faz está opção de viver na simplicidade é ótimo, mas quando
não se tem nada e vive na pobreza não tem como ficar satisfeito.
Responder
Cecilia
Postado em 17/Apr/2013 às 09:36
Que cada um viva da maneira que lhe for melhor. Eu concordo com a matéria, pois acho
que consumimos muitas coisas que nos sao incucadas como importantes para a vida e que 
na verdade não são.
Responder
Sabrina
Postado em 17/Apr/2013 às 10:13
Nossa, desisti de ler os comentários, muitos deles maudosos...A matéria é ótima...mas
infelizmente muita gente não entendeu a essência dela.
Responder
Mario Aquino
Postado em 17/Apr/2013 às 10:18
Salvo excepcionalidades aqui, quanta besteira se escreve, parecemos minhocas, não
enxergamos um palmo a nossa frente, e fazemos comentários gratuitos, sem senso do 
ridículo, mostrando a nossa desavergonhada ignorância e falta de cultura, "eu disse "a 
nossa", a minha e a sua, somos uma manada apartada e tocada pelo Marketing, este sim o 
grande inimigo a ser combatido, desdes os idos tempos do Nazi-fascismo, afinal uma 
mentira repetida se torna uma verdade, e profissionais de propaganda e marketing são a 
escória da humanidade.
Responder
 
Janaina
Postado em 17/Apr/2013 às 10:25
Viver sem carro não dá. Na foto a moça tá sentada sozinha no busao, toda feliz. Isso é
utópico. Quando eu andava de ônibus, ficava no ponto esperando um tempao, enfrentava 
fila pra entrar, fazia todo o longo trajeto em pé, com bolsa e livro na mão, gente fedorenta 
com o suvaco na minha cara, galera ouvindo funk. Não dá.
Responder
 
Vicente Zancan Frantz
Postado em 17/Apr/2013 às 10:29
É isso que incentivo no livro Mochileiro Aprendiz Aventureiro. Ótima reportagem.
PARABÉNS!
Responder
Caçadores de bons exemplos
Postado em 17/Apr/2013 às 10:37
Nos identificamos muito com esta matéria! Somos os Caçadores de bons exemplos na
Expedição A vida é uma viagem. Um casal cansado de ouvir notícias ruins. Daí resolvemos 
tomar uma atitude...vendemos todos nossos bens e saímos em uma viagem durante 5 
anos pelo mundo em busca de bons exemplos. Pessoas que fazem a diferença na 
comunidade que vivem, executando algum projeto social. Acreditamos que existem muito 
mais ações positivas do que ações negativas no mundo. Por isso... Nosso objetivo é 
sensibilizar as pessoas á fazerem o mesmo que os bons exemplos que encontramos estão 
fazendo. Caso não tenham esta disponibilidade, que ajudem quem já esta fazendo. O 
importante é ter um pensamento mais coletivo e menos individualista. É olhar para a 
comunidade como um todo. Já percorremos Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, 
Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, 
Ceará, Piauí e agora estamos no estado do Maranhão. São 120.801 quilômetros 
percorridos por terra, mar e ar em 27 meses. Não temos patrocínio e nenhum vínculo 
religioso ou político, queremos apenas plantar uma sementinha do bem nos corações das 
pessoas. Conheçam nossa história e por onde já passamos no site: 
www.cacadoresdebonsexemplos.com.br Embarque com a gente nesta grande viagem do 
bem!
Responder
 
Eloisa Elena Maia Rangel
Postado em 17/Apr/2013 às 10:39
Vida simples é de acordo com sua visão!Enquanto trabalhamos, as vezes é difícil, devido
as circunstâncias, visto que somos escravos do trabalho para vivermos 
financeiramente.Hoje já aposentada, tenho a minha vida simples que sonhava.Moro num 
mini sítio, tenho 63 anos,sou professora ,tenho uma ajudante para limpeza da casa, Planto 
minha horta,molho e colho verduras ,legumes e feijão, crio minhas galinhas para comer e 
ovos. Tenho frutas o ano inteiro,visto que tenho fruteiras variadas.Colho tudo e congelo 
num freezer comercial para ter durante todo o ano as variedades.Faço minhas geléias e 
doces.Tenho para comer e ainda dar para a família e amigos .Me distraio com tudo isso!
Não necessito de micro ondas ,nem forno elétrico .Telefone celular é necessidade onde 
moro. Só compro outro bem simples quando estraga. A minha tv tem mais de 15 anos, os 
móveis mais de 36. Até comprei uma outra TV de lcd de 18 pol. para ter a privacidade de 
ver meus programas favoritos quando a família está presente.Computador e internet? Só 
para ver meus netos distantes e enviar e-mails para a família e alguns parentes. é o meu 
correio em casa! Para mim ,apesar de ter uma casa, uma suite e uma cozinha são 
suficientes. Só preciso de uma cama um guarda roupa ,uma Tv, 1 ventilador, fogão e 
geladeira. o resto é supérfluo! Não tenho e recuso todos os cartões de créditos.Vivo com o 
que tenho e me sinto muito mais feliz agora do que quando me chamavam de 
"madame".Sou livre e tenho paz!VIVO NA DEPENDÊNCIA DE JESUS A CADA DIA! E ELE 
tem estado comigo ,sempre! Anotem bem: quando o homem cansar de todas as novidades 
eletrônicas que os consomem , vai se voltar para as coisas simples e ver que a felicidade 
existe no simples e não no convexo. Ela está em todo lugar e dentro de cada um de nós!
Basta olhar para dentro de si mesmo e apreciar a monumental e insubstituível obra prima 
de DEUS: VOCÊ!!!! Isto é simplicidade!
Responder
 
