Zapatillas nike zapatillas reebok nike air max blancas ropa abercrombie gafas ray ban zapatillas under armour gafas de sol ray ban Gafas carrea new balance hombre botas futbol zapatillas asics new balance mujer zapatos casuales Zapatillas air jordan nike sb nike corte zapatillas vans zapatos timberland zapatillas sport zapatos de mujer nike free puma zapatillas zapatos gucci botas de futbol nike presto gorras new era Gafas oakley bolsos louis vuitton
Zapatillas nike zapatillas reebok nike air max blancas ropa abercrombie gafas ray ban zapatillas under armour gafas de sol ray ban Gafas carrea new balance hombre botas futbol zapatillas asics new balance mujer zapatos casuales Zapatillas air jordan nike sb nike corte zapatillas vans zapatos timberland zapatillas sport zapatos de mujer nike free puma zapatillas zapatos gucci botas de futbol nike presto gorras new era Gafas oakley bolsos louis vuitton
new balance uk jordan trainers Adidas Stan Smith uk nike free 5.0 uk oakley sunglasses uk timberland boots uk nike air max sale saucony trainers Longchamp uk adidas football boots uk polo shirts uk louis vuitton uk adidas neo uk nike air force 1 uk cheap ray bans uk hollister uk balenciaga trainers nike trainers uk adidas trainers Adidas Superstar uk nike football boots uk nike air force uk puma uk abercrombie and fitch uk gucci belt uk nike shox uk jimmy choo uk nike blazers uk giuseppe zanotti uk adidas tubular uk
puma chaussure nike corte new balance femme nike flynit polo lacoste vetement chaussure sport adidas nmd Sac michael kors Sac longchamp Chaussure vans chaussure reebok nike air max nike shox adidas superstar Chaussure adidas nike free run femme chaussure de sport lunette ray ban Chaussure puma christian louboutin adidas zx flux chaussures de foot adidas femme Chaussure louboutin chaussure bateau Sac louis vuitton chaussure de foot polo ralph lauren chaussure de marque Chaussure nike Bijoux nike roshe run femme nike blazer lunette de soleil chaussure femme
Menu principal
Página inicial
Notícias
Galeria de fotos
Loja virtual
Fale conosco
Morro de São Paulo
A História
O que fazer de dia
Comércios e Serviços
Meio Ambiente
Eventos
Férias Bahia
Férias Brasil
Está na hora
Promoções
Apresentação
O que fazer a noite
Bairros
Como Chegar
Taxi Aereo
De Avião
De Catamarãs
Via Terrestre
Rotas rodoviárias
Transfer Terrestre
Hotéis e pousadas
Localização
Hospedagem
Escolha onde ficar
Melhores Hospedagens
Em destaque
Pacotes promocionais
Novidade
Promoções da Hora
Festival de primavera
English
Onde Comprar
Dica Info
Video
Informações em Espanhol
Espanhol
Italiano
Praias
Primeira Praia
Segunda Praia
Terceira Praia
Quarta Praia
Quinta Praia
Praia do Encanto
Praia Pequena
Praias próximas a vila
Prainha do Forte
Porto de Cima
Ponta da Pedra
Praias nas redondezas
Gamboa
Garapuá
Praia Argila Medicinal
Pratigi
Boipeba
Ponta do Curral
Ponta do Curral
O Que Fazer
Baleia Jubarte
City Tour
Trilhas de Aventura
Esportes náuticos
Ponta do Curral e Gamboa
Informações
Passeeios
Noite
Esporte & Lazer
Passeio de Barco a Vela
Aluguel de Caiaques
Passeio de Tirolesa
Passeio de Kite Surf
Passeio Pesca Esportiva
Mergulho com cilindro
Surf / Aulas de Surf
Passeio de Banana Boat
Notícia: Show Sucesso de Nando Reis
Passeio a Cavalo
Passeios e excursões
Passeio Volta a Ilha
Passeio Pirata do Morro
Passeio Garapuá em 4x4
Passeio Pancada Crande
Passeio de ultraleve
Caminhada Ecológica
Trilha Ecológica
Arte & Cultura
Atelier do Encanto
Feira de Artesanato
Artistas no Morro Online
Artesãos do Morro
Museus
Escritores
Religiosidade
Gente Daqui
Educação & Livros
Monumentos
Fortaleza
Forte
Farol
Fonte do Imperador
Igreja N.S da Luz
Casarão
Serviços Gerais
Telefones Úteis
Perguntas Frequentes
Tábua de Maré
Tô no Morro online
Companhias Aéreas
Entrevistas
Jornais
Online 24 Horas
Rodovias
Ondas
Empresas & Show Room
Rádio
Web Site
Site de Busca
Utilidade
Blogs
Embaixadas & Consulados
Delegacia de Polícia
Livro de Visita
Empregos
Profissionais
Governo
Modelos de Embarcações
Associações & ONGs no Morro
Achados & Perdidos em Morro
Registro de Domínios
Receitas
Humor
Prefeitura & Secretarias
Projetos Sociais
Mande sua História
Aeroportos Bahia e Brasil
Estéticas
Prestação de Serviços
Tatuagens
Lavanderias
Advocacias em Morro
Pet Shop
Telemensagens
Comidas Típicas
Bancos
Clima
Notícias Anteriores
Carnaval na Pousada
O Portal do Morro
Quem Somos
Anúncios grátis no Morro
Links
Sugestões & Reclamações
Agradecimentos aos Leitores
Classificados Grátis
Imóveis & Terrenos
Venda
Natureza
APA - Proteção Ambiental
Ecologia
Consciência Ambiental
Eco Turismo
Mangues
Saúde & Beleza
Clínicas
Odontologia
Atrações Próximas
As Praias da ilha
Cairú
Ilha de Boipeba
Valença
Nazaré
Ilha de Itaparica
Salvador
Roteiros do Morro
Restaurantes
Lua de Mel
Melhor Idade
Para Crianças
Mochileiros
Salvador da Bahia
História
Destinos
Hotéis
Pousadas
Albergues em Salvador
Igrejas e Capelas
Casas Noturnas
English
Brasil
Descobrimento do Brasil
Sobre o Brasil
Golfe no Brasil
Parques Nacionais
Esporte Radicais
Estradas
Estados com Site
Cidades do Brazil
Praias
Informações Governo
Educação
Arte no Morro Online
Fusos Horários
Hotéis
Fronteiras e Limites
Limites do Brasil
Turismo
Destinos Brasileiros
Glossário Turismo
Utilidades Publica
Cartões Postais
Agências de Notícias do Brasil
Amor & Amizade em Morro
Jogos Online em Morro
Arquitetura & Artes em Morro
Astrologia & Astronomia
Biblioteca
Carnaval
Carros & Motos
Cinema
Concursos
Cultura Diversos
Editoras
Esoterismo
Esportes
Futebol
Games
Imperdíveis
Informatica
Instituições
Internet
Livrarias & Livros
Mulher
Musicas & Letras
Navegando
Países
Personalidades & Pessoais
Politica & Partidos
Portais
Rádios
Revistas
Superinteresante
Parcerias
Comprar Fotos
Faça seu site
Viagem & Turismo
Dicas rápida como chegar
Melhores fotos do Morro
Não Perca Tempo
Reserve online: rápido e fácil.
Escolher sempre é bom
Relato de viagem: Indo para Morro de São Paulo
blog do Morro sp
Morro On Line - 4x4 - Passeios e expedições off-road
Universidades
Dicas e informações úteis
Hotéis e Pousadas em até 2X sem juros - Descontos imperdíveis à vista!
Programação copa 2014.
Reserve já seus passeios, pousadas, hotéis carnaval com antecedência.
Guia do Morro
Agências de Turismo
PORTAIS DE TURISMO
Cidades Turisticas
Hotéis Internacionais
SPAS
Hotéis em site
Empresas Aéreas
Cruzeiros
Locadoras tarifas
TRANSPORTE
PARQUES
MUSEUS
Escolas de Turismo
VARIEDADES
Guia Gigante - Hotéis e Pousadas Morro de
Morro de São Paulo - Bahia - Brasil
nike runners hollister ireland nike ireland louis vuitton bags ireland adidas schuhe nike schuhe schuhe kaufen taschen outlet louis vuitton bags australia nike outlet adidas shoes australia polo ralph lauren australia converse australia timberland australia adidas australia nike australia adidas buty puma buty hollister sklep converse damskie louis vuitton torebki timberland buty nike air max damskie nike buty new balance damskie polo ralph lauren suomi louis vuitton laukku adidas outlet nike outlet
Zapatillas nike zapatillas reebok nike air max blancas ropa abercrombie gafas ray ban zapatillas under armour gafas de sol ray ban Gafas carrea new balance hombre botas futbol zapatillas asics new balance mujer zapatos casuales Zapatillas air jordan nike sb nike corte zapatillas vans zapatos timberland zapatillas sport zapatos de mujer nike free puma zapatillas zapatos gucci botas de futbol nike presto gorras new era Gafas oakley bolsos louis vuitton Adidas Neo cinturones gucci zapatillas saucony zapatillas de moda Adidas Originals Adidas Yeezy nike air force
Turismo em Morro de São Paulo Online, Bahia Brasil - Morro De São Paulo - OnLine Viagem

Morro De São Paulo - OnLine Viagem


















    BRASIL
    AMÉRICAS
    EUROPA
    E +
    SEU ESTILO
    HOTÉIS
    BLOG
    NEVE 2014

Viaje: Home / Barra Grande, Barra Grande & Maraú, Boipeba, Canavieiras, Capa, Comandatuba, Ilhéus, Itacaré, Itaparica, Miniguias, Morro de São Paulo / ATUALIZADO: miniguia da Costa do Dendê e Costa do Cacau :-)
ATUALIZADO: miniguia da Costa do Dendê e Costa do Cacau :-)

Luk Americano • 19 dezembro, 2013

Praia de São José, Itacaré

[Praia de São José, Itacaré]

Desde o início da noite de ontem o Miniguia de praias: Costa do Dendê e Costa do Cacau está atualizado com as dicas que eu coletei in loco na minha temporada baiana deste ano.

Eu chamo esses posts de Miniguias porque eu tento resumir o essencial e o mais bacana de uma região inteira num post só — mas na verdade é um tijolaço que deve dar quase um livro, se você imprimir :-)

Estão lá: Itaparica, Morro de São Paulo, Boipeba, Barra Grande & Península de Maraú, Itacaré e Ilhéus (com Comandatuba e Canavieiras), com dicas novas e redondinhas de deslocamento e restaurantes, além  de pousadas abertas recentemente  que não estão em, ahn, famosos guias impressos…

Se você está indo para a região (ou conhece alguém que vá para lá), dê uma passadinha, escolha seu destino e garanto que você vai ser muito feliz.

Em tempo: o Miniguia de Salvador e Litoral Norte (com Guarajuba, Itacimirim, Praia do Forte, Imbassaí, Costa do Sauípe e Linha Verde) já está atualizado há um tempinho. Semana que vem eu publico a atualização do Sul da Bahia (Santo André, Porto Seguro, Arraial d’Ajuda, Trancoso, Espelho, Caraíva, Corumbau, Cumuruxatiba e Abrolhos).

Atualize-se:

Miniguia de praias: Costa do Dendê e Costa do Cacau

Miniguia de praias: Salvador e Litoral Norte

Siga o OnLine Viagem no Twitter – @OnLineviagem

Siga o Luk Americano no Twitter –

Visite o VnV no Facebook – OnLine Viagem

Assine o OnLine Viagem por email – VnV por email

   


Categorias: Barra Grande, Barra Grande & Maraú, Boipeba, Canavieiras, Capa, Comandatuba, Ilhéus, Itacaré, Itaparica, Miniguias, Morro de São Paulo
Tags:
5 comentários para “ATUALIZADO: miniguia da Costa do Dendê e Costa do Cacau :-)”

    Tatiana   
    19 de dezembro de 2013 às 10:07 | Permalink

    Adoro a Bahia, é um dos meus destinos prediletos no mundo! Adorei! Abç.
    Luiz Carlos   
    10 de abril de 2014 às 10:08 | Permalink

    Ricardo, bom dia
    estou indo em julho agora 01.07.14 p/ itacare e queria ir ate Morro,de carro. Consigo pela estarda nova.. parto de itacare mesmo?? ou tenho que voltar ate ilheus ?? Tem dica de pousadas nos dois lugares.. Vou eu minha mulher e meu filho 16 anos..Quero gastar pouco, pois ja iremos alugar um carro e gastar nas refeicoes
    No aguardo agradeco pela ajuda
    Luiz Carlos
        A Bóia   
        10 de abril de 2014 às 22:39 | Permalink

        Olá, Luiz Carlos! Quem responde é A Bóia.

        De Itacaré você seguirá pela estrada nova até Camamu, sem precisar passar por Ilhéus. Deixe o carro em Valença.

        Há pousadas econômicas indicadas nos dois lugares, leia com atenção os itens.
    Alessandra   
    8 de maio de 2014 às 19:12 | Permalink

    Olá Bóia, vou a Bahia este mês e gostaria que você indicasse a melhor opção para o sul da Bahia, viajo eu meu marido e meu filho de 2 anos. Se você indicaria Resort ou hotel e qual das praias sairia mais em conta.

    Muito obrigada,

    Alessandra
        A Bóia   
        8 de maio de 2014 às 23:56 | Permalink

        Olá, Alessandra! Porto Seguro é a praia mais em conta.

        Leia sobre o sul da Bahia:
        http://www.viajenaviagem.com/2012/12/praias-bahia-santo-andre-porto-seguro-arraial-ajuda-trancoso-espelho-caraiva-corumbau-cumuruxatiba-prado-abrolhos/

« Puyuhuapi: ‘Eu achei o paraíso e ele fica na Patagônia Chilena’ Retrô da Bóia 2013: os campeões das Charadas da 6a. »


    BRASIL
    AMÉRICAS
    EUROPA
    E +
    SEU ESTILO
    HOTÉIS
    BLOG
    NEVE 2014

Viaje: Home / Capa, Morro de São Paulo, VnVBrasil / #VnVBrasil | Morro de surpresa
#VnVBrasil | Morro de surpresa

Luk Americano • 25 março, 2013

Segunda Praia, Morro de São Paulo

| Segunda Praia |

No fim do ano passado, quando vi pela primeira vez uma foto da pracinha de Morro de São Paulo toda calçada, com lajotas tapando a areia, pensei: acabou de acabar. R.I.P. Morro de São Paulo. Ruazinhas de areia faziam parte do DNA da ilha, e mudar isso seria o sacrilégio final.

Morro de São Paulo

[Pracinha da igreja]

Qual não foi a minha surpresa, semana retrasada, ao pôr minhas Havaianas pela primeira vez sobre o novo piso do Morro e… achar que ficou mó ajeitadinho.

Morro de São Paulo

[Pracinha do alto]

Não, a reforma não foi de mau gosto. E sim, a qualificação urbana é um direito humano :mrgreen:

Fui deslizando minha maleta de quadro rodinhas ladeira abaixo pelo piso lisinho e, se tivesse alguma dúvida de que estava gostando do resultado, um trechinho de 50 metros não-urbanizados, logo antes da escadaria da Segunda Praia, me convenceria de que o calçamento veio para o bem de todos. Aquele trechinho de areião é um souvenir da Morro antiga — um equivalente ao pedaço do Muro de Berlim que preservaram sem derrubar.

Morro de São Paulo

[Último trecho entre a Primeira e a Segunda Praias]

A Segunda Praia me aguardava com mais (boas) surpresas.

Morro de São Paulo

[Segunda Praia]

Uma passarela de madeira (igualmente própria à rolagem de maletas) faz as vezes de calçadão. Os restaurantes aproveitaram a larguíssima faixa de areia para instalar mesas sobre a areia, que ficam muito charmosas à noite.

Morro de São Paulo

[Segunda Praia à noite]

A calçada da Terceira Praia — primeira obra de requalificação urbana da ilha — também continua bonitona (não sei se mexeram) e tem agüentado firme as maiores marés.

Terceira Praia

[Terceira Praia]

Claro que os pioneiros e saudosistas dirão que a Morro de São Paulo que eles conheceram acabou. E têm razão. Só que não acabou agora, com as obras. Aquela Morro acabou quando foi descoberta. Num primeiro momento, a ilha não soube administrar o crescimento, e ficou à beira da favelização. Mas a decadência foi revertida e, se Morro não é mais o que era, pelo menos continua a ser um destino de praia com personalidade própria. A ilha tomou um banho de loja à la Praia do Forte, mas não encaretou.

Morro de São PauloSegunda Praia

[Píer | Segunda Praia]

Fiquei feliz de encontrar o lugar lotado de argentinos e italianos. E de ver preços camaradas nos bares e restaurantes — dá para comer picanha ou camarão por 25 ou 30 reais por pessoa; é difícil uma caipiroska que custe mais de R$ 10. É uma beleza perceber o turismo independente funcionando a milhão: meios de hospedagem pequenos, gringos e brasileiros desempacotados, transporte fácil, passeios compráveis na hora.

Garapuá

[Garapuá]

Talvez Morro de São Paulo não seja mais a sua praia. Mas é a praia de muita gente que adora. Eu curti :mrgreen:

Leia mais:

Miniguia de praias: Costa do Dendê

Mais uma maneira de chegar a Boipeba

Pamonha (ou: você é o que você come)

Goiânia: o circuito art-déco

Mar de Brasília

No Jalapão, sem bóia

Belém: o Círio de um não-devoto

Um dia no Marajó

Alter que enfim

Instapost: de Santarém a Manaus de barco

Botos de Novo Airão, o programa mais barato da Amazônia

Cidade de Goiás, o retorno

De Pirenópolis, com o meu cordial Feliz Natal

Siga o OnLine Viagem no Twitter – @viajenaviagem

Siga o Luk Americano no Twitter – @LukAmericano

Visite o VnV no Facebook – OnLine Viagem

Assine o OnLine Viagem por email – VnV por email

   


Categorias: Capa, Morro de São Paulo, VnVBrasil
Tags:
79 comentários para “#VnVBrasil | Morro de surpresa”

    Paula Ribeiro   
    26 de abril de 2014 às 2:42 | Permalink | Responder

    Olá,
    A minha mãe é idosa e deficiente física. Não é cadeirante. Usa um triciclo, mas não consegue caminhar na areia. Fomos pra Aracaju no ano passado e ela não foi à praia em frente ao Hotel, já que não sabíamos da enorme faixa de areia.
    Por favor, em Morro de São Paulo, ela conseguirá aproveitar ?
    Estamos pensando em ficar no Patachocas. É uma boa escolha ? Também tenho uma filha de 3 anos e, depois de ler todas as suas dicas, pensei neste resort.
    Obrigada,
    Paula Ribeiro
       OnLine   
        26 de abril de 2014 às 9:42 | Permalink | Responder

        Olá, Paula! O hotel é perfeito para sua filha. Morro de São Paulo, no entanto, não é um destino amigável para quem tem problemas de locomoção. Caso a idéia seja apenas descansar no hotel, a faixa de areia em frente é estreita, sim, sobretudo na maré alta.

« Anterior 1 2   
ATENÇÃO:
Antes de perguntar, veja se a dúvida já não está respondida no texto. Perguntas redundantes e comentários em maiúsculas serão apagados. Obrigado!

Nome *

Email *

Website

« Transporte na Disney: siga aquele Mickey #VnVBrasil | Às piscinas naturais de Taipu de Fora, em Maraú »




    Rosa Bsb   
    25 de março de 2013 às 10:18 | Permalink | Responder

    Só conheço a Morro de agora.
    Eu curti muito 2. Uma grata surpresa!
    Luciana   
    25 de março de 2013 às 11:01 | Permalink | Responder

    Se eu soubesse disto sem o seu texto ficaria com a impressão de que o lugar perdeu a sua magia. Parabéns pelo post, acredito que traduziu bem a mudança.

    Fiquei com vontade de voltar para ver o Morro assim.
    cristiane ribeiro   
    25 de março de 2013 às 11:09 | Permalink | Responder

    Assim dá pra levar a própria mala de rodinhas e dispensar o táxi…rsrsrsr…
    Lívia Mochileira   
    25 de março de 2013 às 11:27 | Permalink | Responder

    Morro é lindo demais viu! Quanto a perder o encanto… não é “asfaltando” que isso vai acontecer! Sou da turma daqueles que foi pra Morro pela primeira vez há uns 10 anos e e achei o calçamento muito lindinho e de bom gosto! Conversei com o pessoal da vila e a maioria gostou, ninguém merece aquele barro todo que ficava com as chuvas. Não se pode pensar só na “magia” da vila e esquecer as pessoas que moram lá né? Quantos aos argentinos… afffffffffff Tá demais, viu! Espanhol é a língua oficial da vila e Morro tá começando a dar um tipo de turismo argentino que eu acho chato… aqueles grupões de hermanos que vem ao Brasil pra tomar fernet, ouvir cumbia e falar do Maradona (nada que alguns grupões de brasileiros não façam a seu modo em Buenos Aires) Fora esse detalhe… Morro é paraíso, sem dúvida!
    Quenia Maia Lourenço - Viagens por aí   
    25 de março de 2013 às 11:54 | Permalink | Responder

    Fui duas vezes ao Morro e passei todos os dias debaixo de chuva, portanto andei muito no barro kkk.
    Ao ler o post, fiquei com vontade de voltar e de preferência com dias ensolarados.
        Júlia   
        11 de dezembro de 2013 às 19:23 | Permalink | Responder

        Quenia, vc poderia me dizer qual época do ano vc foi:
        Obrigada!
    Henrique   
    25 de março de 2013 às 12:55 | Permalink | Responder

    Cadê o botão Curti? Show de post, bateu saudade de voltar a Morro …
    val   
    25 de março de 2013 às 13:03 | Permalink | Responder

    mó depressão seguir vc no insta! *suspiros*
    Vitor J. Nunes   
    25 de março de 2013 às 13:56 | Permalink | Responder

    Vixe que saudade! Morro é tudo de bom e adorável pela democracia de não haver carros. Certo que sua hospedagem e restaurantes podem variar; mas, a praia está linda e serena para todos. Reveillon lá é festa pura e lotação máxima, baixa temporada é paraíso intocável (suspiro).
    Kátia Krauel   
    25 de março de 2013 às 17:21 | Permalink | Responder

    Estive em maio de 2012, dias ensolarados e muita andança…rs
    Na quarta praia andamos pra caramba logo lembramos, temos que voltar, não é que passou uma charrete e pegamos carona, R$…na verdade!Ficamos na Pousada Passargada logo na subida do pier a esquerda, recomendo pois a vista panorâmica é excelente!Queremos voltar.
    --A.L.   
    25 de março de 2013 às 19:28 | Permalink | Responder

    Morro de São Paulo ficaria ótima se tivesse um sistema de gôndolas aéreas (”bondinhos”) que servisse tanto como passeio panorâmico quanto como meio de transporte.
    Luciana Bordallo Misura   
    25 de março de 2013 às 21:20 | Permalink | Responder

    Que maravilha ver uma obra de melhoria turística no Brasil que deu certo! Nunca fui a Morro, tenho vontade de conhecer, é bom saber que o que eu vou encontrar um dia vai ser mais ajeitadinho :-)
    Maria Helena   
    26 de março de 2013 às 8:06 | Permalink | Responder

    Estive em Morro em janeiro último e simplesmente amei de paixão! Charme, ótimos restaurantes, personalidade, lojas transadas, e aquele mar indescritível. O pôr do sol na Toca do Morcego é algo… Recomendo.
    Guta   
    26 de março de 2013 às 11:09 | Permalink | Responder

    Quando fui para Morro no começo de 2011 já tinha essa passarela na 2ª praia mas a praça central ainda era só de areia! Gostei bastante de morro mas ainda acho que quem puder, melhor viajar para lá de mochila ou com uma mala de rodinhas bem pequena e leve para carregar nas partes ainda não “asfaltadas”: evita trazer muito areia de souvenir na volta para casa :-)
    Teresa   
    26 de março de 2013 às 12:13 | Permalink | Responder

    Estive em Morro em 1982! Uau! Só havia ocupação no morro mesmo e na 1a. praia, a travessia para a segunda dependia da maré baixa e dormimos numa cabana na areia da segunda praia…Já havia italianos e alguns bahianos descolados. Paulistas? Só nós!!!
    Sandrissima   
    26 de março de 2013 às 13:02 | Permalink | Responder

    Sou dos saudosistas… O que vc pensou que não haviam mexido, sim, foi mexido. O Morro continua lindo, mas a insalubridade dos becos nos baixios, pousadinhas e mais pousadinhas com janelas “vis-a-vis” não é mais minha praia. Daí tenho ido para as mais, digamos assim, naturais. E abandonando estas para os que gostam. Este sentimento me acompanha em Porto Seguro (atravesso o Buranhén, mesmo que sempre esteja a trabalho e fico do outro lado, ou vou a Sto Andre), em Itacaré, Imbassaí (cadê o Cascatinha de tanto camping que fizemos lá??? Então vou, por enquanto, para mais adiante em Sto Antonio), etc.
    Loanda   
    26 de março de 2013 às 15:01 | Permalink | Responder

    Assim como a Teresa, também estive em Morro pela primeira vez em 1982. A partir da 2ª Praia lembro que só tinha areia e aquele marzão. Voltei em 1996 e ainda estava praticamente igual. Nunca mais voltei … mas pelo visto vou encontrar um lugar muito diferente. Como saudosista que sou, ainda bem que conheci Morro naquela época.
    Rafael   
    26 de março de 2013 às 17:09 | Permalink | Responder

    Muito legal, eu mesmo sou saudosista de mão cheia, mas abro mão se é para melhorar.
    O que não dá é o “progresso” destrutivo das características nativas – daí esse sou totalmente contra.

    Turismo sustentável, local respeitado. Esse sim. :)
    Silnei L Andrade   
    26 de março de 2013 às 18:39 | Permalink | Responder

    Gostei! :)
    Adriana Monteiro da Silva   
    26 de março de 2013 às 18:57 | Permalink | Responder

    Eu tinha ido a Morro há 12 anos e voltei agora no carnaval, tb adorei a mudança, ficou muito legal!
    Alessandra França Piacentini   
    27 de março de 2013 às 23:03 | Permalink | Responder

    Conheci Morro há alguns anos, e voltei para passar este reveillon com toda a família, tá lindaaa demais, preços justos, comida boa, praias maravilhosas, visual incrível, pousadas charmosas e gente alegre!
    Perfeito destino!
    Agora a volta de Morro a Salvador com o Catamara é de matar, pouquíssimas pessoas voltaram sem passar mal de tanto que balançou, sorte que fui uma delas.
    Alis   
    28 de março de 2013 às 0:33 | Permalink | Responder

    Conheço a Morro de antes, preciso voltar agora!
    Olga Silva   
    28 de março de 2013 às 20:59 | Permalink | Responder

    Posso dizer que passei praticamente todos os verões da minha vida no Morro,desde o tempo que não tinha luz, telefone e a dificuldade de acesso era algo inimaginável nos dias de hoje. Com certeza aquele morro não existe mais. As mudanças em nada afetaram sua beleza e magia,muito pelo contrário,continua lindo e digno de uma visita.
    Patrícia B. Maia   
    31 de março de 2013 às 19:25 | Permalink | Responder

    Tb fui a Morro antes e depois, adorei!!!
    Carol Marinho   
    1 de abril de 2013 às 10:47 | Permalink | Responder

    Adoro Morro de São Paulo… e depois da reurbanização, ficou melhor ainda! Um lugar lindo, pessoas hospitaleiras, serviço bacana e preços honestos!!! Volto lá sempre que posso!
    Edimar   
    10 de abril de 2013 às 20:26 | Permalink | Responder

    Caro Luk Americano e demais colegas viajantes.
    Qto muito ir a Morro de São Paulo em minhas próximas férias, em agosto de 2013.
    Gosto de praias do tipo. Posso estar enganado, mas me parece q é muito semelhante a Porto de Galinhas, q amei.
    Minhas dúvidas são:
    - As praias são mesmo muito calmas? Gosto de pegar jacaré nas ondas, então se for muito paradeiro ficarei frustrado.
    - ficar lá uns 10 dias é demais? Gosto de lugares menos agitados, mas tenho medo de acabar enjoando…
    - tem opções de passeios interessantes para tantos dias?
    - nessa época, agosto, costuma chover?
    - não tenho muita grana, consigo um lugar legal pra ficar pagando até uns 120,00 de diária para casal?

    Desculpem tantas perguntas, mas gostaria q estas fossem minhas melhores férias até então…
       OnLine   
        10 de abril de 2013 às 23:35 | Permalink | Responder

        Olá, Edimar! Agosto ainda não é a melhor época para ir, veja:

        http://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/

        As praias são bastante calmas porque o mar é protegido por corais. Não há trechos de ondas como em Porto de Galinhas não.

        Há pousadas nesta faixa, mas são bastante simples. Pesquise em sites como o Booking.
        Daiane Bispo   
        17 de abril de 2013 às 13:37 | Permalink | Responder

        Ola,Boa tarde!

        Sei que nao me fez a pergunta,mas posso tirar algumas duvidas sua.
        Moro em MORRO e se gosta de pegar jacare aqui da pra pegar alguns na 1 praia,la tem umas ondinhas,e no mes de agosto ja da pra aproveitar o lugar.Com relacao a passeios tem alguns sim; tem o volta a ilha,onde voce pode conhecer as ilhas em volta,tem a tiroleza e outras alternativas que voce pode aproveitar.O local pra hospedagem tambem consegue sim para casal nesse valor.Te envio fotos dos locais.Desculpa entra sem ser chamada.
            OnLine   
            17 de abril de 2013 às 13:48 | Permalink | Responder

            Olá, Daiane! Entre sempre que quiser, será bem-vindíssima :D
    Helin   
    12 de abril de 2013 às 17:27 | Permalink | Responder

    olá.. vou pra Itacaré em Agosto e queria saber se é possível ir de Itacaré para Morro de São Paulo pra passar alguns dias.. Qual compensa ficar mais? Obrigada, abraço
     OnLine   
        13 de abril de 2013 às 9:51 | Permalink | Responder

        Olá, Helin! Há ônibus de Itacaré para Valença, onde você pega a lancha a Morro.

        Itacaré tem praias de ondas e ambiente surfista-alternativo; Morro de São Paulo tem praias calmas e ambiente de ilha do Mediterrâneo nos trópicos.

        Leia:
        http://www.viajenaviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    Nina   
    21 de maio de 2013 às 7:48 | Permalink | Responder

    Estou com viagem para Morro marcada, depois vou poder opinar melhor! Estou ficando com receio do catamarã, sou do tipo que enjoa até em roda gigante..
        Liz   
        25 de maio de 2013 às 20:42 | Permalink | Responder

        Tu vai quando? olhe, então sinceramente o catamarã não é pra vc. Tenta falar com o diego da Xerife, ele tem um transfer semi-terrestre que é mais recomendado, vc faz parte da viagem de lancha e parte de van, manda um email que ele te ajuda: pousadaxerife@gmail.com
        boa sorte e boa viagem!!
    Liz   
    25 de maio de 2013 às 20:37 | Permalink | Responder

    Muito bom, as fotos estão perfeitas!!! Adorei
    Conheço Morro e amei demais, já fui 2x e a 3ª não vai demorar. Adorei demais as praias, passeio, aff.. tudo. Fiquei numa pousada bem legal, bem na chegada, no centro. Tipo, quem quer algo básico porém completo e agradável, eu indico essa pousada, é a http://www.pousadaxerife.com.br … ela é uma graça, limpinha, é pequena mas bem organizada, bem localizada, tem um bom café da manhã e o pessoal super gente fina. Além disso, fui com a cassi turismo, acho que é a melhor forma de ir pra morro, te deixa até no hotel ou aeroporto, vale a pena, o pessoal da pousada vende esse transfer, consulta eles. Abraços e boa viagem pra quem vai, em breve voltarei.
    Deusa BsB   
    2 de junho de 2013 às 0:05 | Permalink | Responder

    Olá, mais uma vez aqui com algumas dúvidas.
    Estou indo agora em julho para a Bahia de carro, (adoro viajar de carro, parar onde quiser, conhecer cidades do interior), bom, mas não é sobre isso que tenho dúvida. Quero ir pra Poro seguro(que já conheço), mas tbm quero conhecer Morro de São Paulo e Ilhéus. Que cidade vc recomenda ir primeiro? Quero passar mais ou menos 20 dias de férias.
        OnLine
        2 de junho de 2013 às 8:55 | Permalink | Responder

        Olá, Deusa! O ideal é dar uma parada em algum destino da região de Ilhéus, então subir até Morro, depois voltar para outro destino na Costa do Cacau.