AntonioPostado em 17/Apr/2013 às 13:53
Você pode viver simples e ser rico. Agora ninguém merece andar de busão lotado. Negocio
é ter carro ou então ir de bicicleta. Viajar, conhecer o mundo, conhecer o Brasil. Para isso, 
tem que ter dinheiro, não adianta. Quanto a roupas, joias, não vejo nada demais ter coisa 
de marca, só não exagerar na quantidade. Queria ter dinheiro suficiente pra não precisar 
de trabalhar e rodar o mundo.. kkk A melhor forma de gastar dinheiro é viajando, indo em 
shows e curtindo a vida. A maioria das pessoas que não tem dinheiro para fazer as coisas 
que querem, 'geralmente' são frustadas. Eu sou uma delas, mas pouco a pouco vou 
juntando grana (pra isso, tem q ser bem simples mesmo e economico) pra tentar fazer as 
coisas que me dão prazer em viver. Uma coisa é certa, a felicidade plena não é desse 
mundo. =D
Responder
 
Nando
Postado em 17/Apr/2013 às 14:04
Este é um artigo muito interessante e de leitura recomendável. A simplicidade realmente
nos centra, fazendo-nos focar na essencia de nosso ser, no modo com que nos 
relacionamos com nós mesmos e com o ambiente a nosso redor. O estilo de vida que aqui 
se propôe é na verdade a frugalidade, que não significa abrir mão de bens materiais, mas 
renunciar ao consumismo e à futilidade. O objetivo não é viver sem conforto, mas sim viver 
bem sem a necessidade de excessos. Eu particularmente necessito acesso à três coisas 
que me são essenciais: Pessoas, conhecimento e cultura. Gosto de viajar, encontrar 
amigos, ir ao cinema, a shows de rock. Gosto de assistir à bons documentários, de ler na 
internet, de interagir com pessoas de outros lugares. Então pra mim é importante ter um 
carro confiável (e por que não confortável!?), equipamento audiovisual de qualidade, um 
computador e um smartphone eficientes. Não precisam ser os mais potentes, os mais 
caros, ou custar mais do que posso pagar. Precisam ser úteis, e não fúteis. O dinheiro é o 
que me proporciona a liberdade de acesso à estas coisas, e o crescimento e satisfação 
pessoal provenientes do trabalho dão sentido à minha vida. Diferente do que diz o texto, 
não penso que a vida seja apenas um estágio de passagem à outro lugar. Penso que a 
vida é única e deve ser plena, sendo bem vivida, bem aproveitada. Mas meu conceito de
"aproveitar" não é o estilo "beber, cair e levantar". Não vivo meus dias como se cada um 
fosse o último, não bebo até o último gole, não gasto até o último centavo, não vivo de 
excessos. Não penso que isso seja fazer bom proveito. Vivo conscientemente minha 
evolução... calma, mas gradativa. O meu "ser" envolve o "ter" e seu processo de conquista. 
Ser custa, mas o preço não é caro. :)
Responder
 
Flavio
Postado em 17/Apr/2013 às 14:10
Só uma correção, o citado apartamento de Graham Hill possui 420 "pés quadrados", e não
metros quadrados. Em metros quadrados daria aproximadamente 39m2.
Responder

Moderação
Postado em 17/Apr/2013 às 14:33
Flavio, obrigado pela correção.
Responder

Marco
Postado em 17/Apr/2013 às 14:23
eu pratico uma vida simples desde os 19 quando sai de casa pra morar sozinho, é dificil
mas o tempo de uma certa maneira lhe ensina como é mais prazeroso viver assim. Hoje 
tenho 23 nao digo q sou feliz, pq acredito q nao sabemos ainda o q seja felicidade, mas 
estou de bem comigo msm.
Responder
 
Fabio
Postado em 17/Apr/2013 às 15:30
O assunto é interessante, porem esse estilo de vida tem que ser para poucos. Se todos
resolverem levar a vida assim, não teremos mais evolução na medicina, nos transportes,
na comunicação,... Imagine se todo mundo pensar: "a partir de agora não vou me 
preocupar com o trabalho mais, vou lá, cumprir minhas horas, receber meu salario e vou 
curtir a vida." Quem iria passar a noite estudando pra inventar uma nova cura, um novo 
meio de comunicação, uma nova tecnologia de transporte? Eu sou super tranquilo, faço 
doutorado em Agronomia, mas não me estresso, se meu orientador me cobra de algo, 
entra por um ouvido e sai pelo outro. Não me preocupo em escrever artigos, em 
desenvolver novas pesquisas, nada extra. Faço o mínimo necessário pra manter minha 
bolsa, no meu tempo, quando estou com vontade. Mas sei que, se todo mundo for como 
eu, o mundo para. É preciso ter pessoas que não dormem a noite, pensando num jeito de 
produzir mais arroz, por exemplo, pra alimentar toda a população. Sei que não serei 
nenhum destaque na minha área, não receberei um grande salário, não por incapacidade 
minha, mas sim por opção, optei viver com menos dinheiro e menos posses, porem com 
menos preocupações tambem. Porem, se todos fossem como eu, provavelmente iriamos 
voltar à idade das cavernas!
Responder
 