       
            2 de junho de 2013 às 12:34 | Permalink | Responder

            Obrigada pela resposta.
            Quero passar pelo menos 03 dias em cada lugar, não quero ir pra Salvador, adorei o litoral norte de lá, praias muito lindas, mas quero agora ver praias mais isoladas.
    Thaiza   
    19 de junho de 2013 às 13:52 | Permalink | Responder

    Olá!
    Estou com a viagem para Morro marcada agora para o começo de julho… Gostaria de saber se alguém indica alguma empresa confiável que faça os passeios de barco… Me interessei pelo passeio de volta a ilha! Se tiverem mais dicas sobre passeios legais de fazer, agradeço!
    Obrigada..
        OnLine
        19 de junho de 2013 às 19:28 | Permalink | Responder

        Olá, Thaiza! Siga a indicação da sua pousada.
    Fernando   
    26 de junho de 2013 às 20:27 | Permalink | Responder

    Olá, gostaria de saber se em agosto vale a pena ir para morro?
    Pretendo ir no dia 02/08/2013 e ficar até 09/08/2013.
    Será que chove muito?
    Obrigado
      OnLine   
        26 de junho de 2013 às 20:32 | Permalink | Responder

        Olá, Fernando! Você pode pegar alguma chuva. Veja: http://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/
    Helena Carolina   
    26 de junho de 2013 às 21:02 | Permalink | Responder

    pessoal fiquei com uma duvida danada rs…
    Itacare ou Morro de São Paulo?estou planejando para o inicio de setembro com uma amiga, gostamos de praias calmas e sair a noite! alguem me ajuda?
        OnLine
        27 de junho de 2013 às 10:44 | Permalink | Responder

        Olá, Helena! As praias de Morro de São Paulo são mais calmas. Vá a Itacaré se quiser incluir trilhas, rafting e quetais.
    Guilherme   
    15 de julho de 2013 às 12:27 | Permalink | Responder

    Amigos, Boa Tarde.
    Vou sozinho para Morro de São Paulo em Agosto.
    Qual a melhor praia para ficar? ou é melhor ficar no Centro?
    Obrigado,
    Abraços.
        OnLine
        15 de julho de 2013 às 12:31 | Permalink | Responder

        Olá, Guilherme!

        Leia mais sobre Morro aqui:
        http://www.viajenaviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    Isabella   
    21 de julho de 2013 às 17:57 | Permalink | Responder

    Oi pessoal, tenho uma dúvida. Morro é um lugar legal para mergulho? Se for lá tem alguma operadora de confiança?, tô indo agora nesse feriadão do Papa e estava pensando em fazer um batismo.
        OnLine
        21 de julho de 2013 às 18:04 | Permalink | Responder

        Olá, Isabella! Há operadoras de mergulho em Morro, sim. Mergulho (e esportes em geral) não é a nossa especialidade, não saberíamos indicar uma operadora. Procure foruns de mergulhadores.
            Isabella   
            24 de julho de 2013 às 9:11 | Permalink | Responder

            Ok obrigada! Marquei minha viagem pra lá antes de ver aqui a melhor época para ir, agora acho que vou pegar chuva por lá, mas tá valendo…..rsss
    Ana Maria   
    27 de julho de 2013 às 1:01 | Permalink | Responder

    Boa Noite,

    Viajarei de ferias com uma amiga no dia 2 de setembro e ficaremos até dia 15.
    Inicialmente pensamos em ficar 8 dias em Morro 5 dias em Salvador, porém uma amiga disse que 8 dias é muito em Morro e que eu deveria incluir no roteiro Praia do Forte.
    Alguém tem alguma sugestão de roteiro que inclua estes 3 lugares e qual deveria ir primeiro? Ou vale mais a pena seguir a ideia
    inicial (apenas Morro e Salvador)?

    Muito obrigada
        OnLine
        27 de julho de 2013 às 8:32 | Permalink | Responder

        Olá, Ana Maria! Aqui no OnLine Viagem entendemos que praia é para descansar, e que não há limite para descanso. Quanto mais tempo num paraíso, melhor… Você entenderá isso quando encontrar a sua praia.

        Querendo dividir a sua estada com outras praias da Costa do Dendê, use este guia:
       
    1 de agosto de 2013 às 23:24 | Permalink | Responder

    Oi, estou em Morro de São Paulo no início de setembro. Chove muito em setembro? Se puder, responda. A data é de 02 a 10.
    Desculpa os erros e obrigado.
        OnLine
        1 de agosto de 2013 às 23:29 | Permalink | Responder

        Olá, Bale!

       
            Bale   
            2 de agosto de 2013 às 23:11 | Permalink | Responder

            112 é chuva? Não entendi. Se puder ajudar.
            Obrigado.
                OnLine
                2 de agosto de 2013 às 23:56 | Permalink | Responder

                Olá, Bale! Leia o início do texto, os índices estão explicados.
                    Bale   
                    3 de agosto de 2013 às 20:06 | Permalink | Responder

                    Sim, entendi.
                    Obrigado.
    Danielle   
    10 de agosto de 2013 às 20:03 | Permalink | Responder

    Oi OnLine estou querendo ir para Morro em Janeiro com meu marido e 2 filhos de 11 e 13 anos. Gostaria de saber se indica a melhor praia para ficarmos Segunda ou terceira e se há alguma dica de pousadas boas. E gostaria de saber se Itacaré fica perto para ir de morro passar 2 dias e voltar para Salvador.
    Obrigada
        A Bóia   
        10 de agosto de 2013 às 22:26 | Permalink | Responder

        Olá, Danielle!

        De Morro para Itacaré você perde pelo menos meio dia na viagem — é preciso ir de lanha a Valença e lá pegar um ônibus que levará umas 3h a Itacaré. Uma estada de dois dias é muito curta para tanto perrengue.

        Leia mais sobre todo esse litoral, incluindo indicações de pousadas:
        http://www.OnLineviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    Danielle   
    11 de agosto de 2013 às 11:54 | Permalink | Responder

    Oi Boia,obrigado. Já olhei o site, realmente tem muitas dicas.
    Pensei em ficar uns 5 dias em cada lugar Morro e Itacaré, mais o dia de viagem. Assim vc acha que valerá a pena. Por serem proximas pensei em conhecer os dois. Faria o percurso descendo de Salvador- Morro- Itacaré – ilheus. Será que vale a pena.
    Danielle
        OnLine
        11 de agosto de 2013 às 17:57 | Permalink | Responder

        Olá, Danielle! A combinação é possível e a logística é boa. A permanência em Itacaré vai depender do número e natureza dos passeios que você queira fazer por lá. Reserve um dia para cada passeio que quiser fazer. Caso queira apenas curtir praia, dois ou três dias já valem.
    Danielle   
    11 de agosto de 2013 às 20:14 | Permalink | Responder

    Otimo OnLine obrigada. Suas dicas sempre me ajudam e fazem parte de minha viagem
    Aline Matos   
    28 de agosto de 2013 às 17:52 | Permalink | Responder

    Lugar fantástico! Um clima descontraído e mágico! Viajei para lá com meu marido em agosto/2013. Choveu todos os dias pela manhã e à noite ou madrugada, mas conseguimos aproveitar mesmo assim! Acho que fora da época das chuvas deve ser melhor… mas fez calor e sol também todos os dias, vimos o pôr do sol na Toca do Morcego e foi maravilhoso! O lugar é bem exótico! Não conheci Morro antes, mas como está, achei perfeito! O que eu gostaria de pontuar para quem está indo pela primeira vez como nós e está de mala média ou grande, vale a pena pagar o “táxi” de carrinho de mão. Ficamos hospedados na segunda praia e foi um suplício carregar a mala até lá. São muitas ladeiras, as ruas tem muitos sobressaltos. Vc chega muito cansado da viagem e com o estômago revirado, fui carregando a mala na chegada e me arrependi amargamente. Para quem está de mochila ou mala pequena bem leve, ok, mas fora isso, não vale a pena. Pagamos vinte reais por duas malas quando fomos embora, e se o carregador me cobrasse cinquenta eu ainda acharia barato… Outra coisa, no passeio de volta à ilha fique atento à tábua das marés e ao horário de saída da lancha, para conseguir aproveitar as piscinas, pois a maré sobe rápido. Prefira ir direto para Moreré, que é muito melhor que Garapuá. E não almoce no restaurante indicado pelo pessoal da lancha em Boca da Barra, a comida é cara e ruim e se vc quiser comer ostras depois, vai ficar sem fome. É melhor pedir um petisco do que comida. Se quiser comer a lagosta do Guido, depois vai ter que encarar uma trilha de 45 min até boca da barra pois a lancha não volta para te buscar, sendo que nos deram duas horas para comer e fazer a trilha. O passeio foi bom, mas achei corrido. Voltaria a Boipeba com mais calma, se o tempo estivesse mais firme.
    Em Morro só tem agência bancária do banco do brasil e bradesco, mas todos os lugares que fomos aceitava cartão de débito, alguns crédito, até o passeio de barco eles passavam no cartão. Não há necessidade de levar muito dinheiro, só como reserva para pequenas despesas mesmo… não deixe de conhecer a praia da argila! Foi muito legal! Vá caminhando na maré baixa e almoce em Gamboa, a comida tem um preço melhor do que Morro e estava deliciosa! A volta tem que ser de barco mesmo, a maré enche muito, mas é baratinho. Meu marido amou a tirolesa! Não sei como fica o mar em outra época, mas em agosto, fica muito, mas muito agitado mesmo. Passei muito mal no catamarã. Eu e todo mundo! É mais rápido que o meio mar/ terra, mas foram duas horas e meia dentro da máquina de lavar, com todas aquelas pessoas vomitando em volta, foi terrível. Dois dias depois minha cabeça ainda rodava quando deitava para dormir. Nunca mais vou de catamarã. Voltamos fazendo uma peregrinação por mar / terra, por Itaparica, demorou muito mais, mas foi super tranquilo. Tem o avião monomotor, mas é bem mais caro, uns 300,00 reais por pessoa contra 75,00 dos outros meios. Vai depender do bolso… Compre os passeios lá, tb pagamos mais barato negociando na hora do que pela internet, além de vc ter que verificar a tábua das marés antes do passeio… Lugar mágico! Não tem como não se apaixonar! Morro de saudade!!!
    Tatiane Dias   
    2 de setembro de 2013 às 17:20 | Permalink | Responder

    Passamos 7 dias no Morro de São Paulo em Julho!
    Apesar de ser um mês de chuvas, pegamos apenas 2 manhas de chuva e mesmo assim conseguimos fazer todos os passeio que pretendíamos.

    Mas como já foi dito, você pode ficar 3 dias ou 15, sempre terá alguma coisa a fazer.

    Queremos voltar mais na alta temporada para ver as águas cristalinas como nos falaram que costuma ser em épocas de poucas chuvas!
    Georgia   
    29 de setembro de 2013 às 21:16 | Permalink | Responder

    Vcs indicam algum bom hotel em Morro? Pensando em ir no Reveillon.
        OnLine
        30 de setembro de 2013 às 6:53 | Permalink | Responder

        Olá, Georgia! As indicações do Luk Americano estão neste post:

        http://www.OnLineviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    Gabriela   
    27 de outubro de 2013 às 19:22 | Permalink | Responder

    Peço dicas: Qual praia pra se hospedar? Recomendam alguma pousada descolada? Valeuuu!
        OnLine   
        27 de outubro de 2013 às 19:25 | Permalink | Responder

        Olá, Gabriela! Veja todas as dicas no Miniguia: http://www.OnLineviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    Túlio   
    7 de novembro de 2013 às 14:51 | Permalink | Responder

    Olá! Eu e minha esposa vamos passar o Reveillon em Morro. Nossa pousada, que é na segunda praia, não terá ceia e estamos com dificuldade de encontrar algo bacana. Todos os bons hotéis que liguei somente oferecem o serviço para hóspedes. Nossa intenção seria cearmos em algum lugar, e perto da meia-noite irmos para a praia. Alguma sugestão, Bóia e Ricardo?
    Abs
        OnLine   
        7 de novembro de 2013 às 19:01 | Permalink | Responder

        Olá, Túlio! O Réveillon é na areia da Segunda Praia. Aproveite o serviço de bordo das barraquinhas. Os restaurantes da passarela também devem oferecer ceia. Não se preocupe, não temos notícia de gente que tenha morrido de fome ou sede no Réveillon na ilha :D
    Tata   
    18 de novembro de 2013 às 21:15 | Permalink | Responder

    Oie A OnLine Riquee!!! Acabei de chegar de Morro e fiquei na praia do encanto!! Amei muito mais do que quando fiquei na 2ª praia e na Vila… a praia é um deslumbre!! Coloquei dicas de como chegar, opções de lazer, restaurantes e fotinhas, tudo no meu blog!! Quem se interessar, é só passar por lá: http://tataviajante.blogspot.com.br/2013/11/morro-de-sao-pauloba-praia-do-encanto.html.
    E A OnLine, a foto da minha capa no blog é em sua homenagem!! Toda vez que posto aqui me lembro da minha OnLine inseparável que não viajo sem ela e que me faz tão felizz kkk!!! bjosss
        OnLine   
        18 de novembro de 2013 às 21:19 | Permalink | Responder

        :mrgreen:
    Graziela Porto   
    22 de novembro de 2013 às 14:16 | Permalink | Responder

    Cheguei do Morro hoje, simplesmente amei. Vou deixar as minhas dicas. Fiz o transporte semi terrestre foi tranquilo, demora mais mas para quem passa mal o catamarã anda em alto mar e tem muitas ondas. Fiquei na Villa dos Grafittis uma pousada honesta na segunda praia. Fiz o passeio de volta a ilha, baita carimbada na carteirinha da FUNAI, tudo bem que estava nublado e o mar com muitas ondas. Mas o bom mesmo é curtir a praia e o por do sol no Morro.
    maria paula   
    11 de dezembro de 2013 às 9:58 | Permalink | Responder

    Bom dia OnLine!!! Gostaria de saber sobre a compra da passagem para Morro de São Paulo. Entrei em contato com a pousada onde temos reserva e ainda não me passaram os valores e o que precisa…Vamos dia 5/01/2014! Acho que já está em cima para adquirirmos os tíquetes. É confiável comprar por algum site que tu indicas?! E, fica muito mais demorado irmos conjugado com transporte terrestre?! Obrigada!
        OnLine   
        11 de dezembro de 2013 às 11:32 | Permalink | Responder

        Olá, Maria Paula!

        Aqui está o miniguia de Morro de São Paulo:
        http://www.OnLineviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    mariapaula   
    2 de março de 2014 às 15:50 | Permalink | Responder

    Boa tarde!!Estivemos em Morro de São Paulo, em janeiro desse ano e amamos o lugar!!Chegar na ilha pelo mar, não é das melhores experiências.Fomos e voltamos de catamarã, 2horas ida/2horasmeia volta.Como já indicado, tomei um dramim no café da manhã e,uma hora antes de partir, mais outro. A ida foi tranquila,sempre do lado de fora, olhando a paisagem no horizonte…mas teve gente que passou mal…Já na volta,fiz o mesmo procedimento, tomei o dramim…porém…como havia comentado um tripulante na ida,falou que na volta o mar era mais agitado…fato!Logo na saída do porto no Morro, o catamarã já começou a sacudir!Mas a sacudir MESMO e MUITOOOO!! As ondas, muito altas, faziam com que a embarcação movimentasse para todos os lados.Pensei que íamos virar.Fomos pela empresa Biotur.Achei que iriam falar sobre os procedimentos de segurança…que nada. Nem na ida muito menos na volta, que foi um verdadeiro horror a bordo. Muitaaaa gente passando muito mal,pessoas desmaiando na minha frente sem falar…(desculpem-me)em vomitar…só não vomitei as “tripas” porque não dava, de resto…tudoo.No final da viagem,a embarcação era aquilo, muito suja…Estou dando aqui, mais um depoimento da experiência que tive, depois de ler de outras pessoas aqui no post, sobre essa travessia.Mesmo assim,Morro é lindaaa!!Deixo aqui, algumas dicas do lugar!Levar chinelo e sapatos muito confortáveis para boas e muitas caminhadas!Para almoço ou jantar,vale a pena lugares como:a pousada Minha Louca Paixão, que funciona também, como pousada.Fica na 3ªpraia,em frente ao mar,os pratos são maravilhosos com preço bem em conta. Outro é o Casarão, que fica na pracinha Aureliano Lima.É um lindo sobrado,o mais antigo da Vila.Seus pratos são deliciosos!!!Para quem quer deliciar-se com um saboroso acarajé, vá,mais no final da tarde,no Acarajé do Braz, que fica na rua Caminho da Praia.Muito bem atendido,tudo muito limpo,organizado,decorado.O acarajé é ótimo e, em janeiro,custava 8.00reais.Para quem aprecia picolés de frutas regionais,o que não falta no nordeste,há sempre uma “carrocinha” BON GRAN, vendendo de todos os sabores, na praça Aureliano Lima, ao preço de $2.50. Vale muito a pena, não só pelo preço mas pelo sabor das mais diferentes frutas.Uma verdadeira delícia!!Para fechar com chave de ouro, uma “cacaupirosca” no cacau mesmo, uma maravilha!!!Peça uma numa das muitas barraquinhas instaladas na rua Caminho da Praia ou na 2ªpraia, ao anoitecer!Por ser uma ilha,os valores praticados por lá, são justos.A logistica para o transporte da mercadoria chegar até ao seu destino final, não é fácil, justificando seu preço.Por exemplo:uma garrafa de água de 1litro/meio, no supermercado, saía por $4.00.Isso na alta temporada.Enfim,agora MORRO DE SAUDADES!!!
    Cibele   
    3 de março de 2014 às 12:01 | Permalink | Responder

    Olá ! Vou para Morro em Abril na Páscoa. Vale a pena ir esta época? Chove muito? É verdade que há passeios para ver as baleias? Seu blog está sendo o melhor sobre Morro de São Paulo. Obrigada
        OnLine
        3 de março de 2014 às 12:04 | Permalink | Responder

        Olá, Cibele! Abril já pode chover, sim. A época em que as baleias aparecem na Bahia é entre julho e outubro.

        Leia mais sobre a região:
        http://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/

        http://www.viajenaviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    Willians Marques   
    30 de março de 2014 às 6:47 | Permalink | Responder

    Olá Ricardo, também sou dos que conheceu Morro a tempos atras, quando para ir da 2 a 3 praia dependia da maré! Mas assim como vc também achei muito legal a urbanização que foi feito, pois deixou mais prática e limpa a vila!

    Com relação a sua foto sobre o ultimo trecho de terra entre a primeira e a segunda praia, virou item de museu rs pois já foi calçada também!

    Parabéns pelo blog, deve ser minha quinta ou sexta viagem que me baseio em suas dicas!


   

    BRASIL
    AMÉRICAS
    EUROPA
    E +
    SEU ESTILO
    HOTÉIS
    BLOG
    NEVE 2014

Viaje: Home / Bahia, Barra Grande, Boipeba, Canavieiras, Comandatuba, Dendê-Cacau, Guia de praias, Ilhéus, Itacaré, Itaparica, Morro de São Paulo, Península de Maraú / Miniguia de praias | Bahia: Costa do Dendê e Costa do Cacau
Miniguia de praias | Bahia: Costa do Dendê e Costa do Cacau

Luk Americano • 9 dezembro, 2012

Morro de São Paulo

[Morro de São Paulo]

ATUALIZAÇÃO | 18.12.2013

Em boa parte da Costa do Dendê — Morro de São Paulo, Boipeba, Barra Grande, Península de Maraú — carros são quase inúteis: você precisa deixar no continente para aproveitar praias intocadas das ilhas e da península. Um pouco mais ao sul, em Itacaré, você descobre uma paisagem diferente de todo o Nordeste: enseadas limitadas por montanhas verdíssimas. E na Costa do Cacau — Ilhéus, Una, Comandatuba, Canavieiras — o bacana é fazer passeios além da praia.

–> ESTRATÉGIA & ROTEIROS

Para Morro de São Paulo e Boipeba, chegue por Salvador. Se seu destino for Itacaré ou Barra Grande/Maraú, voe a Ilhéus.

Entre Salvador, Morro, Boipeba e Barra Grande, só vale a pena estar motorizado caso você tenha vindo com o seu carro de outro lugar. Alugar um carro para fazer este trecho é bobagem, já que o possante ficará parado no “continente” enquanto você estiver nas ilhas (Maraú é uma península, mas se comporta como uma ilha). Já em Itacaré e Ilhéus um carro dá mobilidade para fazer todos os passeios.

Devido às dificuldades de deslocamento entre Salvador, Morro, Boipeba e Barra Grande, pense duas vezes se a sua intenção for pular de ilha em ilha — você corre o risco de passar suas férias em trânsito. Programe pelo menos três pernoites a cada parada na região.

Valença é o “hub” da Costa do Dendê. Cada ferry que chega a Bom Despacho, em Itaparica, tem conexão imediata com ônibus e vans que seguem a Valença. De Valença saem lanchas para Morro e Boipeba. Há também ônibus de Bom Despacho e também de Valença a Camamu (de onde partem as lanchas para Barra Grande) e Itacaré.

Desembarcando em Ilhéus, vale a pena alugar um carro já no aeroporto. A rodoviária está a menos de 10 minutos de táxi; de lá saem ônibus para Canavieiras, ao sul, Itacaré, ao norte, e também Camamu (onde você pega a lancha para Barra Grande).

Role a página para ler mais sobre Morro de São Paulo, Boipeba, Barra Grande & Maraú, Itacaré, Ilhéus, Una e Comandatuba.


View Praias da Bahia: Costa do Dendê e Costa do Cacau in a larger map

.

ILHA DE ITAPARICA

Praia da Penha

[Praia da Penha, Itaparica]

É a sua praia: se você está hospedado no Club Med — ou se está no Pelourinho e quer pegar uma praia perto que não seja a Barra

Não é a sua praia: se você está interessado em curtir Salvador

–> Vai por mim: Ilha de Itaparica

Os barcos (chamados pelos soteropolitanos de lanchas) que saem do Terminal Marítimo em frente ao Mercado Modelo em vinte minutos deixam você em Mar Grande, cidade praiana que já foi reduto de veraneio da burguesia baiana. Os ricos se mudaram para um pouco mais adiante, a praia da Penha, mas as prainhas próximas ao desembarque continuam lindas (e com mar calmíssimo). Num dia de semana, é uma ótima alternativa para pegar praia se você está hospedado no Pelourinho (a R$ 4 o trecho — R$ 5,40 nos fins de semana — sai mais barato do que ir de táxi ao Porto da Barra!). Já no fim de semana, essas praias ficam crowdeadas.

A praia mais bonita (no conjunto mar + ocupação do entorno) é a da Penha, que está a 9 km do píer de Mar Grande, pela estrada — mas que está a 45 minutos de caminhada pela orla (passando por um trecho de pedras). Trata-se de um condomínio mais ou menos fechado; as vans de Mar Grande não têm permissão para entrar, e por isso têm que deixar os passageiros na saída da estrada, a 2 km. É um território demarcado da elite soteropolitana, que vem passar o dia a bordo de suas lanchas (e transforma a praia, nos fins de semana, em um verdadeiro iatódromo). No meio da praia, porém, há quiosques estruturados que atendem aos sem-iate. Num dia claro você verá o skyline do Corredor da Vitória (de onde partem muitas dessas lanchas).

Querendo almoçar perto do píer em Mar Grande, a pedida é o Pimenta de Cheiro, que tem um famoso peixe na pedra. Uma quadra para trás, o Manga Rosa (na pousada Arco-Íris) é bastante elogiado. Já o Volta ao Mundo funciona como quilo na hora do almoço (e tem um extenso cardápio no jantar).

Quem vem de carro precisa usar o ferry-boat, cujo desembarque é em Bom Despacho. Aproveite que está motorizado para dar um pulinho na vila de Itaparica, que fica para aquelas bandas; visite o forte e coma nas barracas da praia de Ponta de Areia.

Se for até Caixa-Pregos – que não fica no fim do mundo, mas apenas no fim da ilha – negocie com um barqueiro para ir à praia da Ponta do Garcez, passear pelo manguezal da contracosta da ilha e visitar o vilarejo colonial de Jaguaripe.

Leia mais: Como pegar praia em Itaparica (sem carro nem iate)

–> Onde ficar: Ilha de Itaparica

Trinta anos depois de aberto, o Club Med Itaparica continua, fácil, um dos mais resorts bonitos do Brasil; os quartos são rústicos em comparação aos mais novos, mas a estrutura (com all-inclusive) e a animação são invejáveis.

Na vila de Mar Grande, a Pousada Arco-Íris ocupa a sede de uma antiga fazenda e recebe um pessoal animado no fim de semana.

–> Como chegar: Ilha de Itaparica

De carro, pegue o ferry-boat em São Joaquim; em 50 minutos você desembarca em Bom Despacho. Não há mais esquema de reserva de horário; é preciso aguardar na fila — o que pode ser um problema nos fins de semana e feriados.

Estando a pé, embarque nas lanchas que saem do Terminal Marítimo em frente ao Mercado Modelo, e que chegam a Mar Grande em meia hora. A passagem custa R$ 4 nos dias de semana e R$ 5,40 no fim de semana. De Mar Grande saem vans para outros pontos da ilha.

MORRO DE SÃO PAULO

Segunda Praia

[Segunda Praia, Morro de São Paulo]

É a sua praia: se você quer mar calmo e noites agitadas

Não é a sua praia: se você não curte, ou não pode, caminhar

–> Vai por mim: Morro de São Paulo

Morro de São Paulo é o que temos de mais parecido com uma ilha grega – não nos quesitos paisagem ou arquitetura, claro, mas no departamento animação. O ano inteiro, gringos alternativos fazem de Morro uma esticada sagrada de suas viagens a Salvador; no verão, é a vez dos brazucas se juntarem a eles, aumentando o quórum para o festerê.

Recentemente, o coração da ilha foi urbanizado. As ruas do centrinho, que eram de areia, foram calçadas. A Segunda Praia ganhou um deck de madeira sobre a areia, que à noite se transforma numa esplanada de restaurantes. Já o deck da Terceira Praia protege a orla da erosão e passou a permitir a passagem confortável em qualquer maré.

Leia mais: Morro de surpresa: não é que o calçamento ficou bom?

Quarta Praia

[Quarta Praia]

O centro de gravidade da muvuca é a Segunda Praia, onde todos vêm torrar de dia e ferver à noite (informe-se sobre os luaus). A Primeira Praia é pouco freqüentada e costuma ter ondas; a Terceira Praia quase não tem areia na maré baixa; a Quarta Praia é extensa, rasa e ótima para caminhadas. Para ir à reservada Praia do Encanto — ou Quinta Praia — você vai precisar pegar uma jardineira ou jipe (que trafegam por uma estrada que vai pelo interior, não pela areia).

Prepare-se para caminhar muito: para subir a ladeira ao chegar de barco, para descer e subir entre o centrinho e a Segunda e a Terceira Praia. (Quem está hospedado na Quarta Praia normalmente tem transporte de jardineira da pousada, em horários pré-determinados.)

Garapuá

[Garapuá]

Na quadra de trás da Segunda Praia fica o posto de “receptivo”, onde estacionam os táxis e jardineiras. Ali você pode tratar um táxi ou — se tiver reservado antes, numa agência ou ali mesmo — se encaixar num passeio de jardineira à praia de Garapuá, uma linda enseada em forma de ferradura (logo depois da Quinta Praia) que fica uma piscininha na maré baixa. Por ali, almoce na barraca do Capitão Pipoca.

Você também vai encontrar muitas agências vendendo passeios a Boipeba. Trata-se de um passeio bastante cansativo. Pelo rio ou indo até a ponta da ilha de jardineira (com travessia final de barco), é longo; pelo mar, é desconfortável (bate muito). As praias de Boipeba são lindas, a piscina natural de Moreré não decepciona, mas quem vai e volta no mesmo dia não experimenta a essência de Boipeba, que é a desaceleração total. Meu pitaco: deixe para ir a Boipeba quando você puder ficar uns dias lá.

–> Onde ficar: Morro de São Paulo

Centro

Hospedar-se na vila é inteligente: você está ao lado dos restaurantes, próximo das praias e da festa, mas longe do barulho. Os dois hotéis com melhor estrutura por ali são o Portaló, que está ao lado do píer de chegada, e a Pousada Charme, que tem uma gostosa piscininha num terraço que emenda com a mata. A Solar das Artes é caprichadíssima. Para economizar, considere a bem-localizada Tia Glória e a simpática Mareia.

Segunda Praia

Na Segunda Praia ficam duas pousadas muito confortáveis, ideais para curtir a ilha dia e noite:  a Villa das Pedras, que tem uma ótima piscina e um gramado em frente à praia, e a Pousada da Torre, que tem apartamentos dispostos em torno da piscina. Na quadra de trás a moderninha Villa dos Graffitis tem bom custo x benefício. Hospedando-se na Segunda Praia, nas noites de luau o melhor é sair e se jogar na festa, para não sofrer com o barulho.

Terceira Praia

A pousada top da ilha está a uma distância segura do agito: é a charmosa Villa dos Corais, que tem apartamentos grandes, distribuídos num terrenão na esquina da Terceira Praia com a Quarta Praia. A Terceira Praia tem outras duas pousadas em amplas propriedades: a Fazenda Caeira (cuja ala mais nova dá para a Quarta Praia) e a Vila Guaiamu, com chalés sem luxos espalhados pelo coqueiral e um excelente café da manhã (os preços costumam ser ótimos). Na outra extremidade (perto da esquina com a Segunda Praia, e portanto sensíveis aos sons das festas), a Minha Louca Paixão tem apartamentos com decoração contemporânea; a Paraíso do Morro, charmosinha, é uma ótima pedida para economizar.

Quarta Praia

Longe do centrinho, na Quarta Praia, o pequeno resort Patachocas é ideal para ir com crianças; os apartamentos são superconfortáveis, a piscina é enorme, a praia não oferece perigos — e a pista de pouso da Aerostar fica nos fundos. (Só não espere a estrutura de recreação dos resorts grandes.) Ainda na Quarta Praia, o Porto do Zimbo tem jeito de pousada e um gostoso gramado em volta da piscina.

Praia do Encanto

Já a Praia do Encanto é para quem quer sossego total. Escondida por um manguezal intransponível pela areia, é a praia mais exclusiva de Morro; ideal para quem quer simplesmente descansar com pé na areia. Por ali, dois hotéis bastante charmosos e superestruturadas são o Vila dos Orixás (com piscina reservada, no meio do jardim) e o Anima (com a piscina mais integrada à praia).

Garapuá

A hospedagem em Garapuá é básica. Considere a Pousada Garapuá, o Garapuá Praia Hotel e, pé na areia, a rústica Vila Morena.

–> Onde comer: Morro de São Paulo

Muitos dos restaurantes do centrinho não abrem na hora do almoço. O povo de Morro acorda tarde e, depois de um café reforçado, costuma pegar leve na hora do almoço. As barracas de praia, os vendedores de queijinho de coalho e os quiosques de pastéis da Segunda Praia quebram muitíssimo bem o galho. Querendo almoçar de verdade, o Pimenta Rosa, na pousada Villa dos Corais, e o Bar das Piscinas, também no iniciozinho da Quarta Praia, são boas opções. No centrinho, o Alecrim tem almoço com buffet.

Toca do Morcego, Morro de São Paulo

[Toca do Morcego]

De terça a domingo, o happy hour mais gostoso da ilha é na Toca do Morcego, que fica para os lados do forte e funciona como camarote para acompanhar o pôr do sol.

À noite, aproveite os restaurantes de italianos radicados em Morro, como o Chez Max, na Terceira Praia, e o Bianco e Nero, na vila. Para frutos do mar, vá ao La Tabla e a El Sitio do Luis, os dois na vila. Ainda no centro, as pousadas O Casarão e Solar das Artes têm bons restaurantes. Na Segunda Praia, os restaurantes montam mesas na areia (iluminadas por velas!) bordejando o deck. Pizza, picanha e camarão são os chamarizes de quase todos os restaurantes por ali; o Samsara conta também com um Buda, e o Marilyn Café, com fotos da musa.

–> Como chegar: Morro de São Paulo

Avião

O jeito mais simples de chegar a Morro de São Paulo é de teco-teco: o ano inteiro há vôos regulares de Salvador para pistas de pouso na Terceira Praia, pela Addey e Quarta Praia, pela Aerostar; são 25 minutos de vôo panorâmico.

Lancha desde Salvador

A maneira mais comum de viajar para a ilha é nos catamarãs e lanchas que saem do terminal hidroviário em frente ao Mercado Modelo, em Salvador; a viagem leva duas horas, boa parte por mar aberto, causando enjôos.

Ferry boat + ônibus de linha + lancha desde Valença

Quem tem medo de teco-teco e não quer enjoar deve ir pelo caminho mais comprido: pegar o ferry-boat para Bom Despacho, em Itaparica (50 minutos de travessia), e lá embarcar num ônibus ou van para Valença (100 km; 1h30 a 2h de de viagem), de onde partem lanchas rápidas o dia inteiro para Morro (30 minutos por rio e mar calminhos).

Lancha a Mar Grande + ônibus + lancha desde a Ponta do Curral

A Cassi Turismo opera um trânsfer que evita tanto o enjôo do catamarã quanto a ida até Valença. O passageiro embarca no aeroporto de Salvador ou no hotel, atravessa a Itaparica de ferry ou lancha e continua de ônibus até a Ponta do Curral, de onde atravessa de lancha rápida. O trajeto entre Itaparica e a Ponta do Curral leva 1h20, e a travessia de lancha, 12 minutos.

ILHA DE BOIPEBA

Cueira, Boipeba

[Praia da Cueira, Boipeba]

É a sua praia: se você quer sossego

Não é a sua praia: se você procura jetski ou toboágua

–> Vai por mim: Ilha de Boipeba

Boipeba é o antídoto de Morro de São Paulo: tudo o que a vizinha é animada, Boipeba é quieta. (Na boa: não entendo quem queira dividir sua estada entre as duas ilhas; muito provavelmente, se você adorar uma, não vai gostar nadinha da outra.)

O povoado de Velha Boipeba, à beira do rio do Inferno, é uma gracinha, mantendo suas características de vilarejo praiano (com uma igreja e algumas casas centenárias). Andando ao longo do rio você chega à praia salobra da Boca da Barra, que é o principal pólo de pousadas da ilha. Um enclave de barracas de praia comuns (dessas com mesas e cadeiras de plástico) recebe visitantes que vêm passar o dia. Para pegar praia com charme, ande mais um pouco, até a pousada Luar da Praia, onde o ambiente é chill out.

Quando a praia termina, uma trilhazinha de pouco mais de dez minutos leva às praias contíguas de Tassimirim e Cueira, ocupadas basicamente por um coqueiral sem fim. Tassimirim é gostosíssima na maré baixa, quando o mar fica calmíssimo entre as pedras (já na maré alta, as mesmas pedras tornam a praia um pouco traiçoeira). Cueira sempre tem alguma ondulação — e também virou point entre os visitantes de um dia só, que vêm comer a lagosta do Guido.

Moreré

[Moreré]

Meia hora de caminhada adiante, na maré baixa você pode atravessar um riozinho e, dez minutos mais tarde, terá chegado a Moreré, o segundo vilarejo da ilha, dono de uma praia de águas calmas (e de piscinas naturais em alto mar). Na maré alta, só dá para ir por mar ou cortando caminho pelo meio da ilha; dá bem uns 50 minutos de caminhada na areia (mas na temporada há jardineiras que fazem a rota em horários definidos; informe-se ao chegar).

O lado de Moreré consegue ser ainda mais sossegado que o de Velha Boipeba. Os excursionistas de Morro de São Paulo dificilmente chegam até ali (vão apenas até as piscinas naturais, longe da praia, e depois seguem para a Cueira ou a Boca da Barra). A vila é pacata e a praia nunca fica cheia.

A 15 minutos de lancha da praia de Moreré, em alto mar, estão as piscinas naturais de Moreré, de água transparente, mas que ficam bem crowdeadas na temporada (com os visitantes de Morro).

À direita da praia de Moreré sai a trilha (curta, não dá nem 10 minutos) para Bainema, uma praia que só não é totalmente deserta porque tem uma barraquinha (que nem sempre está aberta).

Para lá de Bainema fica uma parte da ilha acessível apenas por barco: a Ponta dos Castelhanos e a Cova da Onça, points de mergulho.

Um passeio muito bacana para fazer a partir da Boca da Barra é ir de barco até um flutuante, para assistir ao pôr do sol saboreando ostras cultivadas ali mesmo.

E se eu fosse você, aproveitava o percurso de volta para dar um pulinho numa das cidades mais antigas do Brasil, Cairu, que fica à beira do rio do Inferno.

Leia mais: Cairu, uma bela adormecida baiana

–> Onde ficar: Ilha de Boipeba

Boca da Barra

A pousada mais confortável deste lado da ilha é a Mangabeiras, no alto do morro que separa a Boca da Barra de Tassimirim. O acesso agora está facilitado por um elevador em plano inclinado.

A mais charmosa é a Vila Sereia, pé na areia na Boca da Barra, que esbanja charme em bangalôs de madeira lindamente cenografados, com varanda e banheiros espaçosos (mas não tem ar condicionado).

A mais completa é a Santa Clara, que está a cinco minutinhos da beira-mar e, além de bons apartamentos espalhados pelo bem-cuidado jardim (alguns com ar, outros sem), tem o melhor restaurante da ilha — e os hóspedes têm preferência de reserva.

A mais hipster é a Luar das Águas — que, depois de arrendada por uma dupla de espanhóis descolados, transformou seu bar num beach lounge.

Ainda rente à areia, a Marina de Boipeba é a mais próxima da vila; os chalés têm decoração rústica e banheiros reformados. A tradicionalíssima Tassimirim se caracteriza pela manutenção impecável e está na boca da trilha para Tassimirim e Cueira; a praia em frente é uma delícia e praticamente exclusiva dos seus hóspedes. Vizinha à Luar das Águas, a Pouso da Maré tem quartos básicos e espreguiçadeiras na areia.

A poucos minutos da praia (em frente à Santa Clara), a Horizonte Azul está num terreno com belo relevo; seus apartamentos têm ar condicionado e objetos indianos. Mais adiante, a Casa Mestiça tem apartamentos com quitinete e uma linda vista. Na vila, fique com a Alma Viva, bem instalada num casa restaurada na praça principal, ao lado da igreja.

Moreré

A pousada mais impressionante destas bandas é a Alizées Moreré tem bangalôs de madeira no alto do morro com a frente envidraçada do chão ao teto, para não perder nada da paisagem. Bem menos pretensiosos, os Chalés Colibri estão numa situação semelhante – e os preços mais em conta. No canto direito da praia, colada à vila, a Pousada dos Ventos tem bangalôs rústicos, bem praianos.

A pousada mais charmosa, porém, está escondida na vila: é A Mangueira, que foi totalmente remodelada pelos novos donos, um inglês e um espanhol (o bar ficou um arraso; tente reservar um dos chalés novos, de estilo vagamente japonês).

A 20 minutos de caminhada da vila, na direção do interior, no alto do Monte Alegre, você encontra a hospedagem mais original de Boipeba: a Casa Bobô — no meio do mato, com vista para o mar ao longe e próxima a uma comunidade quilombola onde é possível participar de rituais tradicionais.

–> Onde comer: Ilha de Boipeba

Muitas pousadas têm restaurantes abertos ao público. O mais concorrido é o da Santa Clara, que tem menu de entrada, prato e sobremesa a bons preços — ano passado era R$ 50 (ligue para reservar: 75/3653-6085). Come-se bem também na Luar das Águas, na Tassimirim, na Marina de Boipeba e na Alizées.

Dadinhos de tapioca

[Dadinhos de tapioca com queijo coalho da Jose -- d'après Rodrigo 'Mocotó' Oliveira]

Não perca o Restaurante da Jose, que fica no alto da vila (suba até a igreja, vire à esquerda; ou atravesse o shopping e suba a escadaria). Os dadinhos de tapioca com queijo coalho são perfeitos; tudo o que estiver disponível no cardápio sairá bom.

Na praia da Cueira você verá quiosques que preparam lagosta com a água do mar — o pioneiro é o Guido.

Em Moreré também há boas barracas de praia para comer um peixe fresco ou uma moqueca.

–> Como chegar: Ilha de Boipeba

A maioria dos meios de transporte deixa você na Boca da Barra. Se você vai ficar hospedado em Moreré, agende com a pousada a parte final do trânsfer até esta parte da ilha (eles provavelmente mandarão uma jardineira).

Pedir ajuda à pousada para o trânsfer, por sinal, é uma ótima providência, não importa onde você esteja hospedado. A possibilidade de ter que dormir pelo caminho por falta de transporte à ilha é real.

Ferry + ônibus + lancha desde Valença

O jeito mais papai-mamãe de chegar a Boipeba é pegando o ferry-boat para Bom Despacho, em Itaparica (50 minutos de travessia, R$ 3,95), continuando de ônibus a Valença (100 km; 1h30 a 2h de viagem, R$ 16), de onde partem lanchas rápidas que chegam a Boipeba em 50 minutos (R$ 38).

Lembre-se que o aeroporto de Salvador está a 30 km do terminal de ferry-boat. É muito difícil voar a Salvador e chegar no mesmo dia a Boipeba, caso você prossiga viagem por terra e mar. Programe pelo menos um pernoite em Salvador ou considere ir por Ilhéus (veja mais abaixo).

Os ônibus de Bom Despacho a Valença são coordenados com a chegada do ferry; a passagem pode ser comprada na hora. Em Valença, desça na última parada antes da rodoviária (ali você estará a 5 minutos de caminhada do terminal hidroviário; se descer na rodoviária, precisará pegar táxi). Atenção: é muito arriscado deixar para comprar o trecho Valença-Boipeba na hora. Você corre o sério risco de não conseguir mais vaga. Peça para a sua pousada reservar esse trecho para você. E compre a volta assim que chegar em Boipeba.

Ferry + ônibus + Expresso Boipeba desde Valença

Caso você não consiga comprar passagem com antecedência na lancha rápida Valença-Boipeba, o jeito é chegar a Valença até umas 13h30, para conseguir pegar o Expresso Boipeba, que sai às 14h. É um meio bastante roots de transporte: um ônibus velho leva até Torrinha (1h30), onde você embarca num barco lento, que leva outra 1h30 até Boipeba. O Expresso custa R$ 16.

Leia mais: Mais uma maneira de chegar a Boipeba

Vôo a Ilhéus + táxi a Torrinha + lancha rápida

O ponto mais próximo de embarque para Boipeba é o povoado de Torrinha, que fica a 25 minutos de lancha da Boca da Barra. Se você não quer enfrentar toda a lenga-lenga de ferry boat e quetais de quem vem de Salvador, o mais indicado é voar a Ilhéus, que fica a 150 km de Torrinha. Peça para sua pousada contratar o trânsfer de Ilhéus a Torrinha e a lancha de Torrinha a Boipeba.

Este esquema também é o melhor para quem está de carro; em Torrinha há estacionamentos. Nos estacionamentos você consegue uma lancha para a travessia.

Catamarã ou lancha a Morro de São Paulo + jipe + barquinho

É um jeito um pouco mais rápido do que via ferry-boat. São duas horas (de mar batido) do terminal hidroviário do Mercado Modelo até Morro de São Paulo. Em Morro você precisa caminhar do píer até o terminal de jipes da Segunda Praia (contrate um menino para levar sua bagagem num carrinho de mão). O jipe leva 45 minutos até a ponta da ilha, de onde você atravessa de barco. Caso você opte por essa modalidade, peça para sua pousada arranjar jipe e barquinho.

Lancha a Mar Grande + trânsfer a Graciosa + lancha rápida fretada

Um jeito vip de chegar a Boipeba, e que pode ser arranjado pela sua pousada, é ter um táxi à sua espera em Mar Grande, em Itaparica (a travessia desde o terminal hidroviário do Mercado Modelo é mais rápida — e as saídas, mais freqüentes — do que a do ferry boat a Bom Despacho). O táxi leva você até o píer da Graciosa, que fica adiante de Valença, e de lá você segue de lancha a Boipeba em 40 minutos.

Avião

Os apressados podem fretar um teco-teco com a Addey ou Aerostar (meia hora de viagem). O aviãozinho desce na ponta da ilha de Tinharé, na margem oposta à Boca da Barra. De lá você atravessa de barquinho.

BARRA GRANDE & PENÍNSULA DE MARAÚ

Taipus de Fora, Maraú

[Taipu de Fora]

É a sua praia: se você curte praias selvagens e piscina natural rente à areia

Não é a sua praia: se você busca um lugar fácil de chegar e se deslocar

–> Vai por mim: Barra Grande & Península de Maraú

Com 50 quilômetros de costa pouquíssimo ocupada, a Península de Maraú é a maior reserva de praias bonitas do litoral brasileiro. Quando não houver mais praias da moda para inventar, é daqui que sairão nomes exóticos de novos destinos (Algodões, Saquaíra…).

No extremo norte da península, Barra Grande é lugar menos difícil de chegar – e por isso concentra as pousadas, restaurantes e a (pequena) muvuca do verão. A praia em frente à vila não conta muito, porque é dominada pelo trapiche (mas por ali fica um ótimo bar de praia, que funciona o ano inteiro, o Macunaíma). Saia caminhando para a direita, e em dez minutos você chega à Ponta do Mutá, o último trecho da orla voltado para a Baía de Camamu. No meio do caminho há uma filial da rede de beach clubs Café de la Musique (aberta apenas na temporada); o pôr do sol é melhor apreciado mais adiante, na Sol do Mutá ou na sua vizinha (perdi o nome!), ambas abertas o ano inteiro.

Bar da RôMacunaíma

[Bar da Rô | Macunaíma]

A meia horinha de caminhada para o lado esquerdo da vila você chega ao encontro do rio Carapitangui com o mar da Baía de Camamu, onde está posicionado o charmosíssimo Bar da Rô — dá para alternar banhos de mar e de rio e apreciar o pôr do sol.

Leia mais: Um sósia no Bar da Rô

Taipu de Fora

[Taipu de Fora]

O trecho mais famoso da península está a 20 minutos de jardineira de Barra Grande — é a praia de Taipu de Fora, onde  um muro de corais descreve um semicírculo e termina rente à areia delimita a mais gostosa piscina natural do litoral brasileiro. Fotos aéreas mostram o fenômeno em todo o seu esplendor: uma cratera de água verde-claríssima, bordejada por areia dourada e pelo coqueiral. Mas este miniguia adverte: você dificilmente vai encontrar a piscina como as fotos mostram (precisa ir na lua cheia ou nova, num dia de muito sol). Mesmo quando está disfarçada de praia comum, porém, Taipu oferece um banho delicioso, muitíssimos furos acima de praias realmente comuns: calminha mas não parada, segura mas sem ser rasa demais. Há ótimas barracas na praia, como o tradicionalíssimo Bar das Meninas e o lounge haole Buda Beach.

Leia mais: Às piscinas naturais de Taipu de Fora

Não deixe de ir até a Lagoa do Cassange: há um trecho em que a praia e margem da lagoa estão muito próximas (os passeios organizados normalmente incluem uma subida ao Morro do Celular, de onde se tem uma visão geral da península).

Da Lagoa para o sul, os trechos ocupados vão ficando cada vez mais raros; as praias de Saquaíra e Algodões têm pequenos povoados.

Os passeios de barco pela Baía de Camamu só valem a pena se você quiser ver com mais calma a mesma paisagem que já viu na travessia entre Camamu e Barra Grande; a diferença são as paradas na ilha da Pedra Furada (onde todos os seixos são furadinhos) e o almoço na Ilha do Sapinho. O passeio realmente diferente é o que vai até a cachoeira de Tremembé, caso raríssimo de cascata que deságua no mar (ou, vá lá, num braço de mar).

A sede do município de Maraú fica voltada para a baía.

Bar da Rô

[Pôr do sol na Baía de Camamu, visto do Bar da Rô]

–> Onde ficar: Barra Grande & Península de Maraú

Se você quer vida social à noite, fique em Barra Grande. E se faz questão que a vida social seja intensa, venha em janeiro. Fora de temporada nem todos os restaurantes abrem todas as noites, e dificilmente haverá algo remotamente parecido com balada em dias de semana.

A hospedagem fora de Barra Grande é recomendada para descanso absoluto. Praticamente todas as pousadas têm restaurantes, o que garante o jantar.

Uma boa estratégia é dividir a estada, ficando uns dias em Barra Grande (se quiser agito, no fim de semana) e outros numa pousada pé na areia num ponto sossegado.

Barra Grande

As pousadas pé-na-areia de Barra Grande estão voltadas para uma praia calmíssima da baía de Camamu, e oferecem a melhor combinação de praia + vida social da península.

As acomodações mais charmosas são as da Denada, que tem bangalôs bem-resolvidos e uma piscina próxima à areia. A dez minutos de caminhada do centrinho, a Ponta do Mutá tem apartamentos compactos mas está no melhor trecho da praia — que fica ainda mais gostoso graças à charmosa estrutura montada no gramado, com gazebo e ótimas espreguiçadeiras. Próxima à Ponta do Mutá, a Pousada Búzios tem apartamentos simpáticos em sobrados nos fundos do terreno; a área junto à praia está gramado. Praticamente colado ao píer de chegada,  a Pousada Mediterrâneo tem quartos e suítes nomeados segundo países mediterrâneos, decorados com cores fortes e móveis rústicos. Próximo ao rio Carapitangui, a Barrabella tem uma piscinona e apartamentos muito confortáveis.

No coração da vila, a Fruta Pão tem um belo jardim; a Tent Suites, apartamentos bem moderninhos, nos altos de uma galeria de lojas.

Entre Barra Grande e Taipu de Fora

Na orla entre a Ponta do Mutá e Taipus de Fora há hotéis e pousadas em trechos sossegados, sem vizinhos: a bem-estruturada Ekoa está a 5 minutos de jardineira do centro; a rústica Kaluana fica em frente à piscina natural da praia da Bombaça; por ali, a Caiçara Bangalôs tem casinhas de praia com cozinha completa e café da manhã incluído.

Num trecho deserto da praia, o  luxuoso Kiaroa é um dos mais sofisticados hotéis de praia do Brasil. Os apartamentos standard ficam num bloco nos fundos do terreno; na frente estão bangalôs com piscina privativa e, numa área reservada rodeada de verde, os bangalôs mais novos, com quartos enormes e jacuzzi (são os que eu gosto mais).

Taipu de Fora

Caso você esteja pensando em dividir a estada entre Barra Grande e Taipu de Fora, programe sua estada em Taipu de acordo com a maré: quanto mais baixa estiver, melhor você aproveitará a piscina natural.

Leia mais: Passo a passo: como entender (e usar) a tábua das marés

Nenhuma pousada está exatamente em frente à piscina natural; toda a extensão da piscina é tomada pela propriedade de um famoso marqueteiro político. O povoado e a (pequena) muvuca da praia ficam à esquerda (norte) da piscina.

Imediatamente à direita (sul) da piscina, a pousada Taipu de Fora é a mais próxima da piscina natural; é também a que está no ponto mais sossegado. Um enorme gramado com camas e espreguiçadeiras fazem pensar que você é o dono da praia. Os apartamentos são amplos e a culinária, excelente.

A Encanto da Lua tem uma gostosa piscina e apartamentos charmosos. A meia quadra da areia, a Velas e Vento agora está administrada pelas mesmas donas do Bar das Meninas, e costuma oferecer tarifas bastante amigáveis.

A novidade do pedaço é a Dreamland Bungalows, que fica a dez minutos de caminhada das piscinas (para o lado esquerdo/norte) e tem apartamentos compactos mas bem-resolvidos, com alguma vista para o mar — e um bar de praia próprio e fora da rota dos excursionistas.

Cassange, Saquaíra, Algodões

Duas pousadas têm frente para o mar e fundos para a Lagoa do Cassange. A Terraços Marinhos tem apartamentos compactos na casa principal e bangalôs com priscina privativa (e privacidade absoluta) no canto esquerdo do terreno. A piscina de raia é campeã. A Pousada Lagoa do Cassange, uma das pioneiras da península, continua rústica, mas deu um belo upgrade às áreas sociais e aos bangalôs. É uma pousada que leva super a sério assuntos como sustentabilidade e envolvimento social.

Mais adiante, num trecho totalmente deserto de Saquaíra, a Butterfly House é um delírio: os bangalôs misturam Bahia, Oriente e Marrocos, e os jardins tropicais são incrivelmente bem-cuidados.

Ainda não fui até lá, mas me contaram que a Aycha é a melhor pousada de Algodões.

–> Onde comer: Barra Grande & Península de Maraú

A moqueca mais tradicional de Barra Grande é a d’A Tapera, no fim da rua principal. Para comida brasileira rejuvenescida, vá ao charmoso Donanna, na rua do Anjo (paralela à praia).

Se bater vontade de comer uma boa massa, vá ao autêntico Sapori d’Italia (que tem um gostoso quintal) ou ao bom resturante da pousada Denada, à beira-mar. Comida francesa em plena península? Dirija-se ao Papagaio, na mesma transversal d’A Tapera.

Considere ainda as pizzas da Dri & Dani e as crepes da Creperia da Barra L’Hôtel des Îles, as duas perto da igreja. Para refeições substanciosas e econômicas, vá ao Restaurante da Zene, no início da rua principal.

Para almoçar, o Bar da Rô é imbatível; o Macunaíma é uma bela opção para petiscar ao entardecer.

Em Taipu de Fora, o almoço do Bar das Meninas é excelente (não experimentei o do Buda Beach).

As pousadas fora de Barra Grande costumam oferecer jantar (algumas incluem na diária).

–> Como chegar: Barra Grande & Península de Maraú

Via Ilhéus

O aeroporto mais próximo à Península de Maraú é o de Ilhéus, a 130 km de Barra Grande (ou 120 km de Camamu). Um trânsfer (combine com sua pousada) vai custar entre R$ 200 e R$ 280, dependendo do veículo. O caminho é inteiramente rodoviário; os últimos 40 km serão na precaríssima estrada de terra da península.

A maneira mais econômica de seguir viagem desde Ilhéus é pegar um táxi do aeroporto à rodoviária (funciona pelo taxímetro; em março de 2013, paguei R$ 21) e lá pegar um ônibus a Camamu (R$ 19), para embarcar na lancha rápida a Barra Grande (R$ 25). A viação que opera a rota Ilhéus-Camamu via Itacaré é a Águia Branca; há ônibus diários saindo de Ilhéus às 7h50 e 14h10; as saídas de Camamu são às 13h10 e 16h40. A viagem leva duas horas e meia e pode ser comprada online. O aeroporto de Ilhéus está a 10 minutos de táxi da rodoviária. Duas empresas fazem a travessia Camamu-Barra Grande: a Camamu Adventure e a Princesinha (clique para ver horários e reservar). Caso sua pousada não se localize em Barra Grande, você vai precisar fretar uma jardineira (pense aí em mais R$ 40 a R$ 80, dependendo da localização da sua pousada) ou, se estiver só de mochila, ir de mototáxi.

Alugar um carro só vale a pena se você planeja dividir a estada com Itacaré. Neste caso você tem duas opções. Os mais corajosos pegam a BR 030, horrorosa estrada de terra cuja entrada é 20 km depois de Itacaré. A partir dali serão 40 km chacoalhantes até a sua pousada; na época das chuvas, só é recomendável para veículos 4×4 (informe-se sempre com a pousada sobre as condições da estrada antes de se aventurar por ela). Quem não quer se incomodar deixa o carro num dos estacionamentos de Camamu e pega a lancha rápida. O melhor esquema de estacionamento é o do Estaleiro: fica à beira da BA 001, fora da cidade (antes de Camamu, se você vem de Ilhéus, ou passando Camamu, se você vem de Salvador); a referência para entrar é o posto de gasolina Camarada. A diária custa R$ 20 e as lanchas vêm buscar e deixar os passageiros no estacionamento, sem custo extra.

Via Salvador

Quem se hospeda no Kiaroa tem a opção de chegar de teco-teco na pista de pouso particular do hotel. O vôo panorâmico desde Salvador (sobrevoando Morro de São Paulo, Boipeba e a baía de Camamu) leva 40 minutos.

Por terra (e mar) a viagem é complicadíssima. Você precisa pegar o ferry-boat a Bom Despacho, em Itaparica (50 min., R$ 4) e lá pegar um ônibus da Águia Branca (compre online) para Camamu (4 horas de viagem; R$ 26 a R$ 28). Em Camamu você pega a lancha rápida (da Camamu Adventure ou da Princesinha), que em 20 minutos deixa você em Barra Grande (R$ 25, clique nos sites para ver horários e reservar). Caso a sua pousada se localize fora de Barra Grande, será preciso fretar uma jardineira ou ir de mototáxi para chegar ao destino final. Tenha em mente também que o aeroporto de Salvador está a 30 km do terminal de ferry-boat, e o táxi custa mais de R$ 100. (Ou seja: venha por Ilhéus!)

De carro, você vai precisar pegar o ferry-boat (que não tem mais hora marcada; conte com pelo menos uma hora na fila). Daí pode seguir até Camamu (190 km pelo asfalto), passar a cidade e deixar o carro estacionado no Estaleiro (a entrada é ao lado do posto Camarada à beira da BA 001); a diária é de R$ 20. Querendo chacoalhar nas estradas de terra bastante precárias da península, você continua 35 km pela BA 001 e entra na BR 030 (de terra), que em mais 40 km leva à sua pousada.

Vindo de Morro de São Paulo ou Boipeba

Vá de lancha rápida a Valença, pegue um táxi para a rodoviária, siga de ônibus para Camamu, pegue a lancha rápida para Barra Grande.

Vindo de Itacaré

Vá de ônibus a Camamu e pegue a lancha rápida para Barra Grande.

ITACARÉ

Praia de São José, Itacaré

[Praia de São José, Itacaré]

É a sua praia: se você gosta da combinação mata + montanha + praia; se você surfa; se você curte turismo-aventura

Não é a sua praia: se você procura Nordeste com cara de Nordeste (coqueiros, dunas…)

–> Vai por mim: Itacaré

Itacaré tem uma paisagem sui-generis no litoral nordestino. Enseadas delimitadas por montanhas recobertas de verde sugerem um pedaço da Rio-Santos que emigrou para a Bahia. A estrada, porém, passa a uma distância ecologicamente segura da costa; a visão das praias é um privilégio de quem percorre as trilhas que levam às praias ainda selvagens.

A cidade fica ao fim dessa estrada, na foz do Rio de Contas, e tem um casario antigo muito bonito, ainda que maltratado. Logo que a estrada foi asfaltada, no fim dos anos 90, parecia que paulistas e cariocas endinheirados fariam de Itacaré a próxima Trancoso. Hoje os caixas-altas ficam em seus condominios fechados e pouco se relacionam com a vila. A cidade, que antes do asfalto era uma surf town, tornou-se um ímã para mochileiros e festeiros.  A rua que liga o centro às praias urbanas é pontilhada de bares, restaurantes, agências de passeio, pousadinhas e hostels — e ficou conhecida como “a Pituba“, numa blague com o movimentado bairro de Salvador.

Praia da Tiririca, Itacaré

[Praia da Tiririca, Itacaré]

Há quatro praias “urbanas” em Itacaré. A primeira, continuação natural da orla central, é a praia da Concha, que tem mar calminho (por estar na boca do rio), muitas barracas e sobretudo muitas pousadas. Seguindo adiante a partir do fim da Pituba, chega-se às praias do Resende e da Tiririca (vizinhas, points de surfistas) e da Ribeira (que tem muitas barracas e um gostoso riacho). A partir da Ribeira é possível, mas não recomendável (veja o alerta logo abaixo) fazer a trilha à mais bonita praia de Itacaré, a Prainha.

Quem se hospeda no Itacaré Eco Resort tem acesso privilegiado a duas praias que se encontram dentro do condomínio onde está instalado: a própria Prainha (sem necessidade de pegar a trilha perigosa) e São José (que é virtualmente privativa do resort).

A praia seguinte, Jeribucaçu, também tem acesso arriscado (leia alerta abaixo).

Uma trilha curtinha (15 minutos) e bem-sinalizada leva à praia da Engenhoca (onde você verá vestígios de um hotel 6 estrelas que foi embargado, o Warapuru) e, na direção oposta, a Havaizinho.

Txai, Itacaré

[Itacarezinho, em frente ao Txai]

Mais adiante na estrada você pode entrar pela porteira de um restaurante e aproveitar a extensa praia de Itacarezinho (onde, mais adiante, está instalado o luxuoso Txai).

Para boa parte dos visitantes, porém, as praias são apenas um detalhe. Itacaré um destino perfeito para caçadores de cachoeiras e para troca de bom grado um dia torrando na praia por atividades como trekking, canoagem e rapel.

E se você está com vontade de fazer o bate-volta a Taipu de Fora, pense duas vezes. Trata-se de uma viagem sacrificadíssima, que faz você ficar entre quatro e cinco horas dentro de um jipe, com pelo menos três horas e meia de sacolejo chatíssimo pela estrada precária da Península de Maraú. Minha recomendação é programar um ou dois pernoites em Taipu — vá de ônibus a Camamu, pegue a lancha a Barra Grande e a jardineira a Taipu. Leia mais sobre Barra Grande e Taipu mais acima.

Alerta 1: assaltos nas trilhas da Prainha e de Jeribucaçu

Entra ano, sai ano e aparecem relatos de assaltos a grupos que fazem as trilhas da Prainha e de Jeribucaçu. Antigamente só quem fazia a trilha sem guia corria perigo, mas nos últimos anos também grupos com guias têm sido vítimas de assaltantes armados. Enquanto não cessarem esses relatos, minha recomendação é se abster de fazer esses dois passeios. (Quem está hospedado no Itacaré Eco Resort vai à Prainha sem riscos: há uma porteira dentro do condomínio).

Leia mais: Trilhas em Itacaré: perigo de assalto mesmo com guias

Alerta 2: assaltos no caminho entre Tiririca, Resende e Concha

Outro ponto onde são registrados assaltos é a estrada (urbana) entre a Tiririca e a Concha. Ali os assaltos ocorrem no fim da tarde. Não há perigo em percorrer a região com sol alto, quando há bastante movimento de carro (e alguns pedestres). O perigo é quando a região fica erma, a partir do meio da tarde.

–> Onde ficar: Itacaré

Centro

A localização Centro-Pituba é a mais conveniente para aproveitar a noite. Num mar de pousadas ultrabásicas, o grande destaque é a Ilha Verde, que está fora da muvuca, tem decoração de personalidade e um terreno com vetetação viçosa.

No bairro da Passagem (lado oposto à Pituba), a Shambhala fica à beira-rio e tem acomodações bastante charmosas. Você vai precisar de carro para sair à noite.

Praia da Concha

A Concha concentra as pousadas para quem não faz o estilo mochileiro (e quer se hospedar na praia). O problema do bairro é a lama que se forma depois de qualquer chuva; é difícil ir a pé à Pituba sem se embarrar. (Mais um motivo para você estar de carro em Itacaré.)

Gosto muito da Vira Canoa, que é praticamente um hotel; tem uma piscina gostosa e está a apenas uma quadra da Pituba. A pequena Burundanga é uma autêntica pousada de autor, com apartamentos elegantes que dão para um bem-cuidadíssimo jardim tropical.

Pé na areia, no canto direito da praia, o hotel Aldeia do Mar tem bangalôs confortáveis, áreas sociais charmosas e um piscinão. Na ruazinha beira-mar, o novo Porto dos Casais é caretão mas bem-montado.

Perto da praia, a Naínas e a Casa Zazá são opções descoladinhas para quem procura um bom custo x benefício.

Nas praias fora da vila

Fora da vila, na costa mais selvagem, ficam os hotéis mais estruturados. Na praia de São José, o Itacaré Eco Resort mudou um pouco de perfil. Incorporou o Itacaré Village, com o qual dividia a praia, instalou uma gostosíssima piscina perto do mar e passou a oferecer recreação infantil. Tornou-se, assim, um resort de fato — e como não é enorme, é uma bela alternativa para famílias que não curtem resortões gigantes. Há também acomodações charmosas para casais em lua de mel (com jacuzzi no apartamento). Oferece transporte de van ao centro (em horários fixos) e à Prainha, que fica dentro do condomínio e tem acesso por uma porteira privativa, sem necessidade de pegar a trilha. O portal está a 6 km da vila.

Em Itacarezinho, o charmosésimo Txai é um dos ícones do luxo praiano no Brasil — e, desde o final de 2013, integrante da mitológica rede Relais & Châteaux. Seus bangalôs se espalham por um coqueiral impecavelmente gramado. Os hóspedes podem escolher entre duas piscinas elegantérrimas. A praia é virtualmente deserta (pouquíssimos forasteiros se animam a caminhar meia hora desde o restaurante Itacarezinho, no canto esquerdo da praia) e ótima para caminhar, com uma faixa de areia dura junto à rebentação. Está a 15 km da vila.

Finalmente, na praia do Pé da Serra, a meio caminho entre Ilhéus e Itacaré, a Aldeia da Mata oferece um clima eco-zen, com bangalôs de madeira em meio a muito verde, num trecho deserto de praia.

–> Onde comer: Itacaré

Núúh, ItacaréNúúh, ItacaréNúúh, Itacaré

[Núúh, Itacaré]

A praia da Concha tem boas barracas, como a Maré Alta, famosa pela moqueca da Luzitânia. (A moqueca da Tia Deth, no início da orla urbana ao lado do posto de gasolina, também é ótima.) Mas o melhor restaurante de praia está no canto esquerdo da praia de Itacarezinho: é o…. Itacarezinho.

A rua Lodônio Almeida, que liga o centro histórico à Pituba, tem dois bons endereços fora da muvuca. O Beco das Flores, misto de café, restaurante e pizzaria (Boca de Forno), é patrimônio afetivo de Itacaré. A seu lado, o Núúh Botequim (instalado onde era a Casa Sapucaia) tem cozinha brasileira inventiva.

Na Pituba, os restaurantes com maiores pretensões gastronômicas são o exótico Oásis, o charmoso À Brasileira e o original (libanês vegetariano) Alamain. Come-se bem também no Manga Rosa (cardápio mais saudável), Mistura Fina (variado) e Miguel Arcanjo (brasileiro). Depois do jantar, dirija-se ao Favela, que é quase uma baladinha ali na Pituba mesmo, ou veja se tem festa no Casarão Amarelo, na orla central.