Marina
Postado em 17/Apr/2013 às 17:32
Fantástico, não é fácil, mas com determinação é possível sim...Todas as pessoas que
passaram a ter esse modo de vida estão mais felizes...passaram a olhar pra dentro e 
deixaram de olhar fora. Nosso maior templo é o nosso coração, tudo vem de dentro, nossa 
conexão com Deus é ai também. Muitas pessoas estão buscando sair desse sistema, eu 
inclusive. Meu nome é Marina, tenho 28 anos, moro com a minha família e namoro há dois 
anos. Moro na Grande São Paulo, trabalho como vendedora, sempre tive uma vida 
corriqueira, gastando com coisas desnecessárias e frequentando lugares que eu julgada 
me fazerem mais felizes. Há um ano e três meses sou membro de um Grupo que se 
chama Centro de Estudos Universais Luz da Mãe Divina, estamos aprendendo a viver o dia 
de hoje, a estar no presente, estudando sobre nós mesmos, seguindo os ensinamentos do 
Mestre Jesus. Começou com uma só pessoa...que é a Luz que nos guia nessa jornada. 
Hoje somos 17 membros, fazíamos nossos trabalhos espirituais em Varzea Paulista onde é 
a casa da nossa irmã e Mestre Marcia, lá era a nossa escola. Sonhávamos em ter o nosso 
espaço, até que apareceu a oportunidade de termos... No interior com 1000m quadrados 
por 50.000, ninguém tem uma condição sossegada no grupo, mas era um sonho, então 
aceitamos pagar as prestações e sabíamos que iríamos enfrentar algumas dificuldades, 
todos estávamos conscientes e aceitamos. Conseguimos o dinheiro da entrada, e quando 
estávamos para fechar negócio apareceu um sitio em Juquitiba com 13000 metros 
quadrados por 27.000, fomos até lá visitar...era lindo, imenso, mas era terra virgem, mata 
fechada...Bom, seguimos com o propósito de mudar a nós mesmo, seguimos com a idéia e 
o Mestre nos concedeu algo maior, mais bonito e mais barato...foi um presente e está 
sendo. Fazemos tudo com as nossas próprias mãos, compramos há 4 meses, vamos a 
cada 15 dias e as vezes vamos quase todos os finais de semana. No começo foi bem 
complicado, tivemos que chegar e abrir espaço para podermos acampar... levávamos 
comida pronta e não tinha banheiro...rs.... Hj já fizemos um tanto, fizemos abrigo, banheiro, 
temos cozinha com tudo que é necessário. E sempre abrimos mais espaço, vamos 
construir nosso templo e pousada, estão lutando com muito trabalho para sermos auto 
sustentáveis. Estamos aprendendo a viver em comunidade ( idade comum de consciência). 
Trabalhamos um tantão, aprendemos a respeitar uns aos outros, aprendemos a ser amigos 
de verdade, irmãos de verdade, filhos e pais de verdade. E tudo de forma simples, aprendo 
a deixar o velho e negativo para trás, a estar presente a todo o momento. Depois voltamos 
para nossas vidas de trabalho e correria da semana, mas hj temos um propósito para 
passarmos por tudo isso. É necessário continuidade de propósito e hoje é o objetivo da 
minha vida! Tenho dois irmãos e meu namorado que também faz parte deste grupo. Então 
eu posso dizer que é possível sim, ninguém disse que é fácil, mas não é tão difícil quanto 
parece...quanto mais próximos estamos de nós mesmos, mais estamos próximos de Deus. 
E quanto mais aprendo sobre Jesus, mais força eu tenho para seguir. Esse é o nosso 
objetivo hoje, deixarmos uma Obra para a próxima geração.
Responder
 
Paulo
Postado em 17/Apr/2013 às 19:04
Nos últimos anos percebi que tenho me aproximado cada vez mais de um estilo de vida
mais simples e menos consumista. Optei por não ter carro e me locomover apé, de 
bicicleta ou de ônibus. Ainda tenho uma moto velho mas praticamente não uso. Meu celular 
é bem simples e optei por plano pré-pago, para não ter compromisso com empresas 
telefônicas. Seguindo a mesma lógica, fechei uma das minhas contas de banco para ficar 
só com uma. Me recusei a financiar um apartamento, Preferi alugar um apartamento 
modesto de um amigo por um preço um pouco mais abaixo que o mercado e sem contrato. 
Assim não me sinto preso a um lugar e posso desocupar o apartamento no momento em 
que quiser. Nunca faço compras a crédito. Sempre a vista. Se não tenho dinheiro para 
comprar alguma coisa, é bem simples: não compro. Se for necessário, economizo para 
isso. Sou profissional liberal. Em alguns meses ganho razoavelmente, mas sempre há o 
risco de não ganhar nada em outros. Como não tenho grandes gastos fixos, não esquento 
muito a cabeça. Mas agora estou passando por uma questão complicada. Minha esposa 
está com 30 anos (eu tenho 40) e quer ter um filho. Tenho muito medo de me tornar
 "escravo da babilônia" tendo um filho pra criar...
Responder
 
Judas
Postado em 17/Apr/2013 às 19:15
Eu sou um consumidor. Daqueles que compra muito. Mas também, ganho muito! E
ninguém está na posição de me criticar pois de certa forma eu ajudo a girar a economia 
capitalista global (sim é a maior parte do globo que movimenta tudo) e a sustentar as 
pessoas que querem ser simples. Quem é simples e vive de carona - pega carona com 
alguém que tem carro. Ela não gasta, mas outro alguém gasta. Alguém tem que empregar 
essa pessoa que precisa de emprego e salário para pelo menos poder comer. Empresários 
fazem isso e ganham por isso, afinal estão com a responsabilidade dos empregos e 
sustento de outras pessoas em suas mãos.
Responder
 
DanielPostado em 17/Apr/2013 às 20:01
Os melhores comentários Mary e Ramon Miranda, disseram tudo. Para o trabalhador
precarizado a simplicidade não é uma opção, uma escolha de vida, mas uma condição 
"sine qua non" uma necessidade. Só os que possuem podem optar por não possuir, logo 
esse tipo de escolha só pode partir da burguesia (grandes proprietários) ou pequena 
burguesia ( proletários especializados ex: engenheiros, médicos etc e pequenos 
comerciantes).
Responder
 
Bruno
Postado em 17/Apr/2013 às 20:45
Esta sensação de simplicidade só se percebe quando você vem de uma origem pobre e
consegue algum sucesso financeiro ao longo de sua vida!Você precisa experimentar as 
coisas simples, passar por dificuldades na vida para saber o que é bom ou não, e aprender 
a dar o devido valor ás coisas.Digo isso por experiência própria,pois passei por muitas 
dificuldades ao longo da vida que me ajudaram a chegar onde cheguei com 
dignidade.Apesar das dificuldades financeiras,nunca deixei de andar muito de bicicleta 
pelos parques da cidade,de frequentar cinemas, teatros, shows e tudo mais que fosse 
possível.Percebi o quanto é prazeroso você poder caminhar com seu cachorro ou uma 
pessoa bacana ao seu lado em um parque, poder viajar com amigos em um ônibus, 
frequentar baladas até tarde e dormir na estação do metrô até abrir.Hoje, apesar de estar 
terminando de construir uma grande casa no interior de SP, ter meu carro importado, viajar 
para o exterior ao menos uma vez ao ano e ser dono do meu próprio negócio, sinto muita 
falta de fazer coisas simples como antes. Na verdade, ás vezes gostaria de simplesmente 
poder voltar no tempo e viver tudo isso de novo, sem os compromissos e as cobranças que 
enfrento todos os dias.Parece história de filme de ficção, mas seria ótimo podermos apertar 
a tecla de retroceder anos e parar a vida no ponto que queremos.Almejei tudo que tenho 
hoje mas confesso que não sou uma pessoa plenamente feliz.Tento compensar a falta que 
tudo isso me faz,fazendo muitas caminhas ao ar livre, tentando fazer novas 
amizades,praticando esportes, lendo livros , mas mesmo assim, sinto que estou ficando 
cada vez mais solitário na minha empreitada de vida. Não sei como isso vai acabar, mas 
espero encontrar a tão sonhada felicidade que muitos falam, seja na simplicidade ou na 
ostentação,só peço para que Deus me dê sabedoria e paz interior para continuar nessa 
aventura chamada "VIDA".
Responder
Ademar
Postado em 17/Apr/2013 às 21:53
Viver de maneira simples não é para qualquer um, eu sou adepto ao que esta matéria diz,
e já fui consumista quando tive minha independência financeira aos 16 anos pois achava 
que para eu ser bem visto na sociedade eu assim como os outros deveria ter sapatos e 
roupas caras como eles tinham, isso só se tornou num ciclo vicioso onde tinha q trabalhar e 
gastar tudo com supérfluos, apos viajar bastante pelo mundo e conhecer pessoas e 
culturas diferentes comecei a ter um amplo campo de visão sobre a minha própria vida e as 
coisas de que deixei de fazer, hoje eu recomendo à amigos para sair dessa vida louca, 
mas como os capitalistas não tem um amplo campo de visão sobre outras as coisas a não 
ser as materiais muitas vezes me acham estupido, bom cada um cada um, eu escolhi ser 
simples e hoje sou feliz, enquanto vejo outros sempre reclamando da vida e querendo mais 
bens, ou insatisfeitos porque ainda precisam trabalhar por mais anos para ter outros bens 
fúteis.....
Responder
 
Nil
Postado em 17/Apr/2013 às 22:18
liberte-se!!
Responder
Nanda
Postado em 17/Apr/2013 às 23:20
Sou funcionária pública municipal em SP, na área da educação.....Viver simplesmente é o
que conseguimos com o salário que ganhamos! Fica a dica Hadad..
Responder
 
Lidia
Postado em 18/Apr/2013 às 07:03
É muito fácil levar uma vida "simples" quando já se nasce ou se tem um status social e
financeiro sólido. Eu também gostaria de levar essa vida despojada, na varandinha de um 
apartamento com vista para a praia de Ipanema.
Responder
 
Charles Lindbergh
Postado em 18/Apr/2013 às 08:13
Alguém por favor poderia me fornecer o e-mail da Advogada Débora Paglioni? Porque
encontrar uma advogada, linda e que tenha um estilo de vida desse é meu sonho de vida.
Responder
 
Mr. M
Postado em 18/Apr/2013 às 09:10
Vejo muita gente que optou por viver na simplicidade, inclusive moram em ruas... Só dar
uma volta por SP pro ex. No meu ponto de vista, isso é conversa para boi dormir! Vamos 
lá, 1 casal vive na simplicidade aí tem um filho. Então vamos começar a voltar para a era 
da pedra. Certamente os que se denominam SIMPLES por viverem no sussego não terão 
condições de colocar a criança em uma escola boa, faculdade, dar um computador, pagar 
acesso a internet, ... Uma coisa é ser simples. EU SOU SIMPLES, mas tenho carro, tenho 
dinheiro pra sair para baladas, viajar, comprar roupas, .. Trabalho, sou novo e estou 
constituindo meu patrimonio para viver de renda. (Ter uma epoca de Adulto / Velho ) com 
dinheiro e sussegado...
Responder
 
EricPostado em 18/Apr/2013 às 09:52
Não me parece muito complicado para alguém que consegue ir até a Espanha e voltar,
procurar uma fazenda ou outra exuberância acolhedora para ser simples. A meu ver ele 
consegue ficar sem dinheiro porque já estava muito bem criado até o momento em que 
pôde prescindir dele. Fala-se em novo fenômeno, como se isso fosse adequado a qualquer 
quer uma 'vida saudável', outro conceito que fica estampado aí sem nenhum explicação 
que o anteceda. Que tem de saudável remendar as roupas, ter só 6 tigelas pra salada na 
cozinha, o que tem de fascinante? Se a vida da pessoa está orientada a viver somente, 
essa vida simples parece ideal para um sujeito sem ambições, já que livros custam 
dinheiro, conhecimento infelizmente não se esparrama regularmente pelo planeta: é 
preciso sair do lugar para conhecer de tudo, ou pelo menos me parece que é assim. Nada 
contra aqueles que gostam de estarem sossegados no seu canto, mas talvez essa seja só 
uma nova zona de conforto, não muito diferente daquela que os consumistas criam pra si.
Responder
 