Fora da cidade, dois lugares são imperdíveis. Aberta de quarta a domingo, a Pizza na Praça, em Serra Grande (30 km), vale a viagem. E na ida ou na volta a Ilhéus, experimente as sensacionais empadas da Cabana da Empada, no km 28.

–> Como chegar: Itacaré

Via Ilhéus

Itacaré fica a 75 km do aeroporto de Ilhéus, que é servido por vôos diretos de São Paulo (Congonhas pela TAM, Cumbica pela Azul), Campinas (Azul), Belo Horizonte (Gol), Brasília (Avianca) e Salvador (Gol, Azul e Avianca).

O ideal é alugar um carro no aeroporto — você cruza 10 km dentro da cidade e depois pega a impecável estrada-parque até a vila.

Se não quiser alugar carro, combine um trânsfer com sua pousada ou pegue um táxi (a corrida é negociada, deve sair em torno de R$ 150).

Querendo economizar no traslado, vá de táxi até a rodoviária de Ilhéus (cerca de R$ 20, pelo taxímetro) e pegue um dos ônibus da Rota que saem de hora em hora (R$ 12). O último ônibus sai às 19h40 (confirme os horários pelo telefone 73/3634-3161).

Vindo de Salvador

Pegue o ferry-boat a Bom Despacho, em Itaparica (50 min, R$ 3,95), seguindo de ônibus pela Águia Branca (melhor comprar online, com origem Bom Despacho; R$ 36, 5 horas).

Vindo de Barra Grande/Península de Maraú

Um trânsfer terrestre custará em torno de R$ 200. Por transporte regular, vá de lancha a Camamu (R$ 25) e pegue o ônibus da Águia Branca a Itacaré (dá para comprar online ou na hora; R$ 9, 1h de viagem). O ponto de ônibus de Camamu é junto ao píer das lanchas.

Vindo de Morro de São Paulo ou Boipeba

Pegue a lancha a Valença (R$ 18 de Morro, R$ 38 de Boipeba), vá de táxi à rodoviária (R$ 12) e siga de ônibus a Itacaré pela Águia Branca (dá para comprar online ou na hora; R$ 20, 3h30 de viagem).

ILHÉUS, UNA, COMANDATUBA & CANAVIEIRAS

Jorge Amado

É a sua praia: se você leu “Gabriela”

Não é a sua praia: se não curte mar cor de canela

–> Vai por mim: Ilhéus, Una, Comandatuba e Canavieiras

O Brasil pode ter sido descoberto em Porto Seguro, mas foi imaginado em Ilhéus. Sem Jorge Amado, seus pescadores, suas quengas e sua elite do cacau, o país certamente uma idéia muito menos colorida de si mesmo. No centro de Ilhéus, um quarteirão homenageia o escritor, com uma casa de cultura na casa onde passou a infância e, funcionando com o restaurantes, o bar Vesúvio e o cabaré Bataclan.

Há outros passeios para fazer longe da praia: visitas ao Ecoparque de Una (agende visitas no site) e a fazendas de cacau como a Yrerê (ligue para marcar).

Praia Jardim Atlântico

[Praia Jardim Atlântico, Ilhéus]

A orla é extensa e tem uma característica uniforme: o mar está constantemente turvo na rebentação. Mas já peguei mar azul no primeiro trecho da praia, logo abaixo do aeroporto, onde estão o hotel Jardim Atlântico e a Pousada dos Hibiscus.

Ao norte do centro, ao longo da estrada para Itacaré, a praia apresenta densos coqueirais (e, com exceção do trecho imediatamente junto à cidade, tem pouca estrutura).

Ao sul do centro, o trecho mais concorrido é o da praia dos Milionários, onde há muitas barracas. O trecho mais recortado (e por isso mais bonito) é o do distrito de Olivença, onde os destaques são a praia da Batuba (com uma megabarraca ao estilo das de Fortaleza) e de Back Door (a preferida dos surfistas). Outro destaque de Olivença são as águas minerais ferruginosas, com propriedades terapêuticas. Ao sul de Olivença a estrada passa longe da costa e as praias acabam privativas das fazendas, com densidade demográfica zero.

O acesso à ilha de Comandatuba aparece um pouco adiante do vilarejo de Una.

A estrada termina na próspera Canavieiras, que tem um belo casario à beira do Jequitinhonha. O passeio pelos canais do rio Pardo é um dos mais bonitos que você pode fazer pelos mangues do litoral brasileiro.

Leia mais: De Canavieiras a Belmonte, pelo delta do Jequitinhonha

–> Onde ficar: Ilhéus, Comandatuba e Canavieiras

Entre do aeroporto e a praia dos Milionários, o hotel Jardim Atlântico tem apartamentos confortáveis e uma enorme piscina. A Pousada dos Hibiscus tem ambiente bem praiano e está no melhor ponto da praia (foi ali que encontrei mar azul em Ilhéus).

Junto à vila de Olivença, o Back Door Village é uma boa opção para quem quer praia e alguma vida urbana sem precisar pegar carro. Passando o centro da vila, dois resorts BBB são vizinhos de cerca (e compartilham águas minerais ferruginosas): o Ecoresort Tororomba e o Cana Brava (que foi todo renovado e agora funciona no sistema all-inclusive).

Isolada numa área de vegetação preservada em Una, a pousada de luxo Fazenda da Lagoa tem bangalôs gostosíssimos e uma lagoa de águas azuis, mas está fechada por pendengas ambientais.

Tomando metade de uma ilha, o Transamérica Ilha de Comandatuba (meia-pensão) tem jardins impecáveis, serviço nota 10 e recreação infantil elogiadíssima. As atividades náuticas no canal e as duas piscinas compensam a praia pouco atraente (mas ótima para caminhar). Há pacotes com vôos diretos ao aeroporto próprio do hotel, que fica a cinco minutos do embarcadouro para a ilha.

Se precisar dormir em Canavieiras para atravessar a Belmonte no dia seguinte, a melhor hospedagem do centro histórico é a pousada Frédéric.

–> Onde comer: Ilhéus

O centro histórico tem dois lugares onde comer se sentido em Gabriela: o bar Vesúvio, praticamente em frente à catedral, e o cabaré Bataclan, duas quadras para trás, numa pracinha junto à orla fluvial.

A maior referência gastronômica de Ilhéus também fica na orla fluvial, duas quadras adiante do Vesúvio: é o italiano Marostica, instalado num casarão restaurado. Ao lado há um complexo que vale mais a pena pelas mesas na calçada, composto pelo bar-pizzaria Maria Machadão e o japonês Kenko.

Para almoçar, vá à praia dos Milionários, onde há grandes barracas. A Cabana Armação já chegou até a ter estrela no Guia 4 Rodas.

PériclesPéricles, Ilhéus

[Péricles, Ilhéus]

Agora uma dica gastronômica absolutamente insider: não saia da cidade sem provar os fabulosos picolés do Péricles. O de chocolate é tudo nessa vida. Fica perto do aeroporto, numa rua que o Google Maps não conhece. Mas pergunte por ali que o pessoal ensina :-)

–> Como chegar: Ilhéus, Comandatuba e Canavieiras

Ilhéus é ligada por vôos diretos a São Paulo (Congonhas pela TAM, Guarulhos pela Azul), Belo Horizonte (pela Gol), Brasília (pela Avianca) e Salvador (por Gol, Azul e Avianca). Os hotéis de Olivença estão a 20 km do aeroporto.

Comandatuba está a 70 km do aeroporto. Mas o jeito mais confortável de chegar é pelos vôos fretados pelo Transamérica, que descem na pista de pouso própria do hotel.

Canavieiras está a 130 km do aeroporto. Dá para ir de ônibus (pegue um táxi até a rodoviária; funciona pelo taxímetro, deve dar uns R$ 20).

Vindo (ou indo) do (ao) Sul da Bahia

Se você vem da região de Porto Seguro de carro, zere o odômetro em Eunápolis e saia da estrada lá pelos 125 km, seguindo as placas para Santa Luzia. Você vai pegar 45 km de asfalto com algum buraco, mas escapará dos caminhões da BR 101. Ao chegar ao litoral, a estrada será perfeita e desimpedidíssima pelos 90 km restantes até Ilhéus.

Leia também:

Miniguia de praias | Bahia: Salvador e litoral norte

(Salvador, Guarajuba, Itacimirim, Praia do Forte, Imbassaí, Costa do Sauípe, Sítio do Conde, Mangue Seco)

Miniguia de praias | Bahia: Costa do Descobrimento e Costa das Baleias

(Santo André da Bahia, Porto Seguro, Arraial d’Ajuda, Trancoso, Praia do Espelho, Caraíva, Corumbau, Cumuruxatiba, Prado e Abrolhos)

Siga o OnLine Viagem no Twitter – @OnLineviagem

Siga o Luk Americano no Twitter – @LukAmericano

Visite o VnV no Facebook – OnLine Viagem

Assine o OnLine Viagem por email – VnV por email



Categorias: Aracaju, Aruba, Bahamas, Balneário Camboriú, Barbados, Boipeba, Búzios, Cancún, Capa, Capaf, Caribe, Cartagena, Cuba, Curaçao, Florianópolis, Fortaleza, Ilhas Cayman, Itacaré, Jericoacoara, Los Roques, Maceió, Maragogi, Morro de São Paulo, Nordeste, Pipa, Porto Seguro, Porto de Galinhas, Punta Cana, Salvador, San Andrés, Santa Catarina, St. Maarten/St.-Martin, Torres
Tags:
176 comentários para “PRAIÔMETRO | Chuva mês a mês em 42 praias do Brasil e Caribe”

    Thiago   
    26 de outubro de 2012 às 10:11 | Permalink

    Olá, segundo informações cheguei a seguinte conclusão para a praia de Punta Cana: melhor época para visitar seria JULHO (PREÇO X Chuva), porém estou com reiceio dos furacões. Estou correto com relação adata escolhida? Analisando em um período de 10 anos, quantas vezes tiveram furacão em Punta Cana no mês de Julho?

    OBS: SUBLIME as informações que oferecem, site de excelencia total!
    Sara   
    13 de novembro de 2012 às 9:04 | Permalink

    Como faço pra entender esse Praiômetro? Maceio tem 298,3mm e está tudo amarelo e tem um risco de trovoada? O que significa? Sol, muita chuva ou muita trovoada?
     OnLine
        13 de novembro de 2012 às 9:12 | Permalink

        Olá, Sara! Significa 283 milímetros de chuva no mês, praticamente o triplo do desejável. Impossível saber como serão distribuídos, mas não é uma época recomendável. Leia novamente os primeiros parágrafos do texto, eles explicam exatamente até quantos milímetros vale a pena planejar uma viagem à praia.

        Leia também:
        http://www.OnLineviagem.com/2011/12/na-estacao-de-chuvas-chove-sem-parar-ou-so-um-pouquinho/
    Marina   
    18 de novembro de 2012 às 18:36 | Permalink

    Bóia, Porto Seguro ainda está recomendado para março. Posso considerar Santo Andre como sendo recomendado tb?
    Bjs,
        OnLine   
        18 de novembro de 2012 às 21:04 | Permalink

        Olá, Marina! Sim, Santo André da Bahia também é uma boa em março.
    Debora Oliveira   
    19 de novembro de 2012 às 13:02 | Permalink

    Ola!!! Boa tarde!!!
    Gostaria de informações… No inicio de Junho, qual é a melhor regiao brasileira para pegar praia? Ainda tem, ou ja estara frio? É que pretendo viajar de lua de mel, e nao gostaria de chuvas… hehehe
    Muito obrigada…
    Adoro navegar por esse site para descobrir e conhecer as melhores opções de passeios. Parabens!!!
        OnLine
        19 de novembro de 2012 às 13:50 | Permalink

        Olá, Debora! Veja o gráfico de junho! As indicações do Luk Americano estão logo abaixo dele.
    alix   
    20 de novembro de 2012 às 23:00 | Permalink

    Gente, que coisa mais linda esse post! :-D
    nedjma   
    21 de novembro de 2012 às 17:56 | Permalink

    Genius! Quem é Marta Suplicy perto de Luk Americano?
    claudia gaia   
    30 de novembro de 2012 às 10:52 | Permalink

    Estou indo pa Cancun no dia 15 de dezembro gostaria de saber que tipo de roupa levar é calor faz frio ? por favor me ajuda.
        OnLine   
        30 de novembro de 2012 às 11:00 | Permalink

        Olá, Claudia! Estará quente de dia, friozinho à noite e durante eventuais frentes frias. Mas o maior frio normalmente é o do ar condicionado. Leve casaquinho leve para usar em ambiente fechado.
    Tiago D   
    17 de dezembro de 2012 às 9:37 | Permalink

    Prezados, depois de ler o post fiquei com uma dúvida cruel! Verdadeira sinuca de bico. Vejamos se podem me ajudar. Vou me casar na primeira semana de março, e minha esposa sonha em passar a lua de mel numa praia de agua quentinha, já que somos de Vitoria/Es (aqui agua quente em praia é raridade!), estavamos planejando viajar para porto de galinhas, mas o infografico já nos mostrou que é uma roubada (nesse ponto agradeço a equipe por prestar uma informação omitida por todas as agencias de viagem que visitamos, evitando uma verdadeira trgedia grega em plena lua de mel! Obrigado!). Por outro lado, nosso orçamento não nos permite ir ao caribe que seria a melhor aposta para a data. De outro lado as melhores apostas brasileiras ( búzios e RJ), terão sol, mas a agua é gelada! E agora turma da boia, o que fazer? Existe alguma alternativa de praia com preços razoáveis e mar de agua quente na primeira semana de março de 2013?
        OnLine   
        17 de dezembro de 2012 às 19:06 | Permalink

        Olá, Tiago!

        O pior das chuvas no Nordeste começa em meados de abril, começo de maio. Em março você pegará alguma chuva, mas ainda dá para encarar.
            Tiago D   
            24 de dezembro de 2012 às 8:42 | Permalink

            Bóia, obrigado pela dica, mas acabamos optando por trocar porto de galinhas por natal! Acertamos na troca? alguma dica para casal em lua de mel em natal? Pousadas, restaurantes e/ou passeios? Obrigado!
                OnLine
                24 de dezembro de 2012 às 8:48 | Permalink

                Olá, Tiago! Nos próximos dias publicaremos a seção Pernambuco do nosso Miniguia de praias, aguarde.

                Quanto ao clima nesta época, não muda nada.
    Shirley   
    20 de dezembro de 2012 às 9:40 | Permalink

    Olá! Gostaria de parabeniza-los pelas informações uteis e completas que esse site nos fornece. Eu e meu marido estamos planejando uma viagem para o Nordeste em nossas férias, justamente em…Abril! A ideia era Maceio, POrto de Galinhas, João Pessoa e Natal por fim. A idéia é curtir as belezas das praias, do clima e as piscinas naturais que esses lugares oferecem. Nesse mês não terei proveito? Li no praimetro que é época de chuvas, mas dia inteiro? Sem proveito de Sol? Já me falaram que no nordeste chove um pouquinho todo dia mas é Sol o ano inteiro. Podem me ajudar? Pode tambem me sugerir um outro destino para pegarmos sol nessa epoca do ano. Obs. Somos de Vitoria/ES.
        OnLine   
        20 de dezembro de 2012 às 9:52 | Permalink

        Olá, Shirley! O que sabemos é que pode — deve! — chover. Não sabemos o quanto nem como vai chover nos dias que vocês estarão por lá.

        Leia:
        http://www.viajenaviagem.com/2011/12/na-estacao-de-chuvas-chove-sem-parar-ou-so-um-pouquinho/
    Fábio G.   
    30 de dezembro de 2012 às 9:02 | Permalink

    Pelo que a gente pode ver pelos jornais parece que todo mundo esquece a regrinha básica no litoral paulista: janeiro é um péssimo mês para ir pra lá, tudo fica mais caro, chove, trânsito complicado… mas todo ano, todo mundo vai rs.
    Carol   
    1 de janeiro de 2013 às 22:18 | Permalink

    Oii Ric..tudo bem?
    Em março, minha prima da Itália vem para o Brasil…gostaria de leva-la para conhecer as praias brasileiras, logo pensei no Nordeste…
    Qual das praias nordestinas vc acha que seria uma boa opção?

    Estava pensando em ir para Porto de Galinhas, mas vi no praiometro que chove muito la em Março…

    Beijos
        Luk Americano   
        1 de janeiro de 2013 às 23:28 | Permalink

        Prefira a região de Porto Seguro, Carol. É o que indica o Praiômetro.
            Carol   
            2 de janeiro de 2013 às 15:05 | Permalink

            Não sou muito fã de Porto Seguro..
            Vc acha que se eu arriscar ir pra Natal ou Maceió, posso perder a viagem?
            Beijos
             OnLine
                2 de janeiro de 2013 às 15:19 | Permalink

                Olá, Carol! Sim, você pode perder a viagem. Perceba que existe uma linha pontilhada no gráfico. Essa linha pontilhada marca os destinos que não aconselhamos. Maceió e Natal passaram de raspão. O risco é grande.

                Há lindas cidades no sul da Bahia. Siga o nosso conselho: http://www.viajenaviagem.com/2012/12/praias-bahia-santo-andre-porto-seguro-arraial-ajuda-trancoso-espelho-caraiva-corumbau-cumuruxatiba-prado-abrolhos/

                Se não fizer questão de Nordeste, Rio de Janeiro é uma boa escolha.
    Rafael   
    2 de janeiro de 2013 às 0:40 | Permalink

    Bom dia,

    você poderia explicar a diferença das cores nos gráficos? Procurei aqui na página mas não entendi a diferença.

    O que muda do amarelo pro roxo?

    Exemplo (mês de dezembro):
    Los roques está com apenas 9, mas está roxo, porém Ubatuba (com 360) está amarelo.

    Obrigado!!
   OnLine
        2 de janeiro de 2013 às 7:11 | Permalink

        Olá, Rafael! É só pra diferenciar o que é destino internacional e nacional ;) As praias não recomendadas em cada mês estão abaixo da linha pontilhada.
            Rafael   
            2 de janeiro de 2013 às 11:29 | Permalink

            Nossa.. essa tava fácil!! Faltou atenção mesmo!!
            Obrigado :)
    Li   
    16 de janeiro de 2013 às 10:57 | Permalink

    Olá estou querendo viajar na última semana de março para Maceió. Vi no praiometro que está próximo de 200 mm. Sei que chove, mas será que chove muito? Ainda assim vale a pena ir? Pensei em Porto Seguro, mas ainda não sei. Quais outras opções no Nordeste? Obrigada
        OnLine   
        16 de janeiro de 2013 às 11:09 | Permalink

        Olá, Li! O Praiômetro é feito com o histórico de chuvas de cada praia. Não podemos garantir como será o clima na data da sua viagem, mas sabemos que é o início da estação mais chuvosa. Consulte a tabela para opções menos molhadas e veja mais dicas: http://www.viajenaviagem.com/2010/04/como-aproveitar-o-inverno-do-nordeste/
            Li   
            16 de janeiro de 2013 às 11:24 | Permalink

            Pois é, uma colega que é de Maceió me disse que as chuvas geralmente começam em abril/maio daí estou com muitas dúvidas se arrisco ou não, de todo jeito, muito obrigada!
            Li   
            16 de janeiro de 2013 às 11:35 | Permalink

            ah outra dúvida nesse período valeria a pena ir para Floripa?As águas estarão muito geladas?Chove muito?Grata
                OnLine   
                16 de janeiro de 2013 às 11:37 | Permalink

                Olá, Li! Veja o que o Luk Americano fala embaixo do gráfico de março ;)
                    Li   
                    16 de janeiro de 2013 às 11:49 | Permalink

                    Eu vi, mas te pergunto, as águas estarão muito geladas?Entre Porto Seguro e Floripa?qual melhor opção rsrs…
                        OnLine
                        16 de janeiro de 2013 às 22:55 | Permalink

                        Olá, Li! As águas são frias em Santa Catarina o ano inteiro. As menos frias na ilha são das praias do norte.
    Lívia Tognon   
    16 de janeiro de 2013 às 21:16 | Permalink

    Esse ano a páscoa é no fim de março, logo, ir em abril/maio para o Caribe e Miami seria uma boa opção? Afinal, os preços já não estarão tão altos e pelo ‘praiömetro’ não haverão tantas chuvas…
        OnLine   
        16 de janeiro de 2013 às 21:20 | Permalink

        Olá, Lívia! O raciocínio é correto.
    Samyr Neme de Queiroz   
    17 de janeiro de 2013 às 11:30 | Permalink

    Olá, tenho uma dúvida. Vou tirar férias em Abril e pretendo ir para o sul, porém, conversando com um amigo que morou na região de Florianópolis, ele disse que não é uma boa época para ir para lá pois já tem chuva e frio. Gostaria de indicação de quais regiões realmente ir no mês de Abril onde tenha praia e sol para aproveitar bastante o local e as férias.

    Muito obrigado,

    Samyr
      OnLine
        17 de janeiro de 2013 às 13:38 | Permalink

        Olá, Samyr! Seu amigo morou lá mas não tem boa memória. O outono é a época mais seca em SAnta Catarina. Catarinenses confirmarão isso para você e o Praiômetro, que é um registro científico, apenas corrobora.
            Samyr Neme de Queiroz   
            20 de janeiro de 2013 às 9:48 | Permalink

            Olá Bóia, agradeço demais a sua resposta e ponto de vista. Vou puxar a orelha do meu amigo (risos). Tenho uma outra pergunta, a Bahia você indica também ir em Abril? Se sim, qual ou quais praias e/ou cidades?

            Abraços e obrigado mais uma vez
         OnLine
                20 de janeiro de 2013 às 13:14 | Permalink

                Olá, Samyr! Em abril, a melhor aposta no Nordeste é o Sul da Bahia:
                http://www.viajenaviagem.com/2012/12/praias-bahia-santo-andre-porto-seguro-arraial-ajuda-trancoso-espelho-caraiva-corumbau-cumuruxatiba-prado-abrolhos/
    Renato M.   
    17 de janeiro de 2013 às 15:10 | Permalink

    Prezado,
    qual local indica ir de lua de mel, na segunda quinzena de maio. Punta Cana, ou Morro de São Paulo e Praia do Forte?

    Estamos com dificuldades pois todo local que nos interessamos é período de chuva….saberia algum local para nos indicar em que gastássemos o mesmo que gastaríamos se fossemos para um desses locais acima?

    Teu site é nota dez!! Não acredito mais em agência sem antes consultar teu site. PARABÉNS!!

    Renato
       OnLine   
        17 de janeiro de 2013 às 17:36 | Permalink

        Olá , Renato! Infelizmente todos os três destinos oferecem risco de mais chuva do que você merece pegar nessa época.
    blauner   
    19 de janeiro de 2013 às 13:33 | Permalink

    por favor, gostaria de saber como é o mes de março p/ praia, ex. sol, chuva, sol+agua fria (guaruja/sp) obrigado
       OnLine
        19 de janeiro de 2013 às 13:35 | Permalink

        Olá, Blauner! Verifique São Sebastião, será parecido.
    Pedro   
    24 de janeiro de 2013 às 19:03 | Permalink

    Gostaria de saber de que ano são esses dados pluviométricos.
       OnLine
        24 de janeiro de 2013 às 19:56 | Permalink

        Olá, Pedro! Variam, de acordo com os sites. Normalmente é um consolidadado de muitos anos. Clique nos links para mais informações.
    Vitor Mateus   
    28 de janeiro de 2013 às 0:30 | Permalink

    Olá!!! vou para punta cana em 18 novembro de 2013. O que significa o gráfico do mês relativo a minha partida? é um gráfico da cor roxa com traços assim \\\? obrigado. Será que posso ter a sorte de não chover como está previsto no gráfico por estar mais próximo de dezembro?
        OnLine
        28 de janeiro de 2013 às 6:37 | Permalink

        Olá, Vitor! O roxo é porque é Caribe. Os traços são porque há risco de furacão. As legendas, assim como o que significam os volumes de precipitação, estão explicadas no começo do texto, por favor leia com atenção.
    Risalva   
    3 de fevereiro de 2013 às 10:17 | Permalink

    Olá!

    Estou querendo passar o feriado da Semana Santa em um desses três destinos. Por favor me esclareça qual deles não terá chuvas ou se tiver em menor proporção de acordo com o infográfico.

    Destinos: Rio de Janeiro / Salvador ou Fortaleza.

    atenciosamente,
    Risalva
        OnLine
        3 de fevereiro de 2013 às 18:12 | Permalink

        Olá, Risalva! Desculpe, mas os gráficos são auto-explicativos.
    Rodolfo   
    21 de fevereiro de 2013 às 20:22 | Permalink

    Olá Ricardo, primeiramente, parabéns pelo site. Vou tirar férias forçadas em abril, estou prevendo uma viagem entre os dias 09 e 16 de abril. Vc acha que Paraty (RJ) e Ubatuba(SP) fazem frio nessa época? Desde já, muito obrigado!
        OnLine   
        22 de fevereiro de 2013 às 7:12 | Permalink

        Olá, Rodolfo! Quem responde é OnLine. Não faz frio no outono durante o dia. Veja os índices pluviométricos nos gráficos.
            Rodolfo   
            22 de fevereiro de 2013 às 19:47 | Permalink

            Obrigado Bóia, mudei o percursso para Paraty e depois Trindade. O meu medo era chegar lá e encontrar uma água muito gelada e um tempo frio. Grande abraço!
    talita   
    27 de fevereiro de 2013 às 6:48 | Permalink

    Ricardo, vou a morro de sao paulo em abril.. e agora?me ferrei?
    Aaaah nem. Da pra aproveitar alguma coisa por la com a chuva? E chove taaaaanto assim?
        OnLine   
        27 de fevereiro de 2013 às 9:21 | Permalink

        Olá, Talita! Quem responde é OnLine.

        Leia:
        http://www.OnLineviagem.com/2011/12/na-estacao-de-chuvas-chove-sem-parar-ou-so-um-pouquinho/
    talita   
    28 de fevereiro de 2013 às 11:09 | Permalink

    Obrigado boia. Sabe que neste post li um comentario e concordo “com esse tempo maluco,dizer se chove ou nao em uma estacao e outra anda sendo dificil…”

    Beijos
    marcelo elias   
    1 de março de 2013 às 19:51 | Permalink

    TODAS AS INFORMAÇÕES POSSÍVEIS E DISPONÍVEIS SOBRE O ‘FLAMINGO RESORT’, BLVD KUKUKLAN KM 11: da para ir a pé para centro, restaurantes e shoppings, isto de dia e de noite ? MARCELO ELIAS – Brasilia-DF – e-mail: marceloelias.bol@gmail.com
        OnLine   
        1 de março de 2013 às 22:15 | Permalink

        Olá, Marcelo! Leia sobre Cancún:
        http://www.viajenaviagem.com/2012/01/para-entender-cancun-playa-del-carmen-e-riviera-maia/
    Daniel   
    5 de março de 2013 às 0:35 | Permalink

    Olá! Vi a fonte dos dados utilizada no site, mas seria interessante verificar o pq de diferenças relativamente grandes entre Ubatuba, Sebastião e Paraty, muito próximas geograficamente. Também notei diferenças boas dependendo da fonte (em mm), só observar dados do Wikipédia de Ubatuba. Mas uma coisa é certa, chove muito no Sudeste no verão e, como a maioria sabe, não é a melhor época para visitar (além da superpopulação)…

    http://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ubatuba#section_4

    O gráfico é simples e bacana de visualizar mas deveria falar mais de temperatura (Miami, por exemplo, pode fazer frio não só em janeiro, mas do fim de novembro até começo de março). E mais precisamente a temporada de furacões no Atlântico começa e Junho então sempre importante entender as políticas de cancelamento das operadoras/hotéis durante o verão e inicio de outono do Caribe e EUA.

    Por fim, é importante entender tmbm que, principalmente no Sudeste e Caribe/Miami no verão de cada lugar, de forma geral, altos volumes mensais não querem dizer ferias sem praia, mas simplesmente sem praia a tarde por concentrações no fim do dia.

    Abraço!!
    Daniel   
    5 de março de 2013 às 9:10 | Permalink

    Uma pergunta, existe um gráfico similar comparando preço médio de diárias em hotéis e taxa de ocupação? Assim poderíamos comparar a questão clima com custo e fluxo de pessoas. Em pegadinhas, poderia colocar informações como semana de recesso das faculdades americanas que podem estragar as ferias, por exemplo, de quem busca tranquilidade em algumas praias do Caribe ou Flórida. Esse fator humano e de custo também é importante para decisões sobre ferias, lua de mel etc. Obrigado pelo ótimo site e informações.
        OnLine   
        5 de março de 2013 às 11:02 | Permalink

        Olá, Daniel! Falamos dessas questões específicas nas páginas-guia e posts sobre os destinos. Quanto aos hotéis, acompanhamos os preços com o Ibismômetro: http://www.viajenaviagem.com/category/ibismometro/
    Mário   
    6 de março de 2013 às 16:07 | Permalink

    Olá, minha viagem esta marcada dos dias 26/03 a 02/04 para o RJ. Tem perigo de chover? de perder a viagem?
        OnLine   
        6 de março de 2013 às 18:51 | Permalink

        Olá, Mário! As pancadas de chuva nesse período costumam acontecer só no fim da tarde. Acompanhe a previsão do tempo.
    Ana Carolina   
    8 de março de 2013 às 21:22 | Permalink

    Nossa, to arrasada…vi esse post depois de comprar minha passagem p recife, p aproveitar o feriado de Corpus Christi. To vendo que so vou pegar chuva em Porto de Galinhas!:-(
    Van   
    11 de março de 2013 às 14:58 | Permalink

    Olá Ricardo,
    Sempre que pesquiso sobre viagens acabo encontrando ótimas dicas suas, parabéns!
    Vou viajar no penultimo final de semana de março e pensei em Salvador. Não gostaria do agito das praias da cidade. Estou na dúvida entre Itaparica, Praia do Forte ou Imbassaí, qual você recomenda para quem quer uma praia tranquila e bonita, mas com estrutura suficiente por não estar de carro?
    Depois de ver aqui a previsão de chuvas estou até pensando em mudar os planos para Santa Catarina, apesar de que estava com medo de não conseguir pegar praia tão quente nesta época.
    Poderia me ajudar? Obrigada!
        OnLine   
        11 de março de 2013 às 22:50 | Permalink

        Olá, Van! Sugerimos Itacimirim, perto de Praia do Forte:

        http://www.OnLineviagem.com/2012/12/praias-bahia-salvador-guarajuba-itacimirim-praia-forte-imbassai-sauipe-mangue-seco/
            Van   
            12 de março de 2013 às 9:03 | Permalink

            Obrigada pela dica OnLine,
            Vi essa praia e achei linda mesmo!! Mas tem uma estrutura legal? Estaremos sem carro, mas pelo que vi praia do forte está bem perto de Itacimirim, dá para ir a pé?

            Vou seguir sua sugestão, obrigada mais uma vez!
               OnLine   
                12 de março de 2013 às 9:19 | Permalink

                Olá, Van! A pé dá uma hora pela areia, na maré baixa. Recomendamos que você esteja de carro. Sem carro, na região, fique na Praia do Forte. Ou contente-se em ficar em Itacimirim e comer na própria pousada à noite.
    Ricardo Fonseca   
    12 de março de 2013 às 19:08 | Permalink

    Ví em teu otimo site a tabua de chuva e fiquei decepcionado para os meses de abril e maio, indo para Maragogi e Natal. Qual vc. indicaria para se ir primeiro em meados de abril?? Sendo Maragogi qdo para se curtir em virtude de lua as piscinas naturais.
    Obrigado.
        OnLine   
        12 de março de 2013 às 20:14 | Permalink

        Olá, Ricardo! Procure destinos onde chova menos de 150 mm neste mês; quanto menos, melhor. Deixe para ir ao Nordeste na época seca.
    Tânia   
    15 de março de 2013 às 10:14 | Permalink

    Senti falta da praia de Salinas, no Pará, que é sol 40 graus no mês julho.
    Carlos   
    19 de março de 2013 às 20:13 | Permalink

    Alguém sabe dizer se o mar em Natal já está gelado agora em março? Tem possibilidade de pegar chuva, mas a água não estar tão gelada?
        OnLine   
        20 de março de 2013 às 7:33 | Permalink

        Olá, Carlos! Não existe mar gelado no Nordeste. A água é morna.
    Walter Guimarães   
    20 de março de 2013 às 14:36 | Permalink

    Oi Boia!

    Então “garantia de férias secas” em Porto de Galinhas-PE só em novembro? E alguns meses com “eventuais chuvas”? Tá indo contra tudo o que já lí sobre o nordeste.