Juliana Saboia
Postado em 18/Apr/2013 às 10:16
Concordo tanto com isso. Menos "ter" nos faz mais feliz. Mudar o padrão de vida não é
difícil, basta aprender a valorizar e ser feliz com as coisas simples, principalmente as 
pessoas que nos amam.
Responder
 
gislaine
Postado em 18/Apr/2013 às 10:59
Concordo, mas acho que para viver assim só se tem a felicidade plena quando se tem
dinheiro, ninguém conseguiria ser assim por naõ ter dinheiro, mas sim por ter dinheiro e 
optar viver assim. è bem diferentes viver simples e viver pobre (sem dinheiro).
Responder

Simplicidade Voluntária… coisa linda | Chapéu velho
Postado em 18/Apr/2013 às 11:46
[...] dessa reportagem. [...]
Responder
 
João
Postado em 18/Apr/2013 às 14:00
Viver uma vida simples é muito legal, desde que isso seja uma opção entre as várias que
você possa desejar ter ou seja, desde que você tenha um bom saldo bancário para te 
resgatar em caso de necessidade. Um bom hospital em uma doença indesejada, uma 
velhice com possibiidade de comprar seus proprios remédios ou pagar um plano de saúde 
sem depender de ninguém, ou simplesmente você poder mudar de vida caso não queira 
mais sua vida simples, porque do contrário a maioria esmagadora da população mundial 
seria feliz pois essa mesma maioria esmagadora tem uma vida simples, não por desejo 
mas porque não tem outra opção..
Responder
 
José Carlos Reis Pereira
Postado em 18/Apr/2013 às 15:26
A proposta de estilo de vida simples que o texto aborda é meu sonho, gostaria muito de
viver assim, de certa forma em parte já vivo assim, sou professor e o salário nos obriga a 
uma vida mais simples. Mas ainda sofro com querelas consumistas, recentemente comprei 
um carro financiado e estou completamente arrependido, estou com uma dívida de 
financiamento de quase 4 anos, se pudesse voltar atrás. Aliás alguém tem alguma 
solução? Já pensei em passar o financiamento mesmo sem nada de volta só para me livrar 
do financiamento, mais ao mesmo tempo penso que posso usar o carro dentro dessa 
maneira simples: nunca vou ao trabalho de carro e em alguns lugares vou de transporte 
público. Por favor gostaria de opiniões quanto a isto. O problema é a dívida.
Responder
 
Marilia
Postado em 18/Apr/2013 às 16:58
Essa filosofia de se contentar com pouco é típica de quem não gosta de trabalhar. Bem, a
solução nesses casos é reduzir mesmo os gastos ao máximo. É a mesma filosofia do 
malandro que prefere viver numa tapera com a família, em condições indignas, para não 
ter que arregaçar as mangas e trabalhar. É também a mesma filosofia dos sovinas que 
justificam o apego exagerado ao dinheiro com essa postura "bacaninha". Uma coisa é não 
se render ao consumismo desenfreado; outra coisa é querer convencer que é razoável se 
vestir que nem mendigo para não gastar dinheiro com roupa? Viver com menos não é viver 
sem.
Responder
 
Henrique Arreguy Hachmann D'Agostini
Postado em 18/Apr/2013 às 18:22
o grande desafio dos novos políticos do mundo são esses, representarmos sob a ótica da
experiência e não dos textos, contextos, debates e embates... liderar pelo exemplo e não
pela demagogia barata de velhas gerações que diziam "faça o que eu digo, mas não façam 
o que eu faço".... façam o que eu faço, sigam-me....
Responder
 
josimar
Postado em 18/Apr/2013 às 18:42
Somos filhos da terra, e mais do que a terra tem para nos oferecer não precisamos para
viver! A sociedade em que vivemos nos empoe que devemos ser e vestir, mas se tivermos 
personalidade própria perceberemos que quanto menos acumulamos mais temos tempo 
para viver e ser feliz.
Responder
 
Daniel
Postado em 18/Apr/2013 às 20:22
Não é tão difícil entender essa matéria. Comentários do tipo "só a burguesia entendiada
pode ser dar ao luxo de uma vida simples" é algo inacreditável de se ler. A mensagem do 
texto é bem clara: é possível viver de um modo simples, MENOS CONSUMISTA, tendo 
uma vida alternativa em relação ao que é imposto pela sociedade. Não está em jogo a 
renda ou o salário da pessoa. Um trabalhador sem muito dinheiro, vindo de uma família 
mais pobre, pode muito bem ter uma vida mais simples, porque o principal é o ESTILO DE 
VIDA. Ou seja, mudando a relação da pessoa com o ambiente em que vive, ela pode 
consumir menos, valorizar outras coisas - e tudo que já foi bem explicado nessa matéria. E 
também não foi pregado o RADICALISMO. Viver de um modo simples não é ir pro mato e
produzir tudo que quiser consumir. É fundamentalmente observar as coisas em volta e 
equilibrá-las; mudar sua relação com o mundo.
Responder
 
lil
Postado em 18/Apr/2013 às 21:22
Bem legal saber que somos muitos! Quero cada vez mais a simplicidade, o essencial
somente. O consumismo característico de nossos tempos gera somente frustração e 
descontentamento. Sou também uma refugiada da cidade grande. Vim pra uma casinha no 
meio do mato, cercada de animais, água limpa e ar puro. A acumulação de bens materiais 
é sufocante e acaba sendo um fardo. Me dou ao luxo de 'acumular' somente livros e discos 
(agora no PC), alimentos pra alma. Movimento hippie, anti-consumismo, frugalismo, freeganismo, 
minimalismo.. Não importa o rótulo, as filosofias têm a mesma base..
Responder
 
 
PauloPostado em 18/Apr/2013 às 22:23
Esse fenômeno já acontece no mundo a milhares de anos, a reportagem é repetida, isso é
falta de criatividade do redator. Conheço muitas pessoas que optaram por uma vida 
simples, alguns são felizes, outros não. Se você tiver dinheiro pra manter um padrão de 
vida baixo, é legal, mas em geral não é isso que acontece. Geralmente o que as pessoas 
fazem é estudar e trabalhar a vida toda para poder se aposentarem e ter uma vida simples. 
Acho que a aposentadoria é uma forma de ter uma vida simples, ainda mais se for 
recebendo salário minimo. rs
Responder
ana paula botelho
Postado em 19/Apr/2013 às 00:14
ainda estamos na idealização, talvez sempre seja assim e eu não estou criticando, nem
julgando nada, somente dizendo que a vida simples tambem eh um ideal que nem sempre 
eh facil de ser alcançaso.
Responder
 
Eliza
Postado em 21/Apr/2013 às 10:11
Antes, processo de entrar para dentro de si, autoconhecimento, chegar a sua própria
essência. Depois, o exterior perde o posto de essencial. Passa a ser secundário.
Responder
 
Dudi
Postado em 21/Apr/2013 às 19:55
Precisamos estar atentos as novas tecnologias, e aprender a usa las....e nao ser usado por
elas...o Homem comanda a maquina!
Responder
 
nadia
Postado em 21/Apr/2013 às 21:32
justificando pobreza com sustentabilidade.
Responder
 
Luis
Postado em 21/Apr/2013 às 22:21
Com o salário que se tem no Brasil, é complicado viver assim, pq até pra ser simples
precisa pagar, pode crer que quem vive assim tem sim garantia caso a trem pegue geral, 
mas o pobre vive assim por obrigação. Eu gostaria de ter um salário fixo, vitálício onde eu 
pudesse viver deorma simples, sem carro, sem moto, só de bicicleta, poder passear pela 
cidade de carro sem ser atropelado por um bêbado, sem ser roubado por um adolescente... 
seria a glória.
Responder
 
Fabiana
Postado em 22/Apr/2013 às 08:23
É óbvio que a simplicidade é boa quando uma escolha. Nada forçado é bom. Simplicidade
não é privação obrigatória; isso é miséria. Sou filha de mecânico e dona de casa. Sempre 
tive pouco além do necessário à subsistência. Herdei a simplicidade dos meus pais. Sei 
que não tenho necessidade de muitos bens materiais para viver, ainda que precise de um 
teto. Para isso existe o trabalho, que não precisa ser o que pague melhor, nem o que 
trabalhe demais - perdendo assim o pouco tempo que tenho nesse mundo. Optei por uma 
profissão que não me dará muito, mas na qual serei útil. Não abri mão da tecnologia, pois 
acho necessária, principalmente a internet. Tenho um celular bom e só o subistituirei 
quando não funcionar mais. A vida simples é possível para quem quer. Quem não quer 
inventa desculpas. Se não se identifica é bem simples: ignore. Não é necessário 
desmerecer a opção de vida das pessoas, denominando como moda da "burguesia 
entediada". Acho que as pessoas tem direito de buscar a sua paz.
Responder
 
Dudi
Postado em 22/Apr/2013 às 08:24
Alguem citou a burguesia e pequena burguesia..? Ainda existem esse tipo de pessoas?
Responder
 
Dudi
Postado em 22/Apr/2013 às 08:32
Realmente, sentada em um ônibus vazio...ele estava no ponto final? Rs
Responder

Desapego: para corroer valor central da sociedade de consumo
Postado em 22/Apr/2013 às 16:15
[...] Por Luciane Evans, no Pragmatismo Político [...]
Responder
 
Maikon
Postado em 22/Apr/2013 às 19:13
curti...
Responder
 
Robert
Postado em 23/Apr/2013 às 10:05
Muito bem dito Fabiana, muito legal o seu jeito e pensamentos. Neste mundo de
radicalismos, ;e muito bom ver que existem pessoas conscientes, mas sem extremos.
Responder
Bruno
Postado em 23/Apr/2013 às 23:19
O mais legal foi a foto da garota sentada num onibus vazio... romantico...
Responder

Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples | Learning Change
Postado em 24/Apr/2013 às 10:21
[...] Ler [...]
Responder

Rômulo Gondim – Desapego corroerá sociedade de consumo?
Postado em 24/Apr/2013 às 16:07
[...] Por Luciane Evans, no Pragmatismo Político [...]
Responder
 
FabianaPostado em 25/Apr/2013 às 07:18
Gratidão, Robert!
Responder
 
 
Marcio FelixPostado em 26/Apr/2013 às 15:14
Como criar filhos que sigam esta cultura, uma vez que estão sijeitos ao meio escolar onde
predomina a cultura do consumismo desde cedo pelos colegas, com a televisão e as 
mídias propagando o estilo de vida capitalista e imediatista???? Hoje vejo a importância de 
adentrar em uma vida mais simples e com mais significado, mas como uma criança não 
sofrerá a interferência do meio???
Responder
 
Raul
Postado em 11/May/2013 às 06:44
Meu sonho é encontrar uma muher que leve esse estilo de vida!
Responder
 
martinho
Postado em 14/May/2013 às 11:46
eu tenho uma vida simples porque não tenho outra opção ... mas este tipo de ideais pode
ser confundido com pobreza, simplicidade com abundância devia ser o termo mais 
correto!!!
Responder
 
Marcus
Postado em 14/May/2013 às 18:03
Nossa!!! Nunca vi uma matéria mexer tanto com a opinião de quem lê... Pelas opiniões
postadas aqui, podemos perceber que a grande dificuldade dos seres humanos é o 
EQUILÍBRIO... Estar plenamente satisfeito definitivamente não é uma condição humana, 
mas sim, a busca pela satisfação
Responder
 
Marcel Brandão
Postado em 20/May/2013 às 22:45
Uma pessoa pode ser milionária, ter carro importado, apartamento de luxo e ser simples e
feliz; e também ser pobre lascada e ser consumista e infeliz. É questão espiritual e não 
material, como tenta convencer essa matéria. Gostei pelo fato de a matéria ter atiçado a 
opinião de todo mundo. Nunca vi tantos comentários: alguns inteligentes, outros cegos e 
muitos preconceituosos, alegando que quem tem dinheiro é o vilão, que "burguês" é isso e 
aquilo. Esses daí, se tivessem dinheiro, seriam os mais mesquinhos e consumistas.
Responder
 