    Abraço,
    Walter Guimarães
        OnLine   
        20 de março de 2013 às 22:26 | Permalink

        Olá, Walter! Você leu direito o gráfico, tem certeza? De outubro a janeiro a região tem precipitação até 100 mm. Em setembro e fevereiro a precipitação é abaixo de 150 mm. A época seca vai, portanto, de setembro a fevereiro.
    Vanessa braz   
    20 de março de 2013 às 17:15 | Permalink

    Olá,boa tarde!!! Gostaria de uma ajuda,pois mesmo vendo o gráfico ainda fiquei em dúvida.Vou viajar dia 26 de abril para ilhabela-SP,gostaria de saber se vai rolar um solsinho?? vou levar minha filhinha de dois aninhos pela primeira vez e gostaria tanto de um solsinho…Obrigada,Vanessa.
        OnLine   
        20 de março de 2013 às 19:40 | Permalink

        Olá, Vanessa! Veja as considerações do Luk Americano para a Rio-Santos em abril — é uma boa época! Acompanhe a previsão do tempo!
    Amanda   
    27 de março de 2013 às 11:13 | Permalink

    Olá, programei uma viagem na minhas férias de julho para Porto de Galinhas, entre os dias 05 a 12 de julho! Mas agora fique com medo, de ir e pegar só chuva por la!!!
        OnLine   
        27 de março de 2013 às 11:20 | Permalink

        Olá, Amanda! É bastante provável pegar chuva nesta época.
        Amaro - Recife   
        27 de março de 2013 às 13:02 | Permalink

        Amanda,

        você vai pegar chuva. Mas possivelmente haverá dias em que o sol aparecerá. Só não espere o mar super-mega-cristalino, como em outros meses.
        Vai uma dica: um bom repelente, pois os mosquitos adoram o chove/não chove do período.
    Alessandra Moreira   
    27 de março de 2013 às 12:12 | Permalink

    Queria muito ir a Punta Cana entre 10 e 17 de agosto… dá pra encarar ou o risco de chuva e furacão é grande?
        OnLine   
        27 de março de 2013 às 12:13 | Permalink

        Olá, Alessandra! Leia mais informações sobre furacões no Caribe aqui:
        http://www.OnLineviagem.com/2010/06/furacoes-no-caribe-um-balanco/
    sandra   
    27 de março de 2013 às 22:35 | Permalink

    Olá. Vou sair em férias na segunda quinzena de julho e gostaria muito de ir ao nordeste, mas não gostaria de ir à Fortaleza pois já estive lá diversas vezes. Voce sugere outra cidade/estado no Norte/Nordeste que não esteja no gráfico e não chova tanto nesta época?
        OnLine   
        27 de março de 2013 às 22:46 | Permalink

        Olá, Sandra! Nesta época o sol só é garantido no Maranhão (São Luís, Lençóis Maranhenses), Piauí (Barra Grande do Piauí), Ceará e oeste do Rio Grande do Norte (Galinhos).

        O sul da Bahia (Santo André, Arraial d’Ajuda, Trancoso, Espelho, Caraíva) é sempre uma boa aposta.
    leonardo oliveira   
    27 de março de 2013 às 23:23 | Permalink

    Prezado,
    Estou querendo ir para um resort entre os dias 22 e 29 de abril, na regiao de porto seguro ou praia do forte ao norte de salvador….verifiquei precipitaçao na fx de 161mm em porto mas nao vi salvador…qual regiao.vc indica? Ou seria melhor na primeira quinzena de maio?muito obrigado
        OnLine   
        27 de março de 2013 às 23:25 | Permalink

        Olá, Leonardo! Salvador e Praia do Forte estão juntos no Praiômetro (apesar da região da Praia do Forte ter um microclima ligeiramente mais seco).

        Abril e maio são desaconselháveis. O sul da Bahia é uma melhor aposta.
    Anita   
    4 de abril de 2013 às 0:46 | Permalink

    Ola, Ricardo. sempre estou por aqui mas peco sua ajuda pela priemira vez: quero alugar uma casa para passar o mês de julho em uma praia pequena, que tenha uma vila com restaurantes, lojinhas e muita beleza natural. Qual combinaria isso com tempo quente em um mês conhecido pelas chuvas? sei que no Ceará o tempo é firme mas não sei qual praia seria essa por lá. Estive no Beach
    Park e achei a praia muito sem graca. Penso em algo como Morro de SP, Porto de Galinhas, Arraial, Guarda do Embau, Ilha do Mel, etc. Algo nessa vibe – tranqüilidade e agito andando juntos. muito
    Obrigada!
        OnLine   
        4 de abril de 2013 às 6:39 | Permalink

        Olá, Anita! Quem responde é OnLine. Com sol certo em julho e algum agito, Jericoacoara é a pedida. Barra Grande do Piauí é uma estrela ascendente.

        No resto do Nordeste, a melhor aposta é a região de Porto Seguro — pense em Santo André da Bahia, Arraial d’Ajuda, Trancoso ou Caraíva.

        http://www.OnLineviagem.com/2009/07/vai-por-mim-pousadas-em-jeri/

        http://www.OnLineviagem.com/2009/04/testada-e-aprovada-barra-grande-no-piaui-uma-praia-bbb/

        http://www.OnLineviagem.com/2012/12/praias-bahia-santo-andre-porto-seguro-arraial-ajuda-trancoso-espelho-caraiva-corumbau-cumuruxatiba-prado-abrolhos/
    Talita   
    5 de abril de 2013 às 16:59 | Permalink

    Olá, gostaria de saber se em junho chega a ser frio em punta cana?
        OnLine   
        5 de abril de 2013 às 19:27 | Permalink

        Olá, Talita! Lá é verão, fica no hemisfério norte :)
    Ronam   
    11 de abril de 2013 às 19:10 | Permalink

    Olá, Bóia.

    Saio de férias amanhã, e minha intenção é (era) ir para Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios no período de 15 a 25 de abril. Verei sol ou chuva? Grande abraço!
        OnLine   
        11 de abril de 2013 às 19:35 | Permalink

        Olá, Ronan! A chance maior é de sol! Veja no gráfico correspondente no post acima ;)
    Fernanda   
    20 de abril de 2013 às 0:56 | Permalink

    Olá,

    É minha 1º vez aqui, e confesso que estou bem animada,estou com vontade de fechar uma pacote para Porto seguro, embarcando dia 22/12/13,mas estou com medo de não fazer sol, visto que lá chove frequentemente. Qual a sua opinião.

    Grata
        OnLine   
        20 de abril de 2013 às 8:03 | Permalink

        Olá, Fernanda! O sul da BAhia é sempre uma boa pedida.
    nicole lima   
    26 de abril de 2013 às 11:47 | Permalink

    pelo que estou vendo férias no Brasil em julho é assim: frio no sul/sudeste ou chuva no nordeste, menos no ceará, onde tem vento pra burro. Alguma opção boa para viajar com crianças pequenas nesta época?
    Patrícia   
    28 de abril de 2013 às 20:25 | Permalink

    Oi!!! vou conhecer João Pessoa em Julho, gostaria de indicações de bares e restaurantes. Obrigada
        OnLine   
        28 de abril de 2013 às 20:32 | Permalink

        Olá, Patrícia! Veja sugestões a partir da página-guia de João Pessoa. Clique nos links: http://www.viajenaviagem.com/brasil/capitais/joao-pessoa-ricardo-freire/
    Jairo Henrique   
    29 de abril de 2013 às 16:44 | Permalink

    Ola OnLine,

    Estou planejando minha viagem de férias agora em Junho para Punta Cana, neste periodo chove muito?

    Sabe de algum resort all inclusive que tenha serviço de Translado para o Aeroporto, e indicação de algum resort!

    Muito obrigado.
        OnLine   
        29 de abril de 2013 às 19:31 | Permalink

        Olá, Jairo! Sobre as chuvas, veja na tabela de junho do post acima ;)

        Use táxi para ir do aeroporto ao hotel. É mais barato que o traslado, seguro e tabelado.

        Veja como escolher seu resort em Punta Cana:
        http://www.OnLineviagem.com/2010/06/como-escolher-seu-resort-em-punta-cana/
    Patrícia   
    3 de maio de 2013 às 10:48 | Permalink

    Estou com uma viagem marcada para os dias 22-27 de Junho no Resort Pestana. Qual a possibilidade de chuva nessa época?
    Obrigado
        OnLine   
        3 de maio de 2013 às 15:54 | Permalink

        Olá, Patrícia! Veja as médias de chuvas para Natal nos gráficos acima! Acompanhe também a previsão do tempo.
    Larissa Vilela   
    3 de maio de 2013 às 13:25 | Permalink

    Tenho uma viagem marcarda na primeira semana de junho para o Nordeste,será q pegarei periodo muito chuvoso? Destinos próváveis NATAL,PORTO SEGURO,MACEIÓ E BAHIA,qual o melhor para arriscar sem pegar muita chuva e o máximo de sol? o que indicaria nesse período?!?!!? Obrigada!
        OnLine   
        3 de maio de 2013 às 16:00 | Permalink

        Olá, Larissa! Sul da Bahia é mais seguro. Consulte o gráfico!
    Tatiane Oliveira   
    6 de maio de 2013 às 2:19 | Permalink

    Estou planejando uma viagem para Maceio no final de Julho, além da probabilidade de chuva, faz frio ?
        OnLine   
        6 de maio de 2013 às 5:59 | Permalink

        Olá, Tatiane! Não faz frio no litoral do nordeste, não se preocupe.
    Jorge   
    9 de maio de 2013 às 9:31 | Permalink

    Bom dia!

    Estou planejando uma viagem para o inicio de Outubro, pretendo ir para Maragogi. Você teria alguma dica quanto aos dias de chuva?
        OnLine   
        9 de maio de 2013 às 9:36 | Permalink

        Olá, Jorge! Veja dicas para dias chuvosos: http://www.OnLineviagem.com/2010/04/como-aproveitar-o-inverno-do-nordeste/

        Em outubro já costuma chover menos por lá.
    Bruno   
    10 de maio de 2013 às 14:15 | Permalink

    Olá!

    Comprei um pacote para corpus christi em Ilha Bela – SP.

    Com o aqui no Rio tem feito bastante frio a noite, imaginei que lá não seria diferente. Será que chove durante o feriado lá? Estou com um pacote para Gramado. Caso seja só chuva em ilha bela, cancelo e parto para Gramado!!!

    Consegue me ajudar?

    Vlwwww, abraços!
        OnLine   
        10 de maio de 2013 às 20:18 | Permalink

        Olá, Bruno! A média de chuvas para a época é de 158mm para maio e 96mm para junho — você pode pegar alguma chuva. Acompanhe a previsão do tempo para tomar sua decisão.
DEZEMBRO: excelente para Nordeste e Caribe; o Sudeste se encaminha para o padrão mais chuvosinho do verão (Rio-Santos já dá sinais daquele Réveillon molhado).

PEGADINHA: no Caribe as noites vão estar agradáveis mas a água estará mais para a friazinha.

Fontes: World Meteorological Organization (Cancún, San Andrés, Cidade do Panamá, Grand Cayman),Weather.com (Punta Cana, St. Maarten, Curaçao, Cartagena, Nassau, Miami, Barbados, Punta del Este), The Weather Network (Varadero), World Weather Travellers Guide (Aruba), World Weather Online (Los Roques, Turks & Caicos), Jornal do Tempo (Fortaleza, Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Praia do Forte, Salvador, Maraú, Itacaré, Porto Seguro, Prado, Itaúnas, Vitória, Búzios, Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Paraty, Ubatuba, São Sebastião, Ilha do Mel, Balneário Camboriú, Florianópolis, Garopaba, Torres, Fernando de Noronha)

Pesquisa & infográficos | Mariana Amaral

Pronto. Agora você já tem onde olhar para determinar onde vai pegar seu bronze. Pesquisamos o histórico de chuvas em mais de 40 destinos praianos no Brasil e no Caribe. (Antes que você fale: sim, eu sei, a Cidade do Panamá não tem praia, mas é escala de muita gente que vai ao Caribe, então já vai na carona.)

Os gráficos estão montados em ordem decrescente de precipitação pluviométrica, que é o jargão meteorológico pra chuva. Até 50 mm no mês é garantia de férias secas. Até 100 mm, eventuais chuvas não incomodarão. Entre 100mm e 200mm, não dá para reclamar com São Pedro se chover um pouco. Acima de 200 mm? Eu escolheria outra praia. Sempre tem alguma com tempo seco!

Fique atento, porém, às pegadinhas de cada mês, em que eu explico alguns detalhes que não aparecem nos gráficos.

Bom proveito!

Leia também:

Estação de chuvas no Nordeste e no Caribe: chove sem parar ou só um pouco?
Categorias: Aracaju, Aruba, Bahamas, Balneário Camboriú, Barbados, Boipeba, Búzios, Cancún, Capa, Capaf, Caribe, Cartagena, Cuba, Curaçao, Florianópolis, Fortaleza, Ilhas Cayman, Itacaré, Jericoacoara, Los Roques, Maceió, Maragogi, Morro de São Paulo, Nordeste, Pipa, Porto Seguro, Porto de Galinhas, Punta Cana, Salvador, San Andrés, Santa Catarina, St. Maarten/St.-Martin, Torres
Tags:
176 comentários para “PRAIÔMETRO | Chuva mês a mês em 42 praias do Brasil e Caribe”

    Anderson   
    10 de maio de 2013 às 17:40 | Permalink

    Não achei nenhuma praia (muito) próxima a Marataizes/ES no praiometro. Estou querendo ir passar o feriado de Corpus Christi (final de maio/inicio de junho) por lá. Alguma recomendação?
    Grato!
    Ana   
    12 de maio de 2013 às 23:57 | Permalink

    Não achei a legenda dos desenhos. Pretendo ir a Fortaleza e Jericoacora em maio. Como fica o tempo? Qual seria boas opções para este mês de maio em relação a praias? Já conheço Maceió, Natal e Porto de Galinhas e Porto seguro.
        OnLine   
        13 de maio de 2013 às 6:28 | Permalink

        Olá, Ana! O item Fortaleza está presente em todas as tabelas. Existe uma tabela do mês de maio.
    elisandra   
    16 de maio de 2013 às 19:09 | Permalink

    OLá. Vi que Búzios há baixa incidência de chuvas em agosto, mas minha dúvida é: como é a temperatura da água neste período Melhora ou é sempre geladíssima por lá (Búzios e Arraial). Obrigada
        OnLine   
        17 de maio de 2013 às 5:12 | Permalink

        Olá, Elisandra! A temperatura da água é fria na região o ano inteiro.
    claudia   
    18 de maio de 2013 às 11:08 | Permalink

    Bom dia

    Desculpe-me mas poderia por favor me explicar as cores dos gráficos,o que representa as cores amarelas, a lilás e a riscada lilás e branca.
    Agradeco muito e adoro voces
        OnLine   
        18 de maio de 2013 às 11:15 | Permalink

        Olá, Claudia! Amarelo é destino nacional, lilás é destino internacional, bloco rajadinho é risco de furacão.
    vanessa   
    28 de maio de 2013 às 10:54 | Permalink

    Eu gostaria de saber se vou pegar tempo bom em Angra dos reis em agosto.
        OnLine   
        28 de maio de 2013 às 11:02 | Permalink

        Olá, Vanessa! É provável.
    guilherme   
    30 de maio de 2013 às 21:31 | Permalink

    Li muito no site sobre maragogi, e até agora tinha a ideia de que em agosto/setembro não era época de chuvas, mas no praiometro aponta muita chuva neste período. Gostaria de confirmar se a ida para o Salinas de Maragogi é um bom negócio entre agosto e setembro. Abs/Guilherme
        OnLine   
        30 de maio de 2013 às 21:33 | Permalink

        Olá, Guilherme! Os meses em que Maragogi passa dos 200 mm são de abril a julho.

Arquivo Zip.net: dezembro 2005 (II)

Luk Americano • 6 agosto, 2007

Infelizmente é impossível indexar na unha post por post das encarnações passadas do OnLine Viagem em outros servidores.

Mas se você tiver paciência e força de vontade, vai achar posts no arquivo de dezembro de 2005 (parte 1) sobre os seguintes destinos/assuntos:

    De carro pelo Nordeste

    Salvador

    Praia do Forte

    Imbassaí

    Costa do Sauípe

    Morro de São Paulo

    Boipeba

    Barra Grande/Maraú

    Itacaré

    Una

    Santo André

    Arraial d’Ajuda

    Trancoso

    Praia do Espelho

    Caraíva

Instruções:

1) Clique aqui.

2) Tenha paciência. A página demora um século para carregar. Faça um pit stop no banheiro ou na cozinha, ou abra outra janela e navegue por aí enquanto a página carrega.

3) Role até o final da página e comece a procurar de baixo para cima, na ordem em que os posts foram publicados.

   

Resumindo: de ônibus pela Costa do Dendê

Luk Americano • 2 fevereiro, 2010

Tiririca, Itacaré

A região imediatamente ao sul de Salvador, conhecida como Costa do Dendê, esconde algumas das praias mais bonitas do Brasil. Chegar até elas nunca é fácil. Morro de São Paulo está na ilha de Tinharé, Boipeba também é uma ilha, e a península de Maraú tem um acesso por terra tão precário que a maioria dos visitantes chega pelo mar. Na ponta sul da região, o vilarejo de Itacaré até há pouco não tinha nenhuma ligação terrestre direta com o resto da costa.

É um dos poucos trechos do litoral brasileiro onde não vale a pena passear de carro alugado, entrando de praia em praia. Quem fizer isso na Costa do Dendê acabará pagando diárias à toa, pois o carro vai ficar em estacionamentos no continente, enquanto seus ocupantes aproveitam as areias de Morro, Boipeba ou Barra Grande. O único lugar onde vale a pena estar de carro é Itacaré.

Em compensação, a Costa do Dendê é perfeita para ser esquadrinhada do jeito mais popular: de ônibus. Os horários são freqüentes, e as distâncias, relativamente curtas. Tendo algum tempo para perder – digamos, meio turno a cada deslocamento –, você pode pular de praia em praia sem se incomodar com placas, abastecimento ou estacionamento.

A SAÍDA: FERRY-BOAT

Um dos assuntos do momento na Bahia é a planejada construção de uma ponte ligando Salvador a Itaparica – seria uma obra do porte de uma Rio-Niterói. Enquanto a ponte não sai, o jeito menos complicado de sair de Salvador em direção à Costa do Dendê é pegando os ferry-boats que ligam o terminal de São Joaquim à localidade de Bom Despacho, na ilha. Há uma saída por hora (veja os horários em Travessias Online), para uma viagem que leva 50 minutos. Aproveite o tempo a bordo para comer um beiju fresquinho de tapioca com coco ou tomar um café com bolo de aipim. A passagem custa entre R$ 3,95 e R$ 5,20.

De Bom Despacho saem ônibus para todos os destinos da região, em horários coordenados com a chegada dos ferry-boats. Você pode comprar a passagem na hora ou, se quiser se precaver, chegar já com a passagem na mão. Consulte os horários nos sites das companhias (Águia Branca ou Cidade Sol) e compre por telefone (na Águia Branca também dá para comprar pela internet).

Costa do Dendê

VALENÇA: HUB DO DENDÊ

A 1h45min de viagem (e R$ 15,30 de tarifa), Valença é o porta de acesso a dois destinos de perfis diametralmente opostos: a fervida Morro de São Paulo e a tranqüila Boipeba. Você vai descer na rodoviária e pegar um táxi, que cobra R$ 10 e leva cinco minutos até as lanchas.

Morro de São Paulo também é servido por catamarãs que saem do Mercado Modelo, em Salvador, e vão direto à ilha, em viagens de duas horas e meia. Mas o mar aberto é tão encrescapo e desagradável que os habituês preferem ir por Valença. De lá partem lanchas rápidas a todo momento, para um percurso de apenas 30 minutos, por águas calmas. A passagem custa entre R$ 12 e R$ 15.

De Valença também partem as lanchas rápidas para Boipeba – um conforto implantado há apenas dois verões. Em menos de uma hora, navegando pelo belo estuário do arquipélago de Cairu, você desembarca no porto de Velha Boipeba. Para garantir seu lugar na lancha, é aconselhável pedir à sua pousada para fazer uma reserva.

CAMAMU: NO CENTRO

Com a inauguração do trecho que faltava da BA 001, dali até Itacaré, Camamu viu-se repentinamente no meio do caminho entre Valença e Itacaré. De Valença dá 1h40 de ônibus (R$ 8). Desça aqui para ir a Barra Grande, na ponta norte da península de Maraú. As lanchas rápidas levam meia hora e cobram R$ 25 por passageiro (veja os horários em Camamu Adventure).

Pela estrada nova, Itacaré está a menos de uma hora e meia de ônibus (R$ 7). É uma linha particularmente útil no sentido oposto. Se você está em Itacaré, quer passear por Barra Grande e Taipus de Fora mas não quer aderir aos extenuantes bate-voltas em off-road vendidos pelas agências da vila, o ônibus é uma grande pedida. Uma vez em Barra Grande, pegue a jardineira a Taipus. Consulte antes a tábua das marés para se certificar de que vai estar em Taipus durante a maré baixa, que é quando aparece a piscina natural.

NOVIDADE: MORRO + ITACARÉ

Junto com a extensão da BA 001 entrou em operação uma linha entre Bom Despacho e Itacaré, em vários horários ao longo do dia (alguns com conexão no ‘hub’ de Valença). Essa linha possibilita combinar numa mesma viagem dois destinos que combinam muito bem: Morro de São Paulo e Itacaré. O ambiente de festa e o público são parecidos nos dois lugares; só a paisagem é que muda: coqueiros e mar calminho em Morro, mata atlântica e ondas em Itacaré. A viagem de Valença a Itacaré leva três horas e custa R$ 16,30.

Se você fizer este percurso, programe a sua volta de avião por Ilhéus, que está a apenas 65 quilômetros de Itacaré. (Se gostou da experiência e quiser continuar de ônibus, dá 1h30 de viagem até a rodoviária, a R$ 10. Lá você pega um táxi para o aeroporto, por R$ 18.)

Originalmente publicado na minha página Turista Profissional, que sai todas as terças no caderno Viagem & Aventura do Estadão.

   


Categorias: Barra Grande, Barra Grande & Maraú, Boipeba, Capa, Itacaré, Morro de São Paulo
Tags:
208 comentários para “Resumindo: de ônibus pela Costa do Dendê”

    Johnny Matos   
    22 de novembro de 2012 às 23:02 | Permalink | Responder

    Uma dica aos viajantes: Muito cuidado com o ferry-boat Salvador – Bom Despacho, está um caos!!! Estive agora por lá no feriadão de novembro, e na ida, fiquei mais de 02 horas na fila (sem contar a 1h de travessia, normal) na volta, como era 3a feira a noite e lá em Bahia, não era feriado, pensei que ia estar tranquilo, que nada, só haviam 02 balsas (as outras 04 estavam quebradas) e eu ia ter que esperar mais de 03 / 04 horas, sem a certeza, mas 1 hora da travessia…fui obrigado a voltar tudo e contornar a baía de Todos os Santos de carro…doído….e que mais me indignou foi que não havia sequer uma faixa no caminho, para avisar dos problemas, se houvesse, não teria ido até Itaparica para voltar até Nazaré de novo…nada nada andei 200km por nada!!!!
    branca   
    10 de dezembro de 2012 às 15:12 | Permalink | Responder

    Estou indo dia 26/12 para Salvador e de lá eu e meu marido,vamos para Barra grande.Estamos em duvidas como fazemos para chegar lá,se pegamos um onibus na rodoviaria de Salvador,um taxi..alguem sabe me informar passo a passo??Alugamos uma casa em Barra Grande,e para nao ficarmos so em um lugar preciso de dicas de restaurantes,melhor praia,se tem como fazer bate e volta e outras praias..Enfim desde de já agradeço pelas informaçoes.
        OnLine   
        10 de dezembro de 2012 às 16:20 | Permalink | Responder

        Olá, Branca! Consulte as informações do post acima e o miniguia que acaba de ser publicado: http://www.viajenaviagem.com/2012/12/praias-bahia-itaparica-morro-sao-paulo-boipeba-barra-grande-marau-itacare-ilheus-una-comandatuba-canavieiras/
    Guilherme Biazzi   
    19 de março de 2013 às 13:22 | Permalink | Responder

    Amigos, Boa Tarde.
    Qual a melhor forma para se chegar até Lençóis, na Chapada Diamantina, saindo de Salvador?
    Outra dúvida: como chego até Valença e Camamu saindo de Salvador?!
    Vale a pena pegar o onibus rumo a Lençós saindo às 23 horas?
    Obrigado,
    Guilherme.
        OnLine   
        20 de março de 2013 às 6:50 | Permalink | Responder

        Olá, Guilherme! De Salvador a Lençóis há ônibus (7 horas de viagem) e dois vôos semanais, às quintas e domingnos, pela Azul.

        Sobre Valença e Camamu, leia o post, por favor.
    Helder Guabiroba   
    3 de abril de 2013 às 18:37 | Permalink | Responder

    Estou querendo ir para Barra Grande no periodo de 20 a 27 de maio de 2013. Esta época é de muita chuva na região? Estive lá em novembro passado e achei muito legal. Vale a pena arriscar?
    Grato,
    Helder.
        OnLine   
        4 de abril de 2013 às 6:22 | Permalink | Responder

        Olá, Helder! Abril a julho são os meses mais chuvosos da região.

        Consulte o nosso Praiômetro (para Barra Grande, veja “Maraú”):
        http://www.OnLineviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/
    Lucila Penna   
    5 de abril de 2013 às 9:29 | Permalink | Responder

    Olá! Qual a melhor forma para chegar a Barra Grande saindo de Boipeba? Por favor me ajudem, já entrei em vários sites e estou super confusa!!! Obrigada,
    Lucila
        OnLine   
        5 de abril de 2013 às 10:24 | Permalink | Responder

        Olá, Lucila! Olha o desenho lá em cima ;)

        Você vai ter que ir a Valença ou Graciosa e pegar o ônibus a Camamu; de Camamu você vai de lancha a Barra Grande.
    henrique reali   
    23 de maio de 2013 às 17:08 | Permalink | Responder

    Boa tarde, gostaria de informações acerca da situaçaõ atual do transporte de ferry boat de salvador para Bom Despacho, considerando as informações nos post e se há um bus direto salvador itacaré! estou indo dia 9 pra salvador.
        OnLine   
        24 de maio de 2013 às 6:14 | Permalink | Responder

        Olá, Henrique! A situação está bem menos caótica, mas quem atravessa de carro continua sem poder fazer reserva de horário.

        Para passageiros, não há problemas.

        Os ônibus para Itacaré saem de Bom Despacho, você vai ter que atravessar de ferry.
            henrique reali   
            24 de maio de 2013 às 15:05 | Permalink | Responder

            vou de ferry, mas pergunto sobre a necessidade de chegar com antecedência.. ou é só chegar e embarcar!
                OnLine   
                25 de maio de 2013 às 10:28 | Permalink | Responder

                Olá, Henrique! Passageiros só precisam chegar e embarcar no próximo a sair.
                    henrique reali   
                    27 de maio de 2013 às 16:46 | Permalink | Responder

                    tem onibus a toda hora… pq vi no site da empresa de ônibus e pareceu que tem bus até 13h… confirma?3
                        OnLine   
                        27 de maio de 2013 às 22:49 | Permalink | Responder

                        Olá, Henrique! Para chegar a Itacaré no mesmo dia, chegue a Bom Despacho antes das 13h.
    Zulu Turismo   
    28 de maio de 2013 às 14:28 | Permalink | Responder

    Adorei o desenho sobre o transfer complicado para Morro de São Paulo! Muito bom!
    Para quem sofre a mesma confusão: http://www.morrodesaopauloOnLine.com/transfer-salvador-morro-de-sao-paulo.html
    Aqui pode deixar o planejamento para os outros e viajar tranquilo e organizado.
    Tamires   
    16 de junho de 2013 às 19:11 | Permalink | Responder

    Boa noite,
    estou querendo começar minha viagem em Lençóis, Chapada Diamantina e depois ir até Itacaré. Gostaria de saber qual o melhor trajeto e transporte para realizar essa viagem.
        OnLine   
        16 de junho de 2013 às 19:14 | Permalink | Responder

        Olá, Tamires! De ônibus você vai ter que voltar a Salvador e lá pegar o ônibus para Itacaré em Bom Despacho.
    Thiago?   
    25 de julho de 2013 às 9:23 | Permalink | Responder

    bom dia! Minha esposa e eu vamos ficar em morro de são paulo depois pretendemos ir para itacaré. Pelo que entendi devemos pegar uma lancha até Valença e depois um ônibus para Itacaré. É isso msm? Qual empresa devemos procurar?
        OnLine   
        25 de julho de 2013 às 19:58 | Permalink | Responder

        Olá, Thiago! É isso mesmo. Ao chegar em Valença, peguem um táxi para a rodoviária. Informe-se sobre o próximo ônibus nos guichês; pode ser da Águia Branca ou da Cidade do Sol.
    linda   
    5 de setembro de 2013 às 15:29 | Permalink | Responder

    estou indo para morro de são Paulo e pensei em contratar a empresa zuluturismo para o transporte terrestre mas gostaria de obter informações sobre a credibilidade da referida empresa,bem como saber se realmente existe a necessidade de tal contratação,pois meu medo e de chegar lá e esperar muitas horas na fila para compra de passagem nas lanchas.acho que contratando o serviço estou livre de tal preocupação,estou certa?
        linda   
        5 de setembro de 2013 às 15:39 | Permalink | Responder

        meu retorno de morro de são Paulo para salvador será às 17:20,caso eu venha na lancha que sai de morro às 10:30,chegarei a tempo no aeroporto?já que ouvi dizer que o transito de salvador é bem complicado.
            OnLine   
            5 de setembro de 2013 às 19:52 | Permalink | Responder

            Olá, Linda! Não temos como recomendar ou verificar a reputação de nenhuma empresa de turismo.

            Nossa recomendação é combinar o traslado com a sua pousada.
    Eduardo   
    30 de setembro de 2013 às 15:27 | Permalink | Responder

    Olá, estarei em Cumuruxatiba com minha família no carnaval e de lá queremos subir até Barra Grande. Alguém pode me indicar a melhor opção para fazê-lo? Volto para Vitória (minha cidade) e pego um avião lá para Ilhéus? OU existe algum ônibus de teixeira de freitas até Camamu? Alguem pode nos ajudar com a melhor opção?

    abraços!
        OnLine   
        30 de setembro de 2013 às 19:16 | Permalink | Responder

        Olá, Eduardo! Você provavelmente precisará ir a Itamaraju e pegar com direção Bom Despacho para descer em Camamu. Se não houver, vai precisar ir até Ilhéus ou Itabuna e lá pegar um ônibus com direção Bom Despacho. Os ônibus de Bom Despacho são os que vão para o ferry-boat e por isso passam por Camamu e Valença. Não há vôos de Ilhéus para Vitória; você vai precisar fazer conexão em Belo Horizonte.
    Douglas   
    10 de outubro de 2013 às 17:06 | Permalink | Responder

    Vou inciar minha viagem em Ilhéus, vou passar 3 dias em Itacaré e seguir para Taipu de fora. Gostaria de saber de como chegar a Itacaré e depois seguir até Taipu de fora. O retorno sera para Ilhéus novamente. desde ja agradeço!
    abraço!
        OnLine   
        11 de outubro de 2013 às 8:05 | Permalink | Responder

        Olá, Douglas! Como está claro n o texto, há ônibus de Ilhéus para Itacaré e de Itacaré para Camamu, onde se pega uma lancha para Barra Grande e se segue de jardineira a Taipu.

        Você também pode pegar um passeio de Itacaré a Taipu e ficar por lá.
    Elcio Santana   
    22 de outubro de 2013 às 19:22 | Permalink | Responder

    Olá! Existe algum ônibus direto pra Camamu de Salvador? Lembro quando fui à Barra Grande que estava saindo pra Salvador um ônibus da Águia Branca (Salvador-Camamu)

    Att,

    Elcio Santana
        OnLine   
        23 de outubro de 2013 às 6:30 | Permalink | Responder

        Olá, Elcio! A rota mais curta e freqüente é por Bom Despacho.
    Ana   
    24 de novembro de 2013 às 16:46 | Permalink | Responder

    Boa tarde .
    Vou para Barra Grande em janeiro 2014.
    Vou sair de Salvador .
    Qual a melhor forma de chegar lá sem pagar preços absurdos de transfer?
        OnLine   
        24 de novembro de 2013 às 17:20 | Permalink | Responder

        Olá, Ana! Ferry boat a Bom Despacho, ônibus a Camamu, lancha a Barra Grande.

João Carlos Oliveira   
23 de dezembro de 2010 às 17:50 | Permalink | Responder

Ricardo,

Estou programando minha ida a Salvador pela primeira vez. Chego dia 18/01 e retorno dia 25/01, nunca fiz uma progração sozinho e não conheço nada em Salvador. Poderia me ajudar com algum roteiro para fazer, ainda não sei qual hotel ficarei, se tiver alguma dica também pode mandar. Obrigado.

    Luk Americano   
    24 de dezembro de 2010 às 3:18 | Permalink | Responder

    Há dois capítulos sobre Salvador no meu livro:

    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=2670594

    O conteúdo ainda não foi passado para o site, desculpe.

raimundo   
4 de janeiro de 2011 às 16:21 | Permalink | Responder

Alguém tem alguma dica onde deixar o carro em Valença? É possível deixar no estacionamento do porto?

    OnLine   
    4 de janeiro de 2011 às 16:28 | Permalink | Responder

    Olá, Raimundo! Há estacionamentos perto do ponto de embarque para Morro e Boipeba, sim!
        raimundo   
        4 de janeiro de 2011 às 16:58 | Permalink | Responder

        Obrigado, Dra. Bóia! Espero que você, de quando em vez, dê uns “pitis” também. Para mim são a parte mais divertida do site. A do “marido insuportável” foi a melhor de todas.
            AOnLine   
            4 de janeiro de 2011 às 17:26 | Permalink | Responder

            Nós, as bóias, só não somos fofas quando estamos murchas! Os pitis vão continuar monopólio do nosso Comandante!

Guilherme   
10 de janeiro de 2011 às 14:59 | Permalink | Responder

Prezaos,

Morro no Carnaval: ficar na vila beira o insuportável?

A proposito, alguém indica uma pousada tranquila, com bom serviço e com preços razoaveis para descanso? (já tentei Pousada da Torre e Minha Louca Paixão, mas ultrapassam o budget)

Obrigado!

    OnLine   
    10 de janeiro de 2011 às 15:14 | Permalink | Responder

    Olá, Guilherme! Todos os vilarejos de praia costumam ficar com lotação máxima no Carnaval. Morro é tradicionalmente o destino pós-carnaval de muita gente que passa o Carnaval em Salvador, então a muvuca continua de quinta a domingo também.

    No livro 100 praias que valem a viagem, o Comandante recomenda na faixa intermediária as pousadas Aymorés (começo da 4a. Praia), O Casarão (praça central) e Mareia (caminho da praia).

Guilherme   
10 de janeiro de 2011 às 16:31 | Permalink | Responder

Boia, obrigado!

Sei que a lotaçao dos destinos de praia é a máxima nesse periodo, porém o meu questionamento é com relaçao à essa região específica de Morro, uma vez que as pousadas localizadas próximo à vila têm preços melhores.

Meu receio é: música insuportavelmente alta até a madrugada, barulho de lanchas logo pela manhã e outros fatos desse tipo que podem prejudicar o descanso.

Em caso positivo, cogito a hipótese de pagar um pouco mais e ficar na região da 3ª ou 4ª praia, mais afastadas.

Obrigado, mais uma vez!
Rê   
17 de março de 2011 às 12:22 | Permalink | Responder

Pessoal, estou indo para Morro com um grupo de amigas e queremos aproveitar também as festas. É seguro caminhar do centro ou da segunda praia para a terceira de madrugada? Existe algum transporte que leve os turistas até as pousadas da terceira praia?

    OnLine   
    17 de março de 2011 às 22:05 | Permalink | Responder

    Sim, Rê!

Beta   
7 de abril de 2011 às 2:02 | Permalink | Responder

Vou fazer a costa do dendê em maio… alguém vai nessa época? Sabem notícias sobre chuvas? Vi alguém comentando aqui e fiquei preocupada!

Bora fazer os roteiros de pousadas e dias em cada praia! ;) )

Adoro isso aqui, sempre acho o que procuro!

    OnLine   
    7 de abril de 2011 às 6:59 | Permalink | Responder

    Olá, Beta! A temporada de chuvas no norte da Bahia vai de abril a junho/julho. O tempo mais firme vai de outubro a fevereiro.

    Leia:
    http://www.viajenaviagem.com/2011/01/ferias-no-brasil-como-fugir-da-chuva/

    http://www.viajenaviagem.com/2010/04/como-aproveitar-o-inverno-do-nordeste/
        Beta   
        7 de abril de 2011 às 18:51 | Permalink | Responder

        Obrigadaaa!! Vocês são demais!! Eu não tenho muita escolha. As férias só puderam ser em maio! Vamos nós aproveitar ao máximo o que vier! ;)
        Many thanks

Giovanna   
12 de abril de 2011 às 1:43 | Permalink | Responder

Ola..adorei os posts!! muitas informaçoes!! mas ai vai a minha pergunta: to querendo viajar em setembro…e ficar numa pousada chamada KALUANA, alguem tem alguma referencia??é boa?? ela fica em taipus. outra duvida é: tem como se locomover pelas praias sem carro?? as jardineiras funcionam a noite??como estarei hospedada em taipus..nao sei se tem alguma vida noturna por la (restaurantes e pizzarias por exemplo!)..agradeço qualquer ajuda!!

    OnLine   
    12 de abril de 2011 às 7:16 | Permalink | Responder

    Olá, Giovanna!

    Fora do horário das marés, quando funcionam como lotações, as jardineiras funcionam como táxi no resto do dia. Você pode ir e voltar a Barra Grande de jardineira à noite, mas vai pagar caro. Já existe um pequeno centrinho em Taipus com alternativas para quem está hospedado por lá.

    A logística em Maraú é realmente bastante complicada. Se a sua ênfase é vida noturna, é melhor ir para Barra Grande — e na temporada.

    Vamos pôr a pousada Kaluana no Perguntódromo para ver se alguém já foi.

Rachel   
24 de abril de 2011 às 13:45 | Permalink | Responder

Verdade Giovana, pode acreditar… voltei de Taipu de Fora e na baixa temporada é complicado o negócio das jardineiras por lá, os caras de Barra Grande meio que te ignoram porque só se deslocam se conseguem no mínimo 4 pessoas para lotação senão cobram R$ 30 qndo em média o valor real é R$ 7,50 na alta. Pra quem tá sozinho a opção é pegar o moto taxi custa R$ 15 ou ir e voltar pela praia numa mega caminhada observando claro o fluxo da maré:) Não rola vida noturna de agitos em Taipu, nada abre nem o Bar das Meninas e nem o Bar do Francês, mas uns banhos de mar maravilhosos se vc curtir ou se a galera da sua pousada se animar em fazer luau. De Itacaré para Maraú as agências cobram transfer tipo passeio ida e volta pra Taipu caso vc prefira se hospedar lá, ou seja, R$ 60 reais cada trecho (R$ 120). Bem na baixa sem muita opção mas não desanime. Bem,o Custo de Alimentação em Taipu é mais alto que Barra Grande e Itacaré, variando de R$ 40 a R$50 reais no individual e R$ 70 para dupla, então observe a localização, se há restaurante na pousada ou se há meia pensão oferecida na diária, já que na baixa é mais difícil encontrar solteiros indo para noite de Barra Grande! Achei meio complicado ir pra lá a noite, nem me preocupei, por isso curti mais a noite no Jungle em Itacaré. Setembro o tempo é mais constante, talvez mude essa perspectiva, o lance é tentar !!! bjoss Rac
Mariana   
12 de maio de 2011 às 21:06 | Permalink | Responder

Olá pessoal,
só para avisar que coloquei algumas dicas sobre Morro de São Paulo no meu blog (http://mundoecaracois.blogspot.com), estive lá em abril/2011!
Um abraço,
Mariana
Fabiana   
19 de maio de 2011 às 23:00 | Permalink | Responder

Estou programando uma viagem a Morro de São Paulo, alguém tem alguma dica de qual melhor praia ficar e pousadas ? E também saber dicas sobre que empresa local contratar para passeios bem como transfer..
Sylvia Mendonça - São Paulo   
17 de julho de 2011 às 17:15 | Permalink | Responder

Ric eu faço essa viagem qualquer hora, não tenho data mais o principal já está traçado a vontade de fazer o mesmo percurso, você é 100000000000 para Brasil e para qualquer lugar do mundo, afinal foi tu que inventastes OnLine viagem.Adorei sua palestra.PARABÉNS!!!!!!!!
O Brasil por Ricardo  « Like and share   
18 de julho de 2011 às 18:27 | Permalink | Responder

[...] Um lugar preservado por estar justamente longe das capitais, a exceção de Porto Seguro, e que oferece cenários e experiências únicas no Brasil, e nesse tópico Riq comentou sobre a melhor viagem que fez nos últimos tempos, leia ela aqui. [...]
Nico   
9 de agosto de 2011 às 18:34 | Permalink | Responder

Ricardo, Bóia e trips: Pretendo fazer essa viagem de ônibus pela Costa do Dendê. Porém como estive há pouco tempo em Itacaré, não pretendo voltar nessa próxima viagem. Minha ideia é esticar até Sto André. Fazendo a travessia de voadeira entre Canasvieiras e Belmonte. Aí é que está minha dúvida. Pelo que entendi o Ricardo saiu de Barra Grande e foi para Itacaré e depois para Canasvieiras. Estou querendo sair de Barra Grande e ir direto a Canasvieiras. É possível fazer esse trajeto no mesmo dia? Alguém sabe qual linha de ônibus que opera esse trajeto entre Camamu e Canasvieiras? obrigado!!

    OnLinea   
    10 de agosto de 2011 às 6:27 | Permalink | Responder

    Olá, Nico! Não há ônibus que vá de Camamu até Canavieiras.

    Você até pode pegar um ônibus de Camamu a Ilhéus, mas — a continuar a situação de 2010 — esta rota era mais longa, porque mantinha o traçado original indo pela BR 101.

    O caminho mais curto é fazer Camamu-Itacaré, em Itacaré pegar o próximo ônibus para Ilhéus, em Ilhéus pegar o próximo ônibus a Canavieiras.
        Nico   
        10 de agosto de 2011 às 8:14 | Permalink | Responder

        Entendi. Obrigado Bóia. E pelo que vejo nas distâncias e horários de viagem acho que saindo cedo de Barra Grande é possível realizar o trajeto no mesmo dia.

Larissa   
2 de setembro de 2011 às 0:03 | Permalink | Responder

Olá,
Para ir para Barra Grande a melhor pedida é desembarcar em Ilhéus ou Salvador?
Existe alguma opção legal p réveillon que nao seja a beach ball?
Obrigada !
Vcs são, by far, o melhor site de turismo do Brasil! Parabens!

    OnLine   
    2 de setembro de 2011 às 0:05 | Permalink | Responder

    Olá, Larissa! ILhéus é mais próximo de Barra Grande. O Beach Ball domina a cena, se houver outra festa será micha.

Anderson   
16 de setembro de 2011 às 20:43 | Permalink | Responder

Olá,
Estou indo pra Itacaré dia 21/09, desço em salvador as 16:30 hs, mas percebi q os onibus pra Itacaré tem horarios bem reduzidos.
Qual seria minha melhor opção(via onibus),ja que estou com a passagem em mãos?
Obrigado

    OnLine   
    16 de setembro de 2011 às 21:03 | Permalink | Responder

    Olá, Anderson! O melhor é passar a noite em Salvador, ou trocar a sua passagem para Ilhéus (bem mais indicado).

Carol Maia   
27 de setembro de 2011 às 13:53 | Permalink | Responder

Riq,

Resolvi passar o feriado de 15 de novembro em Morro de São Paulo. Estou escrevendo para tentar esclarecer algumas dúvidas:
Qual a melhor forma de chegar?! Não sou de enjoar, mas não me agrada passar 2 horas num barco fechado com um monte de gente vomitando…não sei se é bem isso que acontece mas é o que falam. Mas também não tenho grana para ir de avião…então devo encarar o catamarã, ir de lancha ou misturar parte marítima/terrestre?
Quais passeios são imperdíveis?! Sei Boipeba é parada obrigatória, mas que outros passeios devo explorar?!

Obrigada!

    OnLine   
    27 de setembro de 2011 às 16:35 | Permalink | Responder

    Olá, Carol! O barco não é fechado. Não é garantido que alguém vomite… O melhor transporte é o de teco-teco :D

    Morro é um lugar para curtir praia de dia e festa de noite. Tente desencanar da idéia incutida pelas operadoras de que todo dia é preciso fazer algum passeio!
    RosaBsb   
    3 de outubro de 2011 às 15:38 | Permalink | Responder

    Carol, estive em Morro de 25/09 a 01/10, ida e volta de Catamarã. Alguns mariaram (tiveram mal estar), ninguém vomitou. Eu costumo passar mal, mas aguentei bem, foi só ficar em uma das cadeiras com muita ventilação. O balanço é forte, mas as pessoas que foram de barco e ônibus (os catamarãs só são autorizados quando não há risco de navegação), reclamaram muito da demora e do troca/troca.
    Na compra do bilhete em Salvador só aceitaram dinheiro (75R$), disseram que com até um dia de antecedência pode ser com cartão ou cheque. Em Morro aceitaram a compra com cartão de crédito/débito. Vai entender… Não fiz nenhum passeio, eles são de dia inteiro e prefiro curtir tudo no lugar onde estou e com muita calma. Deixei Boipeba para ir em outra oportunidade, a maioria, me parece, que faz pelo menos o passeio à Boipeba. Morro estava bem tranquilo, super gostoso de curtir, no feriado deve ficar bem cheio, mas há espaço para todos. Gostei muito. Se ainda não escolheu, indico a 2ª praia como lugar ideal para estar perto da praia e dos agitos da noite, sem depender de transporte das pousadas.

Pedro   
18 de outubro de 2011 às 1:51 | Permalink | Responder

Ricardo e Bóia, tudo bem?

Estou indo com minha namorada para a Península de Maraú por 6 dias em dezembro (18 a 24/12). Gostaria da opinião de vocês se vale a pena ficar os 6 dias em Barra Grande ou dividir 3 em Barra Gde e 3 em Taipus de Fora (ou uma 3ª opção q vcs indicarem). Além disso, vou de avião até Ilhéus e queria saber quanto tempo levo de carro ou ônibus de Ilhéus até Camumu.

Mto obrigado!

    OnLine   
    18 de outubro de 2011 às 4:20 | Permalink | Responder

    Olá, Pedro! Se você não faz questão de vida noturna, ficar uns dias em Taipus é ótimo, porque poupa você do deslocamento chato entre Barra Grande e esta praia. Tente programar esses dias segundo a maré, para aproveitar o máximo tempo possível de maré baixa.

    Leia:
    http://www.viajenaviagem.com/2010/11/piscinas-naturais-7-dicas-para-nao-perder-a-viagem/

    De táxi o trajeto entre Ilhéus e Camamu via Itacaré deve dar 1h30. De ônibus você precisará fazer uma baldeação em Itacaré ou então ir pelo pinga-pinga pelo caminho velho.

manu   
26 de outubro de 2011 às 16:42 | Permalink | Responder

Riq
acompanho sempre o seu blog e fico delirando com o tanto de lugar bonito que tem nesse mundão de Deus. :)

Meu foco agora é a bahia. Estou planejando uma viagem com 3 amigas e gostaria de alguma sugestão de destino. Estou perdida entre tantas opções…
A ideia inicial é viajarmos por 6/7 dias em março do ano que vem. Queremos sombra, água fresca, praias lindas, cervejinha gelada & camarão frito, algo para fazer a noite, mas nada que seja muita “bombação”(embora seja uma viagem de meninas, todas nós namoramos). Um lugar que esteja entre o roots (já que nenhuma das 3 tem coragem de acampar!) e o engomadinho, uma espécie de “Ilha grande – RJ” (é o único exemplo que consigo dar…)

Já ouvi opiniões diversas e contraditórias, então fico totalmente perdida. Descartei morro de são paulo pois uns amigos me disseram que lá é estilo búzios: lugares caros, apinhados de gente, “civilizado” demais. procede? nesse caso, porto seguro e ilhéus nem pensar, né?.

estou pensando em boipeba + barra grande (3 dias em cada). o que vc acha? tem alguma outra sugestão?

desde ja, muito obrigada pela atenção
bjs
manu

    OnLine
    27 de outubro de 2011 às 4:11 | Permalink | Responder

    Olá, Manu! Aqui quem responde é OnLine.

    Quem comparou Morro de São Paulo a Búzios ou não conhece uma ou não conhece a outra :D

    É um lugar muvucado (em março, menos do que no verãozão) mas ainda tem um quê alternativo. Não dá pra dizer que é engomadinho, não…

    Boipeba é um lugar que ainda retém características mais selvagens, mas a noite é extremamente limitada. A cidade é bem pacata.

    Barra Grande em março já estará bem tranqüila. O lugar só bomba mesmo no Réveillon. Talvez seja o que há de mais parecido com Ilha Grande nessa sua lista.

Lu   
7 de novembro de 2011 às 15:49 | Permalink | Responder

Bóia!O que você acha se eu fizesse o seguinte:Poa/Porto Seguro e ficava em Arraial d’Ajuda como ponto para conhecer Praia do Espelho?Depois iria para Taipu e fica uns 3 dias inteiros para conhecer também as praias de Barra Grande?E então seguiria para Morro de São Paulo e de lá conheceria Boipeba e então ira embora de Salvador para Poa….?obrigada.Como pelo que li não vale a pena alugar carro faríamos tudo de ônibus entre as praias.Pulei alguma praia bonita que faltou??obrigada

   OnLine   
    8 de novembro de 2011 às 4:42 | Permalink | Responder

    Olá, Lu! Como o Luk Americano sempre diz, não há o que “conhecer” numa praia! Como já te disse antes, o negócio é curtir. E em março você vai conseguir fazer essa viagem sem precisar engessar nada. Siga o roteiro invertido o post da Costa do Dendê de ônibus, leve previamente anotados telefones de pousadas que te interessem em todos os lugares onde você possa querer parar, e ligue na véspera de decidir seguir viagem. Sem stress.

Bárbara   
26 de novembro de 2011 às 17:18 | Permalink | Responder

Vou tirar 10 dias de férias em março/12 e gostaria de visitar uma dessas ilhas (Boipeba ou Morro de São Paulo) e estou com muita dúvida em qual ficar. Eu li que Boipeba é mais vazia e bonita, mas e se chover nesses 10 dias, o que eu faço? já morro é mais agitado, mas acho que 10 dias são muios dias…, preciso de ajuda!!! Gostaria de viajar para um lugar que tivessem praias quase desertas e que não chovesse.
Obrigada,
Bárbara

   
    26 de novembro de 2011 às 19:40 | Permalink | Responder

    Olá, Barbara! As duas ilhas são próximas. Em março você achará vagas em todas as pousadas. Poderá ficar uns dias numa ilha e uns dias na outra e ver o que mais te apetece. O pior das chuvas começa em abril.

Thassia   
30 de novembro de 2011 às 9:33 | Permalink | Responder

Olá! Preciso de uma dica.. farei uma viajem para Itacaré dia 13 de fevereiro de 2012, onde passarei 5 dias,logo após passarei 4 dias em Morro de São Paulo. Bom, já conheço bem Itacaré e sei que para visitar as melhores praias tenho que estar de carro. Mas não conheço Morro e me disseram que não tem nenhuma possibilidade de ficar de carro por lá! Socorro!!! Nós vamos de carro próprio mas como eu consigo chegar em Morro de carro e onde eu posso deixá-lo?
Preciso levar algum mapa específico? É fácil de chegar?
Agradeço desde já!

      
    1 de dezembro de 2011 às 5:02 | Permalink | Responder

    Olá, Thassia! Quem vai a Morro de São Paulo de carro deixa o carro em Valença. Há estacionamentos perto do ponto de embarque das lanchas. Espere gastar uns 15 reais por dia de estacionamento.

Irene   
2 de dezembro de 2011 às 11:59 | Permalink | Responder

Olá!
Passarei 7 dias em Morro, mas vou pousar em Ilhéus e de lá pegar um ônibus até Valença. O problema é que não estou conseguindo informações sobre a regularidade de ônibus para Valença. Será que tem com bastante frequência? E alguém sabe me dizer qual o tempo que leva até lá? Pq chego em Ilhéus por volta das 13h e gostaria muuuuito de pegar a lancha pra Morro no mesmo dia.
Brigadú! :)

       
    3 de dezembro de 2011 às 7:08 | Permalink | Responder

    Olá, Irene! É um trajeto sui generis…

    O site da Águia Branca, que só funciona em Explorer, informa dois horários Ilhéus-Valença: 7h45 e 14h45. A viagem leva 4 horas, o que indica que é um pinga-pinga feito pela estrada antiga. Ou seja: ninguém merece.

    http://www.aguiabranca.com.br

    Você vai aproveitar melhor o seu tempo e vai viajar menos estressada caso se programe para passar essa primeira noite numa pousada do centrinho de Itacaré. Os ônibus a Itacaré são freqüentes, e no dia seguinte você viaja pela rota curta, via BA 001. Informe-se sobre os horários correntes assim que desembarcar na rodoviária de Itacaré (e aproveite para comprar a passagem).

alice   
20 de dezembro de 2011 às 14:59 | Permalink | Responder

oi! moramos (eu+marido)em porto alegre e estamos pensando em passar uma semana no litoral sul da bahia, em fevereiro, antes do carnaval. queremos descansar e curtir lugares bonitos. qual a sugestão? vamos de avião até onde? e de lá: qual o melhor jeito de ir neste pouco tempo? E pousadas legais: quais são? Obrigada pelas dicas!

       
    20 de dezembro de 2011 às 15:34 | Permalink | Responder

    Olá, Alice! Voando a Ilhéus você pode ir a Itacaré. Voando a Porto Seguro pode ficar em Arraial d’Ajuda, Trancoso ou Santo André.

    Leia:
    http://www.OnLineviagem.com/category/sul-da-bahia
    http://www.OnLineviagem.com/category/itacare
    http://www.OnLineviagem.com/category/santo-andre

Aline   
2 de janeiro de 2012 às 18:38 | Permalink | Responder

Oi,
me caso em abril/12 e estou pensando em ir para Morro de São Paulo e Itacaré, mas já estou ficando triste pois já vi que é a época de chuvas.. Moramos no RJ e gostaríamos de ir para um lugar de praia, mas essa época pelo que vi não é a melhor para ir ao Nordeste.
Gostaria de uma sugestão de local de praia para viajar.
Obrigada.

 
    2 de janeiro de 2012 às 18:49 | Permalink | Responder

    Olá, Aline! O outono é excelente no Sudeste e em Santa Catarina. No Nordeste, o Sul da Bahia (região em torno de Porto Seguro) é uma boa aposta.

Túlio e Paula   
3 de janeiro de 2012 às 23:35 | Permalink | Responder

Olá, eu e minha mulher queremos viajar após o Carnaval, mais precisamente na quarta-feira de cinzas, de avião para Ilhéus e depois gostaríamos de saber o que seria melhor: 1 – alugar um carro e irmos para Itacaré e de lá para Maraú, Taipús de Fora e Barra Grande, ou 2 – irmos de ônibus e assim também poder esticar até Boipeba

       
    4 de janeiro de 2012 às 9:31 | Permalink | Responder

    Olá, Túlio! Um carro é útil durante uma estada em Itacaré, se você quiser às praias por conta própria. Caso queira fazer todos os passeios em grupos organizados, não precisará de carro. Carro é ínútil nos outros dois destinos cogitados.

Túlio e Paula   
3 de janeiro de 2012 às 23:38 | Permalink | Responder

Ôps, esqueci de perguntar também, é possível fazer o passeio de carro de itacaré a barra grande de carro alugado, que não seja 4×4


    4 de janeiro de 2012 às 9:31 | Permalink | Responder

    Olá, Túlio! Não se recomenda ir de carro à península de Maraú. É perrengue puro e nenhuma locadora, se souber dos seus planos, vai alugar para você. Vai-se de ônibus a Camamu e lá pega-se uma lancha.

Rebeca   
5 de janeiro de 2012 às 21:41 | Permalink | Responder

Olá, boa noite. Estou programando uma viagem para a península de maraú mas estou com receio de fazer a reserva na pousada e ela não ser como o site mostra. Você tem alguma informação sobre a pousada kaluana?

   
    6 de janeiro de 2012 às 0:18 | Permalink | Responder

    Alô, Rebeca! Já perguntaram sobre essa pousada por aqui, mas não temos referências sobre ela. Procure no TripAdvisor por referências! http://www.tripadvisor.com
        Rebeca   
        6 de janeiro de 2012 às 8:51 | Permalink | Responder

        obrigada. vou dar uma olhada.

maria fernanda   
9 de janeiro de 2012 às 14:09 | Permalink | Responder

Primeiramente, tenho q parabenizar pelo site!!
òtimo!!
será q alguem aqui pode me dizer até q horas do dia saem lanchas de Valença pare Morro de são paulo, ou sabem de algum numero q eu possa ligar p saber?

Grata!!!
Patricia Porto   
15 de janeiro de 2012 às 23:30 | Permalink | Responder

Oi! Parabéns pelo site é ótimo e super útil!

Viajarei para a Bahia em maio deste ano e passarei dez dias. Sei que é época de chuvas, mas nao tenho outro período.

Gostaria de saber o que me sugere dentre estes dois roteiros:
1 – Morro de SÃO Paulo – Boipeba – Taipus de Fora

2- Trancoso – Espelho

Em qual dos dois tenho menos riscos de chuvas?

Ainda, existe transporte de Morro de São Paulo para Taipus de Fora?

Obrigada, desde já, pela ajuda e pelas dicas!

 
    15 de janeiro de 2012 às 23:41 | Permalink | Responder

    Olá, Patricia! O melhor é ir para o sul da Bahia. Veja o que o Luk Americano recomenda para você aproveitar a sua viagem:
    http://www.onlineviagem.com/2010/04/como-aproveitar-o-inverno-do-nordeste/

    De Morro a Taipus você precisa ir de lancha a Valença, depois pegar o ônibus a Camamu, então a lancha a Barra Grande, então a jardineira a Taipus.

    De Boipeba a Taipus o esquema é o mesmo.

sandra shimada   
18 de fevereiro de 2012 às 0:10 | Permalink | Responder

Ola,
Vou para o Morro de SP e em seguida para Barra Grande em abril. Jã fiz este roteiro em 2009, mas saindo de Garapuá, mas desta vez gostaria de ir direto do Morro. Vi em seu script de percurso que teria uma alternativa saindo direto de Boipeba para Barra Grande com lancha fretada…vcs tem ideia de preco? e onde consigo estas lanchas?
Obrigada
   
    18 de fevereiro de 2012 às 9:16 | Permalink | Responder

    Olá, Sandra! Não conte muito com essa possibilidade. Na baixa temporada, sem passageiros a embarcar na volta em Barra Grande, deve ficar ainda mais caro. Consulte a sua pousada em Boipeba e peça para orçarem com os lancheiros locais.

    De Morro de São Paulo o jeito mais fácil é o papai-mamãe: lancha a Valença, ônibus a Camamu, lancha a Barra Grande.

marcelo   
22 de fevereiro de 2012 às 18:39 | Permalink | Responder

Olá, gostaria de parabenizá-lo pelo serviço prestado aos viajantes, pois este sítio é bastante esclarecedor. Estive com minha esposa em Morro de São Paulo e, aproveitando as dicas, fomos almoçar em Boipeba no espaço gastronômico “Restaurante do Guido”. Formidável. O passeio foi maravilhoso e as lagostas também. Aproveitamos outras dicas e nos divertimos bastante. A única tristeza que tivemos foi com o hotel escolhido que é bem diferente das propagandas, mas somos turista no Brasil, e essas coisas infelizmente acontecem. Aviso aos viajantes cuidado com os guaiamuns e principalmente com patachocas. Não deixem de ir a Morro e a Boipeba.
Patricia   
28 de fevereiro de 2012 às 18:34 | Permalink | Responder

Olá, legal ter achado esse site, viajo para a região na ultima semana de junho, estou acostumada com essa época, sol mais baixo para caminhada, preços mais bacanas, pretendo ficar 1 dia em Salvador, 3 em Morro, 2 em boipeba e 2 em BG, alguma contra indicação maior, fala-se de chuva, mas ela é suficiente para estragar passeio? Dá pra fazer esse esquema numa boa ou fica apertado? Agradeço dicas.
Cristiane Amorim   
18 de julho de 2012 às 13:31 | Permalink | Responder

Oi, boa tarde!!!

Estamos planejando passar o Reveillon em Itacaré. Nossa ideia é alugar uma casa, visto que iremos em grupo. Vocês podem nos dar uma dica de alguém que ofereça esse tipo de serviço.

Obrigada!

   
    18 de julho de 2012 às 16:02 | Permalink | Responder

    Olá, Cristiane! Dê uma pesquisada no AirBnB: http://www.airbnb.com.br/

Munira   
6 de agosto de 2012 às 13:03 | Permalink | Responder

Oi Bóia!! Como é bom “viajar” com vocês!! Somos uma família de 5 pessoas, meu esposo e três crianças, 8, 10 e 13 anos. Estamos pensando em ir a Morro de São Paulo logo depois do natal, 26 de dezembro, e ficar por lá duas semanas. O que você acha em alugar uma casa? Melhor ficar na 3ª praia, que é mais tranquila e menos muvuca?
Abraços e obrigada!

  
    6 de agosto de 2012 às 13:04 | Permalink | Responder

    Olá, Munira! Não sabíamos nem da existência desse mercado, mas no portal da ilha você encontra:
    http://southbahia.com.br/morro/hospedagem.php?lang=portugues

Cláudio   
21 de agosto de 2012 às 21:58 | Permalink | Responder

Olá, Boia!
Estou indo sozinho ao sul da bahia em outubro. Já comprei passagens de ida de BH a Ilheus, quero ir em Itacaré, Barra Grande, Taipus de Fora e Morro. Gostaria de sujestão de roteiro.
Como pretendo visitar morro por ultimo, qual sua sujestão para volta Salvador ou Ilheus?

Obrigado!

  
    21 de agosto de 2012 às 23:13 | Permalink | Responder

    Olá, Claudio! O roteiro está no post, é só inverter. Deixando Morro para o final, está claro que a melhor volta é por Salvador.

Ana Muniz   
27 de agosto de 2012 às 13:31 | Permalink | Responder

Olá!

Quero passar meus 20 dias de férias no sul da Bahia, mas sofro com a ânsia de querer esgotar todos os destinos em uma viagem só. Tenho passagens de ida e volta compradas (SP-Vitória/Salvador-SP) e gostaria de começar por Abrolhos. A questão é: É possível dar conta de Abrolhos – Corumbau – Caraíva (c/Espelho) – Trancoso – Itacaré – Barra Grande e Morro de SP em 20 dias? De quais destinos devo abrir mão, levando em conta a semelhança entre as praias e sendo meu roteiro rodoviário?

Socorro e obrigada!

 
    27 de agosto de 2012 às 13:36 | Permalink | Responder

    Olá, Ana! Você vai acabar naturalmente selecionando pelo caminho. Indo fora do Réveillon ou do Carnaval você sempre vai achar vaga em pousada.

    Abrolhos pode te tomar bastante tempo, porque é preciso se encaixar numa saída, num dia em que não haja muito vento; com vento não há saídas permitidas. A espera pode ser frustrante, porque a praia em Caravelas não é boa. Comece indo até Itamaraju, lá pegue o ônibus a Corumbau. Acerte com um bugueiro para prosseguir a Caraíva.

MARCELO   
28 de agosto de 2012 às 13:56 | Permalink | Responder

quantos km tem de bom despacho para ilheus indo por camamu itacare
ilheus.

atenciosamente
marcelo

      
    28 de agosto de 2012 às 14:26 | Permalink | Responder

    Olá, Marcelo! São 300 km.

Swetylana Balmant   
2 de setembro de 2012 às 9:48 | Permalink | Responder

Só uma observação: O mapa do post foi a melhor coisa. Muito mais esclarecedor do que qualquer mapa ou informação. Adorei. Super prático.
thaisa   
9 de setembro de 2012 às 17:41 | Permalink | Responder

Primeiramente, não há como deixar de parabenizar o site pelas excelentes dicas. Sigo-as em todos os meus roteiros ( Fernando de Noronha, Trancoso, Europa)- os erros são zero e as alegrias infinitas!
Escrevo para pedir orientações sobre os seguintes pontos
1) Quais as Pousadas intermediárias ( por volta de R$250,00 a diária em novembro)indicadas pelo Comandante em Morro de Sao Paulo e Boipeba?
2)Pretendo visitar Salvador, Morro e Boipeba. Não tenho muito interesse- nem tempo- em Barra Grande. Nesse caso é melhor ir e voltar de Salvador ou voltar por Ilhéus?
Muito obrigada!

   
    9 de setembro de 2012 às 18:45 | Permalink | Responder

    Olá, Thaisa! Em Morro de São Paulo tente a Vila dos Corais, a Villa das Pedras, a Pousada da Torre e O Casarão.

    Em Boipeba considere a Santa Clara, a Villa Sereia, o Pouso da Maré ou a Mangabeiras.

    Saindo de Boipeba por Torrinha, chega-se mais rápido a Ilhéus do que a Salvador. Mas você vai ter que pagar o traslado privativo. Via Salvador será mais longo mas mais barato.

Mauricio   
25 de setembro de 2012 às 16:52 | Permalink | Responder

Boa tarde desde Argentina Riq.
Para lua de mel, qual pousada recomenda em Morro: Villa dos Corais ou Villa das Pedras (nao tem muita diferenca de preco entre elas). Ou há alguma melhor dessas? Obrigado!

 
    25 de setembro de 2012 às 19:38 | Permalink | Responder

    Olá, Mauricio! Quem responde é OnLine

    A Villa das Pedras está localizada na praia mais movimentada, a Segunda Praia. A Villa dos Corais está na esquina da Terceira com a Quarta Praia e tem instalações mais amplas e confortáveis; em contrapartida, estará 5 a 10 minutos mais longe do centro quando você voltar à noite.