Edu
Postado em 22/May/2013 às 13:04
Simplicidade voluntária!! Não é pobreza de grana, pelo contrário. Muitos confundem. Há
um livro bem bacana "simplicidade voluntária" conta casos de pessoas que optaram por um 
estilo de vida assim,
Responder
 
Adalberto F. de Sousa
Postado em 24/May/2013 às 19:46
Estão fazendo confusão entre levar um vida simples e ser mendigo. Acredito na dignidade.
Não é luxo ter uma casa confortável, um carro pra facilitar a vida e comida na mesa.
Responder
 
Joana Pimentel
Postado em 27/May/2013 às 11:21
Excelente matéria! Quero trafegar na contra-mão e já estou à caminho. Quero ser livre,
quero colocar Deus no Seu lugar, minha Família logo após e dinheiro como algo 
necessário e não vital, pois o dinheiro não faz por nós metade do que nos sujeitamos a 
fazer por ele.
Responder

Amado Batista: “mereci ser torturado na ditadura” | SCOMBROS
Postado em 28/May/2013 às 06:09
[...] Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples [...]
Responder
Priscila Thurler
Postado em 05/Jun/2013 às 11:16
MATÉRIA SENSACIONAL! CHEGAR A ESSA SIMPLICIDADE DEVE SER UMA
EXPERIÊNCIA PROFUNDA E TRAZER UMA PAZ INCONDICIONAL! Nem todos ainda 
atingiram esse tipo de consciência, mas levar o exemplo dessas pessoas vai ajudar muito a 
abrirmos nossas mentes para alcançarmos a felicidade real e plena e conquistarmos uma 
alma mais livre!
Responder
 
Thunder
Postado em 07/Jun/2013 às 15:18
Concordo com a parte "comprar só o que for precisar"... mas o essencial é gastar de
acordo com o que você ganha... se você puder ter um Camaro e isso realmente te dá 
prazer, nada contra... se amar uma Caloi 10 antiga e gostar de andar nela, nada contra 
também... cada um é cada um! O chato é gente que compra o tal Camaro ou outro carro de 
luxo qualquer só por ostentação... só pela competição doentia, não rola! E concordo com o 
que disseram também nos comentários: Isso é um sintoma da classe média entediada. 
Lembrei de uma frase meio preconceituosa, mas que tem a ver: "Só é vegetariano quem 
nunca passou fome..."
Responder
 

Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples « :: Blog Brasil
Digital ::
Postado em 11/Jun/2013 às 00:39
[...] leveza, por uma vida simples. Acreditam que precisam de pouco para se satisfazer e
asseguram que o lucro com tudo isso não se vende nem se troca, e tem nome: [...]
Responder

Quem é contra o Bolsa Família ou é mal informado, ou mal intencionado | Africas
Postado em 12/Jun/2013 às 10:26
[...] Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples [...]
Responder
 
O essencial é invisível aos olhos
Postado em 12/Jun/2013 às 19:56
Ter uma vida simples não significa ser hippie ou burguês entediado. Na minha opinião a
busca pela vida simples vem do vazio que o excesso traz. É dar valor para o que realmente 
importa. Vida simples é entrar em harmonia com a lei da natureza. Consumismo não 
combina com espiritualidade. Portanto, quando buscamos o que realmente importa, 
naturamente a simplicidade vai se instalando em nossas vidas. Nós precisamos de 
conforto, não de luxo. E tem que trabalhar sim e muito... mas muito menos do que 
trabalharíamos para mudar de carro todo ano para se mostrar para os visinhos ou 
acumular bens de que nem sequer usamos...
Responder
 
Bruno
Postado em 30/Jul/2013 às 15:56
O triste é saber que tem gente que trabalha 10 horas por dia em um ambiente estressante,
mais 3 horas de trânsito, não por que gosta muito de trabalhar e de acumular riqueza, mas 
porque só assim consegue ganhar o suficiente para sobreviver... nunca tendo tempo para 
viver o presente e evoluir como ser humano. Feliz é aquele que consegue ganhar pouco 
trabalhando pouco, geralmente a pessoa tem uma formação universitária, ou então vive do 
que planta num sítio.
Responder
 
Você já fez um amigo hoje? Sente-se
Postado em 31/Jul/2013 às 16:47
[...] Leia também sobre o garoto que salvou a família da fome estudando física,  a carta de
um pai para a sua filha pequena e a iniciativa das pessoas que optaram por uma vida mais 
simples. [...]
Responder
 
Dente é recriado a partir de urina humana - Pragmatismo Político
Postado em 01/Aug/2013 às 10:48
[...] Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples [...]
Responder
 
Julio
Postado em 03/Aug/2013 às 13:41
A contramão que tanto falam para mim não é contramão do consumismo ou do luxo, até
porque o consumismo é algo "burro", superficial. O consumismo que é a contramão da 
natureza do homem. É curioso ver que tanta gente precisa trabalhar muito todos os dias, 
não em busca do supérfluo mas para sobreviver e criar os filhos, e quando uma dessas 
pessoas vai crescendo na vida, subindo de cargo, passa a ter mais opções, como deixar o 
exagero de lado e viver uma vida mais tranquila. Mas aí, o tempo passou e só resta se 
aposentar. O triste nisso tudo é que nem todos tem o privilégio de poder optar por uma vida 
mais simples, que é mais inteligente, mais saudável.
Responder
 
Estela
Postado em 05/Aug/2013 às 08:34
Depois do movimento hippie nada disso é novidade. A reportagem está só uns 50 anos
atrasada...
Responder
 