Livia Mochileira   
25 de setembro de 2012 às 18:59 | Permalink | Responder

Tem ônibus direto de salvador pra Itacaré, sem ter que pegar o Ferry pra Bom Despacho??
   
    25 de setembro de 2012 às 19:38 | Permalink | Responder

    Olá, Livia! Existem ônibus para a Costa do Dendê (não para Itacaré) que usam a saída para Feira de Santana, mas esse não é o caminho preferido pelo baiano. O ferry boat realmente encurta as distâncias.

Livia Mochileira   
26 de setembro de 2012 às 11:02 | Permalink | Responder

Obrigada, Bóia!
Cintia   
1 de outubro de 2012 às 16:15 | Permalink | Responder

Olá Ricardo!!
Eu e meu marido vamos para Salvador dia 15/01 e voltamos por Ilheus no dia 28/01/13. Queremos nos hospedar, além dessas duas cidades, em Morro, Boipeba, Maraú e Itacaré.
Gostariamos de reservar as pousadas de uma vez e já organizar os traslados, pois como nao conhecemos a região, estamos com medo de ficar sem deslocamento de um lugar para o outro.
Qual a sua dica para nos ajudar a organizar melhor nosso passeio para ficarmos tranquilos?
Um abraço


    1 de outubro de 2012 às 19:30 | Permalink | Responder

    Olá, Cintia! Conte em perder boa parte do dia a cada deslocamento, saindo de manhã cedo.

Munira   
9 de outubro de 2012 às 11:03 | Permalink | Responder

Olá Bóia, espero que você esteja bem! Sempre é um prazer entrar em contato com você, sinal que estou organizando uma viagem, que é um dos prazes melhores da vida!!
Bom, somos uma família de 5 pessoas (3 crianças de 8, 10 e 13 anos), gostaríamos de ir a Morro e Boipeba no final do ano (26/12 a 13/01), você acha que seria muito tempo para ficarmos nos dois lugares ou vale a pena visitar algum outro lugar por perto? e qual seria interessante? Você poderia indicar uma pousada em Morro (de preferência na 3ª ou 4ª praia, que são mais tranquilas) e Boipeda que seja bbb (boa, bonita e barata)?
Abraços
Munira
   
    9 de outubro de 2012 às 19:43 | Permalink | Responder

    Olá, Munira! Este post traz os destinos da Costa do Dendê que podem ser combinados. Pesquise sobre eles e veja quais fazem a sua cabeça. Morro de São Paulo e Boipeba são destinos bem diferentes, normalmente quem gosta de um não gosta do outro.

    No livro 100 praias que valem a viagem, o Luk Americano recomenda na 3a. Praia o Villa dos Corais e na 4a. praia a Aymorés e o mini-resort Patachocas.

    Em Boipeba na categoria mais econômica pense na Luar das Marés e no Pouso das Águas.

juliana   
18 de outubro de 2012 às 23:45 | Permalink | Responder

Como ir de Ilheus a Valença de ônibus…Qual empresa e contatos…
Obrigada.

   
    19 de outubro de 2012 às 7:42 | Permalink | Responder

    Olá, Juliana! É a Águia Branca:
    http://www.aguiabranca.com.br/

daniele   
19 de outubro de 2012 às 19:08 | Permalink | Responder

Olá Boia, estou em Itacaré e tenho 4 dias que quero destinar a morro de sao paulo ou barra grande. Tenho um bebe de 10 meses e gostaria de saber qual o melhor desses lugares, pois nao conseguirei ir aos dois. Estou de carro.
Obrigada
   
    19 de outubro de 2012 às 22:17 | Permalink | Responder

    Olá, Daniele! Nenhum destino entre Itacaré e Itaparica é conveniente para bebês. Seu carro vai ficar no continente. Vocês estarão ilhados. Maraú obriga a deslocamentos longos e sacolejantes. Em Morro de São Paulo vocês vão precisar andar a pé com a criança. Mas Morro está mais próximo de Salvador caso haja alguma emergência.

Luciano Antunes   
10 de novembro de 2012 às 21:57 | Permalink | Responder

Boa noite
Parabens pelo site, estou indo para Morro de SP em Dezembro e gostaria de saber como chegar do Aeroporto de Salvador a Morro sem que seja via catamarã

   
    11 de novembro de 2012 às 9:27 | Permalink | Responder

    Olá, Luciano! A AeroStar e a Addey fazem uma linha regular em teco-teco do aeroporto de Salvador a Morro.

    A outra possibilidade é pegar o ferry-boat a Bom Despacho (Itaparica), continuar de ônibus a Valença, e lá pegar a lancha (exatamente o mesmo esquema de Boipeba, só que a lancha demora meia hora a menos).

Bianca   
13 de novembro de 2012 às 12:15 | Permalink | Responder

Olá! Acabei de comprar minha passagem para ilheus e temos planos de passar o reveillon em taipu!

Estamos vendo os horários de onibus (ligando ilheus a camamu), mas são restritos a 7 hrs ou 14 hrs, aparentemente. Os barcos de camamu para barra grande tb parecem sair só até as 17 hrs.

Pensamos então em ir para itacaré que tem maior disponibilidade de horários desde ilhéus. Você sabe me dizer se tem transfer/barco de itacaré direto para barra grande? Ou teriamos que ir de itacare para camamu de qualquer jeito?

Qualquer ajudar já nos vale!

Obrigada!!

  
    13 de novembro de 2012 às 12:20 | Permalink | Responder

    Olá, Bianca! É preciso ir a Camamu, a não ser que você contrate uma 4×4 para levar você a Taipus. Contacte a sua pousada em Taipus para ver sobre a disponibilidade de lanchas fora desse horário.
    Johnny Matos   
    22 de novembro de 2012 às 23:10 | Permalink | Responder

    Olá Bianca, estive agora no feriado de novembro em Barra Grande. Funciona assim: As agências (usei a Camamu Adventures que é a maior que tem lá), tem lanchas rápidas até as 17:00h mesmo, como eu ia chegar mais tarde também, fechei uma lancha privativa (R$ 180,00) e me levaram para Barra Grande já a noite, mas precisa reservar antes.
    Uma dica: Taipus é lindo, mas de noite não tem nada, certifique-se que sua pousada tenha restaurante, se quiser agitação, fique em Barra Grande.

Carolina Avila   
20 de novembro de 2012 às 11:01 | Permalink | Responder

Bom dia!

Meu nome é Carolina e primeiramente gostaria de agradecer pelas informações mais do que úteis sobre o ferry boat e a Costa do Dende.
Estou viajando no final do ano para a Vila do Sargi, que fica entre Ilhéus e Itacaré. Meu voo é direto de Brasilia para Salvador e não estou disposta a pegar o ônibus.
Gostaria de saber se há taxis que fazem o serviço de transfer de Bom Despacho a Ilhéus, qual o nome da agência e qual o valor.

Obrigada.

   a   
    20 de novembro de 2012 às 11:10 | Permalink | Responder

    Olá, Carolina! Esse tipo de informação é mais fácil de ser conseguida na sua pousada (ou numa pousada da região, caso você vá ficar numa casa alugada).

    O melhor é você trocar essa passagem para Ilhéus, que está a 50 km do Sargi. As corridas de táxi (incluindo os R$ 120 do táxi entre o aeroporto de Salvador e o ferry-boat) sairão muitíssimo mais caro do que qualquer multa que você precise pagar (sem falar na inutilidade de uma viagem de 4 a 5 horas no total entre o aeroporto de Salvador e o Sagi).

Eduardo   
20 de novembro de 2012 às 13:43 | Permalink | Responder

Pretendo ir para Boipeba a partir de Ilheus com minha familia. De forma que procuro um transfer de Ilheus até Torrinhas (é uma cidade próxima de Nilo Peçanha) 200km de Ilheus.
Alguém tem uma dica de quem pode fazer este trajeto?

Obrigado. Eduardo

  
    20 de novembro de 2012 às 14:15 | Permalink | Responder

    Olá, Eduardo! O melhor a fazer é pedir a intermediação da sua pousada em Boipeba. Eles já terão os fornecedores testados e aprovados.

etros de Itacaré. (Se gostou da experiência e quiser continuar de ônibus, dá 1h30 de viagem até a rodoviária, a R$ 10. Lá você pega um táxi para o aeroporto, por R$ 18.)

Originalmente publicado na minha página Turista Profissional, que sai todas as terças no caderno Viagem & Aventura do Estadão.

   


Categorias: Barra Grande, Barra Grande & Maraú, Boipeba, Capa, Itacaré, Morro de São Paulo
Tags:
208 comentários para “Resumindo: de ônibus pela Costa do Dendê”

    Zé Maria   
    2 de fevereiro de 2010 às 12:59 | Permalink | Responder

    Riq, mande fazer umas camisetas com esses mapinhas da hora que você desenha :-)
        Mari Campos   
        2 de fevereiro de 2010 às 14:47 | Permalink | Responder

        Tambem sou fa dos mapichas. Pra usar as ditas camisetas com o pin da boia :mrgreen:
    Zé Maria   
    2 de fevereiro de 2010 às 13:10 | Permalink | Responder
Luk Americano   
        2 de fevereiro de 2010 às 18:21 | Permalink | Responder

        18 reais é o preço do táxi entre a rodoviária e o aeroporto. Acrescente 10 pilas por pessoa do buzum de Itacaré até a rodoviária de Ilhéus.

        (E não coma enroladinho de presunto e queijo na rodoviária, se você não quiser passar dois dias de molho com piriri…)
    Fernando   
    2 de fevereiro de 2010 às 13:29 | Permalink | Responder

    Se tinha ficado alguma dúvida, ficou tudo claro com este mapa.
    Acho que as vezes a gente fica com preguiça de pensar, ou de parecer meio louco, mas antes destes posts, acho que jamais faria este circuito de ônibus. Agora que você nos “acordou”, faz todo o sentido esta opção. Quando voltar a Bahia na costa do Dendê (ainda não sei quando, but…) vamos de buzão!!!
    Patricia - Turomaquia   
    2 de fevereiro de 2010 às 14:04 | Permalink | Responder

    O mais legal fora todas as dicas e atalhos, o esquema feito à mão, A-D-O-R-E-I!
    beijos e parabéns pelo projeto, afinal viajar de ônibus é outra viagem!
    Carmen   
    2 de fevereiro de 2010 às 14:30 | Permalink | Responder

    Agora mesmo a situação para conhecer a Costa do Dendê e muito boa. Antes ir de Morro de São Paulo a Itacaré era uma aventura dificultosa.
    É um acerto que esta nova linha do ônibus permita fazer a rota de Morro a Itacaré e conhecer os dois lugares.
    Morro-Itacaré é uma boa combinação tão boa como fazer Arraial d’Ajuda e Trancoso em um mesmo viagem.
    Rogéria   
    2 de fevereiro de 2010 às 15:15 | Permalink | Responder

    Mais didático do que o bê-a-bá da viagem só o mapinha mesmo. Um capricho só. Adorei!
    Alessandro A.   
    2 de fevereiro de 2010 às 16:23 | Permalink | Responder

    Riq, depois desse post ficou tudo mais claro. Eu não entendia patavinas dessa região, mas agora já consigo até explicar para os outros.

    Como sugestão, você poderia ter terminado o post assim: “Entendeu ou quer que eu desenhe?” :-)
    Rosa   
    2 de fevereiro de 2010 às 17:18 | Permalink | Responder

    Pôxa! Na página Turista Profissional, no caderno Viagem & Aventura do Estadão, 26/01/, não tem o mapinha. Vou salvar, imprimir e colar.
    Eu estava boiando com tanta informação, mas agora entendi bem direitinho!
    Sylvia   
    2 de fevereiro de 2010 às 19:33 | Permalink | Responder

    Riq , esse mapinha é o pote de ouro no fim do arco iris ;-)
    Rodrigo Dantas   
    2 de fevereiro de 2010 às 20:20 | Permalink | Responder

    eu gosto dessa costa, fiz o percurso até Itacaré…mas realmente de carro até lugares como Boipeba me parece não ser vantajoso. Bela dica de roteiro.
    Lu Malheiros   
    2 de fevereiro de 2010 às 23:08 | Permalink | Responder

    E não que o mapinha me salvou da minha ignorância geográfica!
    Obrigada!:D
    ruy mendes   
    3 de fevereiro de 2010 às 7:14 | Permalink | Responder

    Caro Riq,
    Faltou colocar no mapa a travessia Barra-Grande-Boipeba de barco, leva mais ou menos 1 hora, tratar com os barqueiros que fazem os passeios nas ilhas da baia de Camamu. A viagem é meio punk, quando fui, na minha lua de mel,em 2001, pegamos uma pequena tempestade em alto mar, mas o visual é incrível. O “desembarque” em Boipeba é feito diretamente na praia, levando as malas nas costas, no meio das ondas, que no dia, felizmente, estavam pequenas.
    Abs.
Luk Americano
        3 de fevereiro de 2010 às 8:53 | Permalink | Responder

        Hehe, tá ali, sim, mas a minha legenda garranchal tá difícil de entender. Escrevi “lancha fretada – 1 hora”. Dá pra conseguir também em Boipeba, mas sempre precisa de um quórum de 6/8 pessoas pra não sair uma fortuna pra cada passageiro.
    Vera Lucia   
    3 de fevereiro de 2010 às 8:19 | Permalink | Responder

    Mais claro impossível. Amo mapinha. Adoro setinha. Se a camiseta vingar, eu quero, com o pin incluso.
    Sylvia   
    3 de fevereiro de 2010 às 11:36 | Permalink | Responder

    Edu , o que achas de providenciar uma facção de camisetas da OnLine?
    Bóia na fente e mapas de todos os lugares nas costas :oops: assim
    dá pra engrenar um papo com o vizinho …
    (vendas aqui no site : 50% pro guru e os outros 50% a gente racha -hehe)
    Flavia   
    4 de fevereiro de 2010 às 6:54 | Permalink | Responder

    Ruy, a tempestade no meio da travessia Boipeba- Barra Grande deve estar no “pacote” do transfer, pq eu TAMBÉM peguei a dita cuja nesse verão!!!

    Riq, enroladinho de queijo com presunto na rodoviária? R u nuts? :-)

    Favor fazer camisetas na versão decotada também, plis. :lol:

    beijos
    Emília   
    4 de fevereiro de 2010 às 13:09 | Permalink | Responder

    Riq, bela destrinchada da região, fico feliz que a nova estrada já ande rendendo frutos.
    Ai, ai que saudade eu tenho da Bahia…
    Paula*   
    4 de fevereiro de 2010 às 13:30 | Permalink | Responder

    Esse post ficou super didático e indispensável pra quem vai fazer esse roteiro!
    Já vi que está cheio de fãs do seu mapinha! Tô engrossando o coro: Tá Lindo! ;)
    fabiana machado vanderstappen   
    8 de fevereiro de 2010 às 15:52 | Permalink | Responder

    Fiz esse roteiro em 2006 com as dicas do guia freire’s… Amei!! Só que não fui de onibus. Cheguei por Salvador, peguei o catamarã pra Morro, para Boipeba fiz só um passeio de barco, de morro fui de teco-teco para Barra Grande (muito legal o visual da viagem), Para Itacaré fiz um tranfer de carro e fui embora por Ilhéus. Acho que foram 17 dias no total, em Barra grande aluguei uma moto (e também uma bike… programa de indio!)e em Itacaré alugamos um carro pois era quase o mesmo preço.
    Para quem não tem medo de teco-teco aconselho o transfer aereo de Salvador para morro também, pois via Valença é bem consativo e de catamarã se o mar tiver mexido é terrível para quem enjoa…
    Mas é tudo lindo, vale muito a pena!
    Rogéria   
    10 de fevereiro de 2010 às 10:29 | Permalink | Responder

    Trips, alguma dica de pousada BBB em Morro?
        Luk Americano
        10 de fevereiro de 2010 às 10:49 | Permalink | Responder

        Eu acho a Mareia simpática.

        http://www2.uol.com.br/mochilabrasil/pousadamareia.shtml

        Mas normalmente as pousadas da vila não são caras. Se puder, cacife a Solar do Morro

        http://www.pousadasolardomorro.com.br/
    Rachel   
    11 de fevereiro de 2010 às 11:35 | Permalink | Responder

    Em relação a Itacaré, além das praias que são maravilhosas, gostaria de saber se o lugar tem bastante agito, se tem opções noturnas… enfim… conta tudolo!
    Grata,
    Rachel
    Bruno   
    22 de fevereiro de 2010 às 17:47 | Permalink | Responder

    Olá Ricardo,

    Escrevo para dar um depoimento de quem realizou, no período de carnaval e sem carro, o trajeto salvador/boipeba/barra grande/itacaré. Suas dicas, como sempre, foram mais que úteis, mas resolvi dividir minha experiência, que acredito também poderá ajudar os outros leitores.

    Meu plano inicial era passar uma noite no carnaval em salvador e depois ficar até quarta em Boipeba. Na véspera do feriado, contudo, consegui prolongar meu feriado (enforcando a semana) e adicionei Barra Grande (1 noite)e Itacaré (3 noites) ao projeto. Nesse formato, voltando de Ilhéus no domingo após o carnaval, minha namorada poderia conhecer melhor o sul da Bahia (novidade para ela).

    Não vou nem comentar como foi minha noite de sexta após o atraso de quase de 3 horas da Gol e vamos direto para o sábado, início do “trecho terrestre”. Meu roteiro, com todo o gás inicial de viagem, previa uma noite num camarote em salvador, seguido – literalmente, pois não tinhamos hotel por lá – do início de nossa viagem. As opções de trajeto eram o ferry/ônibus (+/-2:30 hs até valença) ou o Bumba pela BR (+/- 4 hs até valença).

    Alertado pela gerente a pousada em Boipeba sobre os IMENSOS problemas de superlotacão do ferry em feriados (notícias na internet relatam uma fila de até 10 hs no ano novo), tentei comprar o ticket do Ferry antecipado. Mas, para minha surpresa, o que deveria ser tão simples quanto pagar no cartão de crédito e imprimir a passagem, se demonstrou bem mais complexo (depende de um cadastro prévio, emissão de cartão especial que deve ser retirado pessoalmente e de forma antecipada…).

    Nossa única opção segura, portando, foi comprar um ticket de ônibus Salvador-Valença pela BR. Na minha cabeça, após uma noite de folia, tudo que eu ia querer era uma poltrona no ar condicionado dentro do Bumba. O ar condicionado ficou na minha imaginação e aquele trajeto de quatro horas pareceu demorar muito mais, tendo o ônibus oarado em todas as localidades com mais de 3 casas no caminho…

    Chegando em Valença, tivemos que ir até a rodoviária e, de lá, pegar um taxi. O problema não foi pagar as 10 pilas para o taxista, mas andar num taxi tão acabado que não sei como ainda estava rodando….

    No porto, a próxima lancha rápida só sairia em 3 horas, mas tivemos a sorte de antecipar a viagem e chegamos em Boipeba a tempo de curtir uma praia e comer dúzias de labretas. Ufa, enfim chegamos ao nosso destino.

    Durate nossa estada – ótima, diga-se de passagem – tentanos diariamente fechar uma lancha entre Boipeba e Barra Grande, evitando ter que voltar a Valença. Apesar de ser alta estação, não conseguimos nem sequer um candidato a tal trajeto (ou passeio). Segundo o pessoal da Bahia Operadora (Boipeba Tur), é muito difícil fechar esse trajeto mesmo na alta e contratar a lancha custaria R$ 720,00.

    Para não morrer nessa grana, voltamos à Valença (nossa passagem de ônibus, por garantia, já estava comprada) e pegamos um ônibus para Camamu (1:30 hs de viagem) e depois outra lancha rápida para Barra Grande (50 minutos). Dessa vez, tudo deu certo e os horários foram cumpridos a risca, mas esse deslocamento, que poderia durar apenas 1 hora de lancha rápida, acabou custando quase 5 horas.

    Após curtir Barra Grande, tinhamos que ir para Itacaré e, sinceramente, já estavamos um pouco cansados desse sobe e desce… Assim, contratamos um taxi para nos levar, com direito a parada em Taipus de Fora, onde passamos 2:30hs e almoçamos numa barraca com uma super infra-estrutura que permitiu tomar um ducha antes de seguir viagem. Nesse formato, por R$ 150,00, fizemos o trajeto porta a porta com conforto e tranquilidade.

    Para finalizar a viagem, tinhamos um último trajeto (Itacaré – Ilhéus). Dessa vez, novamente optamos pelo taxi (R$ 100,00), uma vez que nosso retorno de avião também seria longo, com 2 conexões até o RJ. Mais uma vez, tudo deu certo e achei até barata a corrida diante do conforto.

    Enfim, escrevo para confirmar que essa viagem é absolutamente viável sem carro, mas que pode não ser – principalmente em feriados – algo tão simples ou confortável. Acho, ainda, que alguns up-grades de transporte no trajeto são fundamentais para não transformar um período de curtição num martírio.

    Enfim, espero que esses comentários possam ajudar aos demais leitores do site.

    forte abraço,

    Bruno
       Luk Americano
        22 de fevereiro de 2010 às 21:25 | Permalink | Responder

        Tá no texto do post, Bruno: “Tendo algum tempo para perder – digamos, meio turno a cada deslocamento –, você pode pular de praia em praia sem se incomodar com placas, abastecimento ou estacionamento”.

        Veja bem: meio turno a cada deslocamento em tempos normais. No Carnaval é óbvio que isso pode ser triplicado. Mas em hipótese nenhuma é uma viagem pra ser feita em menos de uma semana, se você quer parar em todas as escalas possíveis.

        Esta é uma viagem para quem tem tempo sobrando, seja lá de que jeito seja feita. Não é pra fazer de um jeito corrido, com uma noite (!!!) em Barra Grande. Nem de avião dá pra ficar só uma noite em Barra Grande.

        A intenção do post é mostrar as possibilidades de deslocamento. Não é pra fazer maraturismo praiano.

        Pessoal: PRAIA É PRA CURTIR. Parar. Ficar. Sossegar. Partir pra próxima, só com tempo e com calma. Não faz sentido desperdiçar férias na praia com deslocamentos que afastem você todo dia da praia.

        A todos os que lerem este post — se não tiverem tempo sobrando, façam uma praia por viagem.
    Rogéria   
    25 de fevereiro de 2010 às 9:29 | Permalink | Responder

    Olá a todos!
    Voltei ontem da Bahia e as dicas do Riq foram sucesso! Depois de passar o Carnaval e mais alguns dias em Salvador fui a Morro de São Paulo. Peguei o contrafluxo da galera voltando da famosa Ressaca de Morro pois queria mesmo era descansar da farra.

    Fiz o trajetinho proposto no mapinha do Riq. Peguei o ferry para Itaparica e foi bem rápido e tranquilo (R$5 – 30 min). Depois, um confortável ônibus para Valença (R$ 13,90 – 2h). Mas o motorista nos deixou no caminho, bem próximo ao terminal marítimo, então não precisamos pegar o táxi. Esperamos apenas meia hora pela lancha rápida e logo estávamos em Morro (R$ 15,00 – 45min). Levamos apenas 1h a mais que o catamarã, mas gastamos a metade do valor e não enjoamos um minuto sequer. Recomendo muito!

    Na volta de Morro pegamos um transfer Morro X SSA que descobrimos lá. O valor inicial era R$70,00 mas que, negociados no período pós-ressaca, caíram para R$ 40,00. Daí o percurso foi barco (1h até Ponta do Curral), van (1h30 até Itaparica) e barco rápico até Salvador (30 min). Mais uma vez tudo correu maravilhosamente bem! Sem stress, sem perrengue, sem aborrecimentos. Eita, jeito bom de começar o ano!
    Rogéria   
    25 de fevereiro de 2010 às 10:32 | Permalink | Responder

    Ah, claro que imprimi o mapinha do Riq e levei comigo. ;-)
    victor hugo   
    14 de março de 2010 às 19:18 | Permalink | Responder

    Ricardo, sou um dos muitos felizardos anonimos que leem , saboreiam e blog!!! Parabéns!!

    Estou me programando para ir para morro de sao paulo, e gostaria de saber se voce tem alguma informaçao sobre a pousada fazenda caieira, que fica ao lado da villa dos corais….
    http://www.fazendacaeira.com.br/
    Onde acho águas mais transparentes em outubro ,boipeba ou morro?
    Abraços e obrigado!!
        Luk Americano
        15 de março de 2010 às 9:09 | Permalink | Responder

        Era uma pousada rústica que ocupava um grande terreno (o avião da Addey aterrissava na pista de pouso da fazenda). Faz muitos anos que não visito.

        Morro tem águas geralmente mais claras que Boipeba.
    Marlla Farias   
    19 de março de 2010 às 10:50 | Permalink | Responder

    Qual restaurante vc indica em Morro?
        Luk Americano
        20 de março de 2010 às 8:54 | Permalink | Responder

        Mediterrâneo, na ruazinha principal do centro à esquerda de quem desce, e também o restaurante da pousada O Casarão, na praça.
    Morro de San Pablo Bahia Brasil   
    6 de agosto de 2010 às 16:16 | Permalink | Responder

    no se mucho portugues, pero Amo mapinha
    Alessandro Martins   
    11 de setembro de 2010 às 18:26 | Permalink | Responder

    Boa tarde Ricardo!

    Cara, adorei seu site e gostaria de conversar com voce sobre a possibilidade de fazermos uma parceira.
    Gentileza, me encaminhe seu cntatos para que possamos conversar.
    Skype
    msn
    tel
    email
    Aguado retorno.
    Abs,
    Alessandro
    Thales Machado   
    21 de setembro de 2010 às 20:32 | Permalink | Responder

    Ricardo e demais,

    Uma dúvida de alguém que estava na ConVnVenção Sábado e ficou achando incoveniente perguntar por lá.

    Quem puder ajudar. Já vi todos os esquemas de transporte, no fim das contas não sei o que decidir.

    Queria conhecer tudo, mas só tenho 7 noites no iniciozinho de Dezembro, viajando com a namorada.

    As opções são:
    1- Boipeba e Morro, dividindo as noites…
    2- Barra Grande e Taipus, dividindo as noites…
    3- Vai dar mais trabalho, mas ir pra Boipeba e Barra Grande.

    Ainda teria a 4ª opção de só ficar em Boipeba mas… Enfim! Uma dica qualquer já é mais que bemvinda!
     Luk Americano
        21 de setembro de 2010 às 20:38 | Permalink | Responder

        Morro e Boipeba (nessa ordem) é mais redondo.
        Boipeba e Barra Grande também rola, mas você vai perder bastante tempo em deslocamento (quase um dia até Boipeba, quase um dia entre Boipeba e Barra Grande, quase um dia entre Barra Grande e Salvador de volta).
            Thales Machado   
            24 de setembro de 2010 às 14:16 | Permalink | Responder

            Ricardo, acho que acabarei decidindo ou só pro Boipeba (sete noites em Boipeba, é muito?) ou só por Barra Grande e Tapipus.

            Aliás, você acha que compensaria passar 4 noites em Barra e 3 em Taipus? Ou é melhor ficar tudo num lugar só? Taipus tem estrtura para ir conhecendo as redondezas partindo de lá!?

            Um abraço (e comemoro meu aniversário hoje lá, no mesmo local da ConVnVenção, daqui a pouquinho!)
                Luk Americano
                24 de setembro de 2010 às 15:26 | Permalink | Responder

                Se você gostar de Boipeba, sete dias passam rápido demais.

                Barra Grande e Taipus estão a 20 minutos de jardineira de distância. Barra Grande é uma vila e tem comércio e restaurantes. Taipus tem poucas coisas funcionando à noite, as pousadas oferecem meia-pensão.

                Os deslocamentos em Maraú são muito sacrificados. Você vai querer concentrar todos os passeios em uma ou duas saídas no máximo. Independe se estiver em Barra Grande ou Taipus.

                A vantagem de Taipus poder ficar de tocaia para aproveitar as piscinas naturais na maré baixa, sem depender de transporte de Barra Grande.

                Esqueça o verbo “conhecer”. Ele só prejudica estadas na praia. Relaxe. Curta. Aproveite. Passe o mínimo de tempo possível em trânsito, não vale a pena.
    Adilmaria Angela   
    24 de setembro de 2010 às 20:16 | Permalink | Responder

    Ola Riq., desculpe-me a intimidade mas estou acostumada a lhe ouvir todas as manhas, vamos la gostaria de obter dicas de como vou a Morro de Sao paulo em Janeiro com 06 adultos e 04 crianças partindo de carro do Rio de janeiro, tipo em que praia ficar e deslocamentos o tempo previsto e de uma seman hospedado por la, e gostaria de dicas de pousadas e hoteis baratos mas semperder o charme e com internet. Obrigada desde ja a todos que puderem me ajudar!!!
     
        24 de setembro de 2010 às 20:22 | Permalink | Responder

        Comece por aqui:
        http://www.onlineiagem.com/2009/07/de-sao-paulo-ao-sul-da-bahia-de-carro/

        Acho que só vale a pena ir de carro se vocês tiverem vinte dias para ir parando pelo caminho na ida e na volta. Senão, é muito sacrifício enfrentar dois dias de estrada para passar só uma semana e voltar — e com o carro parado no estacionamento. Se é para ir direto, e de avião ficar muito caro, é mais negócio encarar um ônibus até Valença.

        É complicado pensar em hotel barato pra ir com criança em Morro. O lugar é rústico. Perto da praia, orce a ala nova (antiga Pousada Aymorés) da Fazenda Caieira (4a. praia).
        http://www.pousadaaymores.com.br/home.php
    Adilmaria Angela   
    24 de setembro de 2010 às 20:51 | Permalink | Responder

    Riq., em julho nos viajamos do Rio ao Tocantis de carro com este mesmo grupo, e agora a nossa intençao e ficar uma semana so em Morro, jiboiando vc acha inadequado, obrigada,pelas dicas!
    
        24 de setembro de 2010 às 20:54 | Permalink | Responder

        Bom, se vocês são acostumados com viagens longas no batidão, então não tá mais aqui quem falou…
    Fábio G.   
    26 de setembro de 2010 às 15:54 | Permalink | Responder

    Riq, talvez possa interessar aos tripulantes, os horários dos ônibus do aeroporto aos locais de embarque para o começo da trip pela Costa do Dendê.
    http://www.morro.travel/turismo/chegando-salvador-bahia.htm
    Christiana Moraes   
    27 de setembro de 2010 às 11:28 | Permalink | Responder

    Gente,
    depois de séculos procurando a melhor forma de fazer o roteiro: Itacaré – Barra Grande – Boipeba e Morro, enfim achei um site que realmente explicou de forma clara o que preciso fazer.

    Parabéns e obrigada!!
    Angelica   
    12 de outubro de 2010 às 15:23 | Permalink | Responder

    alguem poderia me ajudar qual pousada escolher…
    Boipeba ecolodge,Alizees ou Mangabeiras??
    obrigada
    Alessandra   
    15 de outubro de 2010 às 0:03 | Permalink | Responder

    Riq, seu site é uma biblia para mim… rsrs
    Estou planejando uma viagem de carro com marido e filho de 2 anos pela costa no final do ano, mas tenho duvidas se estou gastando mais dias em locais menos interessantes. Poderia me sugerir alguma alteração?
    Arraial do Cabo - 1
    Guarapari – 1
    Conceição da Barra / Itaúnas – 2
    Cumuruxatiba / Corumbau - 2
    Caraiva – BA (com visita a Sto André) - 2
    Itacaré – BA- 1
    Morro de SP (via balsa por Valença) – 2
    Itaparica – 2
    Ferry Boat p/ Salvador (voltando p/ casa do paraíso)

    Obrigada,
        
        15 de outubro de 2010 às 0:15 | Permalink | Responder

        Eu não ficaria menos de dois dias em nenhum lugar. Você vai gastar pelo menos meio dia na maioria dos deslocamentos. Eu escolheria UM lugar principal e pararia em dois pelo caminho (dois dias em cada).

        Existem várias coisas absolutamente infactíveis nesse seu planejamento. De Caraíva a Santo André, por exemplo, você gasta uma manhã inteira fácil. Ninguém faria issoem bate volta. De Caraíva a Itacaré é uma viagem de um dia inteiro, 600 km. Volte à casa zero e seja menos ambiciosa. Pense na criança de dois anos que não merece passar dias a fio no carro.

        Deixe essas viagens malucas para autores de guia. Aproveite que você NÃO precisa fazer nenhum guia e desfrute do que você está vendo.

        http://www.viajenaviagem.com/2009/07/de-sao-paulo-ao-sul-da-bahia-de-carro/
    Angelica   
    17 de outubro de 2010 às 16:13 | Permalink | Responder

    Qual seria a praia com águas mais tranquilas e transparente Boipeba ou Morro de São paulo?
       
        17 de outubro de 2010 às 17:05 | Permalink | Responder

        Cada ilha tem várias praias. Todas são tranqüilas. A translucidez (transparência só nas piscinas naturais de Moreré em alto mar) varia de acordo com a maré, a ocorrência ou não de chuvas, a incidência do sol. As mais claras são a Quarta Praia e Moreré. A mais escura é a Boca da Barra em Boipeba, porque é praia de rio.