Ferreira Junior
Postado em 06/Aug/2013 às 15:05
"... o homem é um eterno insatisfeito. Quando jovem tem saúde, tempo, mas não tem
dinheiro. Quando adulto ainda tem saúde, começa a ter dinheiro, mas não tem tempo. Por 
fim, quando velho, tem tempo de sobra, algum dinheiro, mas não tem saúde..." Sem 
radicalismos, gente. Vivo uma vida simples, entre o campo (onde moro) e a cidade 
(trabalho). Mudei pra chácara por questionar o estilo de vida que levava antes. Preciso 
consumir, porém tento consumir conscientemente. Vivo em busca dos 3 R's: Reduzir, 
Reusar, Reciclar. Minha mãe antes de decidir se rebelar no convento, foi freira franciscana 
e viveu sempre segundo os votos de pobreza, inclusive depois de desistir do lance de irmã 
e tal e por fim se casar, sem luxos. Azar o meu, né? Hehehe Ficou pelo menos a lição, que 
redescobri depois de um tempo, mas aí ela não estava mais entre nós para ver. "O 
essencial é invisível aos olhos."
Responder
 
Monica Mabel
Postado em 07/Aug/2013 às 11:35
Sou professora, então soh me resta viver uma vida muito simples, nao tenho escolha kkkkkkkkkk
Responder
 
Nara Cavalcante
Postado em 07/Aug/2013 às 15:18
A sociedade é escrava do dinheiro, isso é fato! O problema de hoje sempre existiu, mesmo
quando nao havia toda essa globalizaçao, eu nao acredito que as pessoas viviam melhor 
do que hoje. haviam outros fatores que impossibilitavam a qualidade de vida. Enfim, acho 
esse estilo de vida simples, pode ser vivido por qualquer um, basta sabermos balancear e 
administrar bem nosso tempo e nosso dinheiro.
Responder
 
Textos e links da semana | Meteorópole
Postado em 08/Aug/2013 às 17:55
[…] Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples: bons exemplos
de pessoas que decidiram ter uma vida simples, comprando e consumindo apenas aquilo […]
Responder
 
Joeci Ricardo GodoiPostado em 09/Aug/2013 às 18:41
Muito Bom o artigo! Há tempos venho buscando uma forma de fugir dessa vida consumista
que a sociedade nos impõem, posso dizer que estou me saindo bem no que diz respeito a 
reduzir o consumo de supérfluos, mas ainda preciso evoluir bastante. Não faz muito tempo 
que criei um blog pra expor essa meu desejo de vida simples, e divulgar atitudes como 
estas citadas aqui. Tomo a liberdade para divulgar o blog aqui, onde creio que encontrarei 
pessoas que concordam com meu ideal. Assim, divulgo o link da postagem que fala 
justamente sobre o consumismo:
MAURICIO (MAC AGRO AMBIENTAL
Postado em 12/Aug/2013 às 11:02
VIVO MAIS OU MENOS ASSIM; MORO EM UMA CHACARA, DE MINHA
PROPRIEDADE , POREM C/ BASTANTE CONFORTO,MAS É POSSIVEL VIVER 
SIMPLES COM MUITO CONFORTO ,O QUE NAO SIGNIFICA SACRIFICIO MAS SIM 
BOA E TRANQUILA VIDA ; NÃO TROCO POR NADA.SOU ENG. AGRONOMO , SAIO 
PARA BUSCAR TRABALHO , POREM MEU ESCRITORIO É AQUI , NO RURAL.
Responder
 
EdsonMG Anthony
Postado em 13/Aug/2013 às 15:26
Muito bom mesmo. Já conhecia o José Pepe Mujico. Andei conversando isto por onde
trabalho. Me deixaram um pouco em paz. Tava de saco cheio da pergunta: "Onde você 
quer chegar?" Em lugar nenhum. Já tenho quase tudo que preciso. Agora é só continuar a 
envelhecer. Por isto minha busca é tão grande para ganhar dinheiro no ócio. Um pouco, 
que desse para sobreviver. Pra não ter que aguentar as pessoas achando que meu 
"potencial" me levará longe.
Responder
 

Renomado diretor filmará documentário sobre Pepe Mujica | Africas
Postado em 13/Aug/2013 às 17:26
[…] Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples […]
Responder
 

Renomado diretor filmará documentário sobre Pepe Mujica - Pragmatismo Político
Postado em 14/Aug/2013 às 11:58
[…] Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples […]
Responder
 

Imprimir | Enviar por email
new balance heren hogan schoenen nike air huarache nike roshe run nike sb adidas yeezy kopen mont blanc pen nike corte valentino schoenen hollister sale oakley zonnebril louis vuitton tas nike air force nike free rn nike schoenen fila sneakers nike air max 95 new balance dames ray ban zonnebril michael kors tas adidas superstar sale Timberland Schoenen puma sneakers nike huarache balenciaga sneakers polo shirt Adidas Schoenen nike outlet new era pet Ralph Lauren Schoenen puma schoenen nike flynit ray ban brillen asics sneakers adidas superstar dames polo ralph lauren sale converse sale louis vuitton riem adidas voetbalschoenen

© morrodesaopauloonline.com.br - 2017 - Todos os direitos reservados

 

Both the Rolex Datejust II and Rolex Day-Date II replica watches have famously legible and attractive dials. The Rolex Datejust II has baton or Arabic hour numerals while the Day-Day II has baton or Roman numeral hour markers. Aside from style differences it should be noted that the sportier Rolex Datejust II has lume on its dial while the Rolex Day-Date II replica watches dials do not have applied luminant on them (for viewing the dial in the dark). Aside from the Submariner, the Rolex Datejust replica watches uk is probably the second most popular Rolex timepiece, and among the brand's higher-end models, the Rolex Day-Date II replica watches is among the top choices next to fancier versions of the Daytona. Depending on your budget there are lots of versions, and these are great watches to own being classics in their own right and extremely good keepers of value. Complaints? Really not many. Rolex replica watches sale has so many types of watches that there is something for everyone.