        Mas são dois lugares TÃO diferentes em astral e modo de usar, que é uma estultice escolher uma ou outra por causa de transparência de água.
    Eunice   
    17 de outubro de 2010 às 17:02 | Permalink | Responder

    Angelica, eu acho que as águas são tranquilas e transparentes em Boipeba e no Morro. A diferença, do meu ponto de vista, está na hotelaria – melhor no Morro, e no tipo de ocupação. Em Boipeba, mais ecologica. O Morro é um local de noites animadas, Boipeba é um lugar de tranquilidade. Então, a escolha, penso, recairia mais no tipo de atividade praiana que vc deseja ( descanso e contemplação, Boipeba ; praia com curtição noturna, Morro). Boipeba é mais intocada.
    Angelica   
    20 de outubro de 2010 às 18:48 | Permalink | Responder

    vcs me indicam a Pousada villa dos corais na 3º com a 4º praia ou o Patachocas eco resort na 4° praia em relação a estrutura e melhor localização de praia.
           
        20 de outubro de 2010 às 19:40 | Permalink | Responder

        Vila dos Corais é charmosa e está a uma distância caminhável da noite e do centro.

        Patachocas está isolado. É para quem não quer ir toda hora ao centro.
    Julay Ferrer   
    22 de outubro de 2010 às 20:20 | Permalink | Responder

    a viagem “salvador-morro-marau” agora no início de novembro. Havia pensado em ir direto para Marau e voltar por Morro. Mas com isso acabaríamos passando o feriado do dia 15/11 em Morro. Como lá é mais agitado, pensei em fazer o contrário. Morro-Marau, vc acha podemos ter problemas na volta para Salvador (baixa temporada = pouco transporte)?

    Pensei tbm em dar uma esticada até Itacaré. Indo até lá o que vc acha que não posso perder, já que penso em disponibilizar apenas 1, no máximo 2 dias para ficar em Itacaré? Pois meu local principal para conhecer é Maraú.

    Obrigada
           
        22 de outubro de 2010 às 21:02 | Permalink | Responder

        Com exceção dos quatro dias do feriado, em todos os outros você encontrará pousada fácil em qualquer lugar.

        As linhas de ônibus não são turísticas, são de uso da população da região. Não deve haver muita diferença entre alta ou baixa temporada na freqüência de Camamu a Bom Despacho não.

        Itacaré sem carro pra ficar um dia é roubada. Sem carro você vai depender de passeios. Eu não ficaria menos de três dias inteiros (o dia da chegada só serve para combinar o passeio do dia seguinte).
    Clemilson   
    22 de outubro de 2010 às 21:39 | Permalink | Responder

    Riq estou pensado em dividir minha estadia em 3 dias em Itacaré e 2 dias na Peninsula de Maraú na praia de Taipu de Fora, mas justamente na semana que viajarei não terá lua cheia ou nova. A previsão de maré mais baixa é de 0.7 as 13:36 seria uma boa ficar em Taipus somente para fazer snorkeling com este nivel de maré.
        Ricardo Santos    
        22 de outubro de 2010 às 22:23 | Permalink | Responder

        Quando eu falo que Taipus fica melhor na lua nova ou cheia é por uma questão visual: essas são as únicas oportunidades de talvez quem sabe encontrar a piscina natural remotamente parecida com o que mostram os cartões postais. Nas outras luas isso é impossível.

        Mas a praia é uma delícia em qualquer lua. Na maré baixa é muito gostoso de tomar banho.

        Quanto a fazer snorkel, sempre tem gente fazendo. Mas não saberia te dizer se vêem muitos peixes, não. Não acredito que seja comparável a pontos de mergulho em alto mar, não.
        eva   
        23 de outubro de 2010 às 10:24 | Permalink | Responder

        Clemilson,

        já estive na piscina natural com maré morta, não me lembro da altura, mas deu para aproveitar, vimos muitas lulas, pepinos, peixinhos coloridos…
    Victor-PR   
    4 de novembro de 2010 às 17:56 | Permalink | Responder

    Fiquei no PATACHOCAS em outubro de 2010 , e a impressão que tive foi excelente… Acho que é o melhor lugar pra ir com crianças em MORRO. E a pista da Aerostar é bem próxima. O Patachocas tem uma piscina muito boa, com várias profundidades diferentes, os quartos são novos, sem cheiro. O restaurante também tem várias opções interessantes. E o pedaço da Quarta Praia que está na frente o banho de praia mais quente que já entrei( uma sugestão de post poderia ser os banhos de praia mais quentes do Brasil hehehe). O hotel fica isolado e tem vários horários de transfer para o centro de morro- uns 20 minutos de estrada de terra.
    Fiz um passeio até a praia de Garapuá e o mar tem várias tons de verde… realmente muito bonito e surprendente…
    Victor-PR   
    4 de novembro de 2010 às 18:55 | Permalink | Responder

    Após voltar de Boipeba , fiquei na pousada Fazenda Caeiras, no fim da terceira praia. Achei um hotel com uma relaçao custo beneficio interessante: os quartos são amplos , tem camas superking size, ar split, POREM é uma pousada rústica, que fica no meio de uma fazenda de coqueiros, no fim da terceira praia. A água do mar no final da terceira praia estava totalmente transparente… somente um cuidado : em todas as praias morro recomendo entrar com algum tipo de sapato, pois tem muitas pedras e corais que podem machucar o pé…
    mariana   
    9 de novembro de 2010 às 22:06 | Permalink | Responder

    Ola Riq,
    adoro seus posts, por isso venho sempre te importunar…vc esta de parabéns!! vou p salvador, e resolvi dar uma esticada em morro, serao apenas 3 dias. Gostaria de saber qual pousada vc recomenda.
    Estive procurando e gostei de 3 pelos sites e localizaçao:
    - le terrace apart hotel
    - club do balando
    - e pousada minha louca paixao
    Conhece alguma? Tem alguma outra? Quero ficar perto de tudo. E a noite, tem alguma dica?
    Obrigada!!
        Ricardo Santos    
        9 de novembro de 2010 às 22:18 | Permalink | Responder

        Não tenho idéia de como estejam. Recomendo a Pousada da Torre na 2a. Praia, a Villa dos Corais na 3a. e a Aimorés no comecinho da 4a.
        Adri Lima   
        9 de novembro de 2010 às 22:29 | Permalink | Responder

        Mariana, a Pousada Minha Louca Paixão fica de frente pro mar, na terceira praia. A localização é boa. Do lado tem a Paraíso do Morro, que é legal também. Ambas, até a ultima vez que estive lá (e lá se vão 2 anos), estavam bem conservadas.
        As outras eu não conheço.

        A Minha Louca Paixão oferecia há algum tempo aulas de Yoga no gramado da frente. As aulas são muito boas. O astral da pousada é bem zen.

        Em Morro não dá pra ficar perto de tudo… ou vc fica perto da praia ou fica na vila. As duas opções são ótimas!
    mariana   
    9 de novembro de 2010 às 22:45 | Permalink | Responder

    Nossa, q rapidos!rs

    Vlw Ricardo e Adri!
    Vi a Pousada da Torre tb, mas gostei dos preços da Minha Louca Paixao, e esta bem no tripadvisor. Adri sabe me dizer se fica no inicio da praia 3 ou no final?
    http://www.minhaloucapaixao.com.br/
    O le terrace, nao achei no trip…e um hotel novo, de 2008 e fica no final da 2ºpraia, achei bem localizado.
    http://www.leterrace.com.br/
    Ja me falaram q ficar na vila e muito bom tb. A outra escrevi errado…se chama club do balanço, mas ja descartei.
    Oh indecisao!rs
    Muito obrigada!!!
        Adri Lima   
        9 de novembro de 2010 às 23:08 | Permalink | Responder

        Mariana, é no início da terceira praia.
        Olha, se fosse um hotel novo de 2010, eu até concordava do Le Terrace não estar no TA. Mas novo de 2008, já era pra estar lá…
        Eu já fiquei na vila e na praia. Acho a vila legal, lá as pousadas boas que conheço são a Passárgada e o Casarão. Na Passárgada já me hospedei… mas dá pra ouvir as buzinas das lanchas, então se for num feriado vai ter muito barulho. Vá lá ver um por-do-sol, é muito lindo.
    Victor-pr   
    9 de novembro de 2010 às 22:53 | Permalink | Responder

    Mariana, eu jantei em outubro por duas vezes na pousada Minha Louca Paixao , e gostei muito… A pousada também é bem bonita e muito bem decorada. Fica bem no início da terceira praia, perto da segunda. O único problema que achei é que não tem piscina ( está em construção).
    Mas realmente é bem charmosa…
    Abraços
    mariana   
    10 de novembro de 2010 às 23:37 | Permalink | Responder

    Ate esta no TA, mas nao tem nenhuma resenha…achei estranho. A piscina nem e tao importante p mim. Como eu vou no domingo e volto terça, acredito nao ter problemas c hospedagem, por isso acho q vou decidir por la!;)
    Vlw pelas dicas!
    Abraços
    Eunice   
    18 de novembro de 2010 às 12:41 | Permalink | Responder

    Notícias da província: as barracas de praia do Morro, Boipeba e Garapuá serão demolidas e transferidas para áreas próximas à praia até final de 2011. O TAC já foi assinado entre os diversos orgãos da União e o município de Cairu. Porto Seguro e Ilhéus caminham na nesma direção. Notícia retirada do jornal “A Tarde”
        Ricardo Santos    
        18 de novembro de 2010 às 12:44 | Permalink | Responder

        Boipeba (Boca da Barra) fica bem mais bacana. Já Morro (Segunda Praia) acho que perde bastante…
        Andre L.   
        18 de novembro de 2010 às 14:29 | Permalink | Responder

        Acho essa medida altamente positiva, principalmente se as barracas não voltarem. A orla de Porto Seguro, lambaeróbica e ônibus de estudantes do ensino médio a parte, é muito bonita, mas “sequestrada” por megacomplexos dos dois lados do Brunhaém.

        Seria muito bom ver toda a orla, de Cabrália ao Espelho, sem barracas na faixa de areia, apenas recuadas, deixando a areia livre. Estou torcendo por isso, seria uma melhora incrível.
    Eunice   
    18 de novembro de 2010 às 12:50 | Permalink | Responder

    Vamos ver a solução que vão encontrar para relocar as barracas…
        Sandrissima   
        18 de novembro de 2010 às 13:38 | Permalink | Responder

        Enquanto isso, entre a praia de Ipitanga e Vilas do Altlântico, o caos reina. Que é aquilo???? Desisti de praia, fico no jardim.
            Eunice   
            18 de novembro de 2010 às 14:23 | Permalink | Responder

            O prazo que a prefeita de Lauro de Freitas conseguiu na justiça federal de mais 90 dias, está expirando. Será cumprido? Os sem – barraca irão para Camaçari…:o) Mas a situação nas praias sem barracas tb está complicada.
                Andre L.   
                18 de novembro de 2010 às 14:37 | Permalink | Responder

                Daí a importância de uma ação conjunta de todas as prefeituras da região para evitar que o problema das barracas seja apenas exportado para a praia seguinte no outro município. E é preciso, sempre, reforçar a fiscalização para coibir os ambulantes na faixa de areia. Afinal, dependendo do número eles podem incomodar – e muito – e emporcalhar a faixa de areia como as barracas faziam.

                Um colega meu estava contando sobre uma nova ação do MPF, dessa vez em Pernambuco. Não posso entrar em muitos detalhes, mas basicamente o Ministério Público está organizando um mutirão para analisar, estudar e eventualmente propor ações/TACs contra/para hoteis e condomínios que se apossam de faixas de areia como se praias particulares fossem. A lei brasileira nunca permitiu a ideia ou conceito de praia particular, exceto as de propriedade das Forças Armadas, mas muitos hoteis e condomínios usam-nas como tal e, em certos casos, seguranças não são amistosos com quem chega andando ou de barco.

                A ideia é assinar TACs em que algumas contruções irregulares (próximas demais da areia, violando área de propriedade da Uniao) seriam regularizadas em contrapartida a mecanismos de acesso público à praia. No caso de condomínios que fecharam antigas estradas de acesso a praias, a ideia é permitir o controle de acesso e regularizar construções irregulares, desde que seja garantido o acesso de não condôminos à faixa de areia, por dentro ou por fora do condomínio.

                A conferir os desdobramentos… E espero que essa medida chegue à Costa Verde, onde certos condomínios e resorts se apossaram de pequenas praias e seguranças, armados, afastam “intrusos” de forma nada amistosa.
    Murilo   
    22 de dezembro de 2010 às 11:13 | Permalink | Responder

    Olá Ricardo! Me dê uma dica:
    Eu vou passar pela Costa do Dendê, descendo de carro, com a esposa e um filho de 4 anos, e somente 2 dias para ficar nesse trecho. Entre me hospedar em Boca da Barra (dando uma esticada em Moreré) e me hospedar em Barra Grande (dando uma esticada em Taipu de Fora) qual você me sugeriria? Eu sei que são muitas variáveis, mas o que te vem à cabeça de bate pronto?
        Ricardo Santos    
        22 de dezembro de 2010 às 15:34 | Permalink | Responder

        Se você não tem tempo, escolha uma das duas, Murilo. Os trajetos comem muito tempo, não passe suas férias em trânsito.
    Murilo   
    22 de dezembro de 2010 às 17:32 | Permalink | Responder

    Sim Ricardo, a idéia é essa. Mas qual das 2 você recomenda?
        Ricardo Santos    
        22 de dezembro de 2010 às 17:40 | Permalink | Responder

        As duas são complicadas pra ir com criança de 4 anos. Barra Grande é um pouco mais simples, com ida a Taipus na maré baixa. Verifique a maré.
            Victor-pr   
            22 de dezembro de 2010 às 19:20 | Permalink | Responder

            Eu fui para Boipeba com criança de 2 anos e não é fácil mesmo. Tem que andar bons trechos a pé ( por ex, da boca da barra até a vila). De qualquer forma meu filho adorou ilha , mas tive que carregá-lo no colo por longo tempo.
    Luciano   
    22 de dezembro de 2010 às 17:56 | Permalink | Responder

    Ricardo, eu e minha mulher vamos passar 4 semanas de férias na Costa do Dendê. O desembarque será em Ilhéus no dia 29 de janeiro e a volta está marcada para 27 de fevereiro em Salvador. A idéia é aproveitar as praias mais calmas e fugir da agitação. Pensei em dividir o período com hospedagem em 3 ou 4 locais diferentes. Seria possível enviar uma sugestão de roteiro? Obrigado!
        Victor   
        22 de dezembro de 2010 às 19:44 | Permalink | Responder

        A pergunta foi pro Ricardo, mas vou dar uns palpites. Para lugares calmos:
        -Em Morro : ficaria uns 5 dias no Patachocas ( no meio da quarta praia, mar quentinho, piscina e estrutura excelentes, totalmente isolado da Vila)e uns 5 dias na esquina da Terceira com a Quarta Praia, ou no Villa dos Corais ( excelente estrutura, bem decorado, diárias mais caras) ou na Pousada Caeiras (rústica, comfortável, custo benefício interessante).
        - Em Boipeba ficaria uns 5-7 dias na Pousada Mangabeiras ( melhor hospedagem da ilha, na trilha para as praias mais bonitas, acesso mais difícil, isolada em um morro, a 10-15 min de Velha Boipeba) ou na Santa Clara ( na Boca da Barra) . Outro lugar interessante em Boipeba é ficar em Morere ( totalmente isolado) .
        Ricardo Santos    
        22 de dezembro de 2010 às 20:25 | Permalink | Responder

        Com um mês inteiro num período que já não é mais altíssima temporada você pode ir decidindo pelo caminho.

Categorias: Arraial d'Ajuda, Bahia, Barra Grande & Maraú, Boipeba, Caraíva, Costa do Sauípe, Imbassaí, Itacaré, Morro de São Paulo, Praia do Espelho, Praia do Forte, Salvador, Trancoso, Una
Tags:
5 comentários para “Arquivo Zip.net: dezembro 2005 (II)”

    Carine   
    21 de julho de 2010 às 19:28 | Permalink | Responder

    Boa noite.
    Vocês poderiam me dar dicas sobre uma viagem à Bahia?
    Gostaria de visitar prais como Itacaré, Pen.Maraú, Morro de São Paulo, Abrolhos, Cabo de Santo Agostinho, etc, enfim.
    Eu estou um pouco perdida. Onde posso conseguir dicas de como e por onde iniciar esse roteiro que pretendo fazer.
    Primeiro quero estabelecer o roteiro e depois escolherei as pousadas.
    Obrigada
    Carine
        Ricardo Santos    
        21 de julho de 2010 às 19:49 | Permalink | Responder

        Aos poucos eu vou postar aqui todo o meu arquivo sobre o litoral brasileiro, que é extenso.

        No momento não posso fazer um post elaborado só para você.

        Nesta página você encontra muitas respostas:
        http://www.viajenaviagem.com/category/bahia/

        Se tiver muita pressa, recomendo o meu livro 100 praias que valem a viagem, que você encontra na barra direita desta página.
    Carine   
    21 de julho de 2010 às 19:57 | Permalink | Responder

    Na verdade quero ir no fim do ano, mas vou pegar o livro e qualquer dúvida eu te pergunto, ok?
    Obrigada
    Elke   
    2 de dezembro de 2010 às 12:34 | Permalink | Responder

    Vou passar 48 horas em salvador com 3 adolescentes e gostaria de fazer passeios mesclando belas paisagens e cultura, com direito a museus e igrejas também. Farei os pontos principais como Farol, Igreja São Francisco,Pelourinho, mercado modelo, elevador Lacerda, mas me falaram de um Museu das Jóias, alguém já foi ou ouviu falar? Não encontrei nada na net…aceito sugestões de passeios menos tradicionais e também de vans ou táxis, de preferência conhecidos (de certa confiança), que possam nos acompanhar nos passeios, ouvimos muito sobre assaltos e fiquei com certo receio.
    Abraços
    Valdirene Albuquerque   
    26 de dezembro de 2010 às 12:34 | Permalink | Responder

    Passei meu Natal no Grand Palladium e realmente foi uma experiência incrível.Fuí em compahia das minhas netas Caterine e Valentina.Parabenizo toda a gerência de Lazer do hotel, onde ofereceu a todos nós um musical maravilhoso de NATAL.Nunca tinha visto isto em outros hotéis.O espetáculos era digno de um grande teatro.A ceia foi maravilhosa !!! Recomedo a todos que tem crianças a passar um momento por lá.São muito atenciosos com nossas crianças,as atividades são bem elaboradas.Com certeza voltarei.

    BRASIL
    AMÉRICAS
    EUROPA
    E +
    SEU ESTILO
    HOTÉIS
    BLOG
    NEVE 2014

Viaje: Home / Bahia, Boipeba, Morro de São Paulo, Salvador / De Salvador a Boipeba pra Emília
De Salvador a Boipeba pra Emília

Ricardo Santos  • 1 maio, 2007

tassimirim450.jpg

Em linha reta, a ilha de Boipeba não deve estar a mais do que 100 km de Salvador. Mas não existe jeito simples de chegar. Vamos torcer para que continue assim. A dificuldade de acesso sempre é o melhor seguro contra a degradação de um lugar de praia.

Como eu te falei, Emília, julho não é a melhor época, mas também não é a pior. Os meses mais chuvosos em Salvador, no Recôncavo e arredores são abril e maio. Em junho a precipitação já diminui, e continua diminuindo em julho. Os meses mais secos (mas nunca secos-secos-secos à la Ceará) vão de setembro a fevereiro.

Direto

Eu disse que não existia jeito simples de chegar à Boipeba? Bom… na verdade, existe. Querendo, dá para fretar um teco-teco com a Aerostar, e em meia hora você está lá. Não conheço quem tenha ido desse jeito, mas, se você estiver curiosa, aqui vai o formulário de orçamento de charter da Aerostar…

Via Morro de São Paulo

riodoinferno450.jpg

Boipeba é separada da ilha de Tinharé, onde está Morro de São Paulo, pelo rio do Inferno (foto acima). Para voar até Morro de São Paulo, porém, não é preciso fazer fretamento, não. Tanto a Aerostar quanto a Addey mantêm vôos regulares o ano inteiro (e uma verdadeira ponte-aérea na temporada). A viagem dura pouco mais de 20 minutos e custa R$ 170 por trecho. A Addey pousa na 3a. Praia;,e a Aerostar, mais longe, na 4a. Praia, atrás do resortinho Patachocas, que é do mesmo grupo.

Morro também é bem servido por catamarãs e lanchas (segundo a Flavia Penido, lancha enjoa menos que catamarã) que saem do cais atrás do Mercado Modelo em Salvador e fazem a viagem em duas horas. Para horários e telefones, consulte esta página aqui. (Mas vou avisando que é frustrante tentar comprar por telefone; manja o esquema fazer-depósito-bancário-e-mandar-fax-com-o-recibo? Eles ainda estão nessa época. É melhor passar direto no Mercado Modelo para comprar a passagem.)

Não existe uma “linha” de transporte regular entre as duas ilhas, mas praticamente todos os dias saem passeios de Morro para Boipeba, tanto de barco (indo por dentro, pelo braço de mar que passa por Cairu e dá no rio do Inferno), como  de jardineira movida a trator (pela praia até o Pontal, atravessando o rio do Inferno de barquinho). O maior operador dos passeios de trator-jardineira é o Expresso Madalena (75/3652-1317). Os grupos costumam sair às 9h30 e chegam a Boipeba às 12h30 (com paradas em praias desertas do caminho). Quem está em Morro e quer esticar alguns dias em Boipeba normalmente pega um passeio desses e combina a volta para alguns dias mais tarde.

Tudo isso para dizer que… indo de lancha ou catamarã, não tem jeito, você vai precisar dormir um dia em Morro. (Minha indicação: a Villa dos Corais.) A-go-ra: se você se abalar até o aeroporto de Salvador e pegar o vôo das 8h da Aerostar — que, se os orixás quiserem, chega às 8h25 na Quarta Praia — você pode tranqüilamente pegar o passeio-trânsfer das 9h30 e chegar em Boipeba na hora do almoço.

(Não que eu sinceramente ache que você ou alguém vá fazer isso, mas eu precisava dizer que essa possibilidade existe.)

De carro

Não vale a pena alugar carro para ir a Boipeba (nem a Morro de São Paulo ou Barra Grande/Maraú), já que durante toda a sua estada na ilha o possante permanecerá paradinho num estacionamento no continente. Mas se você estiver pela região com seu próprio carro, chegar a Boipeba fica meio que praticamente quase fácil. Saia de Salvador pelo ferry de Itaparica (consulte os horários, para não ficar mofando na fila: 71/3319-2890; a travessia dura uma hora), cruze a ilha, atravesse a ponte que liga ao continente, continue pela BA 001, tenha cuidado em Nazaré para não ir parar por engano na BR 101 (quando chegar à cidadezinha, confirme se você está na direção de Valença), cruze Valença, passe por Taperoá, e tão logo você passe por Nilo Peçanha, preste atenção à saída, à esquerda, para Cairu (existe um totem de concreto anunciando a estrada). Pegue a estradinha de asfalto, e 13 km depois vai aparecer a saída para Torrinha.

lanchatorrinha120.jpgDaí são 7 km de terra (total da viagem: 155 km desde o ferry-boat). Deixe o carro num estacionamento (deve ser uns R$ 10 por dia) e trate uma lanchinha (deve estar uns R$ 60 ou R$ 70 cada perna).  Leve bagagem impermeável e uma capa; se chover, serão 25 minutos debaixo d’água até a Boca da Barra, em Boipeba.

Tempo de viagem (a partir do momento em que você entra com o carro no ferry): 4 horas.

Para ir de carro sem precisar alugar um, você pode combinar com sua pousada um trânsfer desde Bom Despacho (o lugar onde o ferry chega em Itaparica) ou, para não ficar tão caro, de Valença (a 50 km de Torrinha; vá de ônibus até lá).

De transporte regular

ferry450.jpg

Pegue o mesmo ferry-boat de Itaparica (foto acima), só que na condição de passageiro. Em Bom Despacho há um terminal rodoviário de onde saem ônibus de hora em hora (em alguns horários, a cada 30 minutos) para Valença, operados pelas companhias Camurujipe (75/3641-4037), Águia Branca (0800-725-1211) e Cidade do Sol (75/3641-3617). A viagem dura entre uma hora e meia e duas horas.

A partir de Valença há duas opções de transporte público, segundo o site Ilha Boipeba (não deixe de confirmar essas informações com a sua pousada antes de ir):

1) De segunda a sábado, um barco de linha sai às 12h30 do cais de Valença. A viagem até Boipeba leva quatro horas e vale por um passeio (lentíssimo, mas, enfim, um passeio) pelos belos manguezais desse braço de mar, passando ao largo da cidade histórica de Cairu (uma das mais antigas do Brasil).

2) Há também dois ônibus, às 11h e às 14h, que levam a Torrinha (50 km), com conexão com um barco de linha a Boipeba; somando busão e barco, dá duas horas e meia de viagem.

O melhor esquema com transporte regular, então, é sair cedinho de Salvador para conseguir estar em Bom Despacho até as 8h, de modo a chegar em Valença a tempo de pegar o bumba das 11h pra Torrinha, chegando em Boipeba às 13h30.

Em Boipeba

Vale a pena todo esse trampo para chegar?

Garanto que vale. De toda a costa brasileira, acho que Boipeba é o lugar que melhor combina belezas preservadas com cor local, algum charme importado e preços em conta. Existe um fluxo de visitantes de um dia só, vindos de Morro de São Paulo, mas eles ficam pouco tempo (do meio-dia às quatro) e não dão conta da ilha inteira; sempre há para onde escapar (e as manhãs são exclusivas de quem está hospedado por lá).

   staclara130.jpg  staclara131.jpg  santaclara132.jpg

A maioria das pousadas fica na Boca da Barra, na foz do rio que separa Boipeba de Morro. Todas são simples (esqueça camas box spring, ar condicionado e TV) mas quase todas têm algum charme. A mais fotogênica é a Vila Sereia; eu gosto muito também da Santa Clara (fotos acima), que tem um bom restaurante aberto o ano inteiro, e da Marina de Boipeba.

velhaboipeba450.jpg

Caminhando para a esquerda, em cinco minutos você chega a Velha Boipeba (foto acima), um vilarejo do século 17 que por enquanto escapou de ver suas mercearias transformadas em lojas de biquíni. Mas alguns moradores instalaram pousadas simplérrimas em suas casas — para alegria de mochileiros gringos e durangos em geral.

Caminhando para a direita, a Boca da Barra acaba num morro. Pegue a trilha, e em dez minutos você estará numa praia totalmente virgem, Tassimirim. (No meio do caminho você pode subir até a mais nova pousada da ilha, a Mangabeiras — a primeira de luxo, com colchões box spring e ar condicionado split –, de onde se tem uma bela vista para o Rio do Inferno.)

cueira450.jpg

Na continuação de Tassimirim está a praia da Cueira, também praticamente sem construções. À sombra das amendoeiras da Cueira você vai encontrar nativos (o pioneiro foi o Guido) que cozinham lagosta na água do mar por preços irrisórios (tipo: R$ 25 ou R$ 30 a porção para duas pessoas). Se você vier caminhando direto, uns 45 minutos depois de ter saído da Boca da Barra você chega ao riozinho que marca o final da Cueira. Na maré baixa dá para atravessar (mas é preciso estar calçado; há ostras na margem oposta que cortam o pé — eu já afoguei uma câmera nessa travessia). Chegou do outro lado? Bem-vindo a Moreré (foto abaixo).

morere450.jpg

Na maré baixa Moreré tem águas cristalinas. Preste atenção à sua direita — em algum momento, no meio das amendoeiras e coqueiros você vai ver a entrada para o Mar e Coco, o melhor restaurante da ilha, onde Jôsi (que esteve recentemente por uma semana em São Paulo cozinhando no Obá) prepara moquecas divinas acompanhadas por purê de banana-da-terra. Para alegria dos paulistas, as moquecas de Jôsi não levam coentro; a erva não é usada na culinária boipebana (boipebense? boipebeira? boipebaiana?).

    marecoco400.jpg

Continuando mais um pouco (sem paradas, no total a caminhada daria pouco mais de uma hora) você chega ao vilarejo de pescadores de Moreré, onde também há pousadas (os Chalés Colibri se espalham no alto de um morro e têm uma linda vista; a Pousada dos Ventos fica pé-na-areia no canto direito da vila).

Na maré alta (ou se você não quiser caminhar) dá para pegar o trator-jardineira que corta a ilha entre Velha Boipeba e Moreré (informe-se dos horários na pousada).

Moreré também é o nome das piscinas naturais em alto-mar que, como acontece com as piscinas naturais nordestinas, só aparecem na maré baixa. Dá para pegar um barco em Moreré ou ir de lancha rápida a partir da Boca da Barra. É bonito, mas, lá chegando, a magia rústico-alternativa de Boipeba se dissipa: você vai ver lanchões e grupos e bares flutuantes como em Maragogi (só que com bem menos gente).

pisciboipeba450.jpg

Enfim, Boipeba é para quem quer areias desertas, um pouquinho de conforto, algum charme, bons preços e nada a fazer a não ser caminhar por praias deslumbrantes. Me chama que eu vou…

:lol:

   


Categorias: Bahia, Boipeba, Morro de São Paulo, Salvador
Tags:
88 comentários para “De Salvador a Boipeba pra Emília”

    Evelyn   
    5 de outubro de 2010 às 22:53 | Permalink | Responder

    Olá, Riq e Trips!

    Pretendo passar 4 noites em Boipeba em novembro. Vou c/ meu namorado, e tou procurando uma pousada charmosa e pertinho do mar. Tou super na dúvida, pq pelo site de Boipeba tem um monte de pousadas q parecem ser bem bonitinhas! Bateu uma hiper indecisão!!! Levando em conta os quesitos charme/preço, fiz uma pré-seleção das seguintes: Santa Clara, Rhydayam, Dendê Loft e Casa de Irene. Já sei q a Santa Clara é mt bem recomendada aqui no VnV. Mas ainda assim seria muito útil p/ mim qualquer opinião sobre as outras três. Alguém tem alguma indicação da Casa de Irene, da Dendê Loft ou da Rhydayam? Gente, agradeço desde já pela ajuda!
    malupp   
    6 de outubro de 2010 às 17:44 | Permalink | Responder

    Evelyn ,indico a Pousada SANTA CLARA !! Acabei de voltar de la!Atendimento e comida maravilhosos, um charme , otimo preço,; so nao tem ar condicionado ; so ventilador, mas meu quarto era super ventilado.So prepare os ouvidos para sinfonia de passarinhos as 6 da manha!!Eles tem o melhor restaurante para jantar na ilha!!Os donos ,Charles e Mark irmaos e donos, dao toda dicas para aproveitar a ilha!!
    Evelyn   
    6 de outubro de 2010 às 22:06 | Permalink | Responder

    Valeu pela dica, Malupp!!! Obr!!!
        Ana Carolina   
        11 de outubro de 2010 às 12:19 | Permalink | Responder

        eu tb fiquei na Santa Clara em 2007 e foi ótimo. Super recomendo.
    Evelyn   
    11 de outubro de 2010 às 14:58 | Permalink | Responder

    obrigada pela sugestão, Ana Carolina!
    Victor-PR   
    4 de novembro de 2010 às 17:17 | Permalink | Responder

    Fui para Boipeba em outubro 2010 . Para evitar barcos, fui de avião pela ADDEY até morro ( 230 reais por trecho) e de morro até aqui vim de 4×4 ( o jipe é rápido e balança também, mas é uma boa opção pra evitar barco – custa 60 reais por pessoa). Boipeba proporciona algumas experiencias incríveis, e a melhor de todas é a caminhada a partir da trilha que sai da praia do OUTEIRO, em direção a Tassimirim, e principalmente chegando a CUEIRA… Lugar muito tranquilo, com o coqueiral ao fundo… Fiz um passeio até a praia de MORERE e comi uma moqueca de camarao inesquecível ( para 2 pessoas, saiu 50 reais com bebida). A ilha é muito bonita, e de Tassimirim para frente, tem natureza muito preservada. Acho que uma boa opção para quem quer aproveitar as praias mais selvagens com conforto é a Mangabeiras ( mas prepare-se para uma trilha de uns 10-15 minutos) . Fiquei na Pousada Anjali, que achei interessante, com boa relação custo-benfício, no meio de um terreno de 5 mil metros com muitas arvores. Mas é uma pousada simples, com certeza. De maneira geral , gostei muito de Boipeba e acho que é um lugar muito peculiar de nosso litoral!
    Victor-PR   
    4 de novembro de 2010 às 17:29 | Permalink | Responder

    Algumas considerações/informaçoes de Boipeba :
    - os moradores da ilha em geral são muito prestativos e honestos nos serviços que prestam .
    -o proprietário da Fazenda do Pontal está fazendo um resort na praia da Boca da Barra.
    - como o Ricardo já disse acima, o jeito mais fácil de chegar a Boipeba é pegar um avião até uma pista de pouso no sul da ilha de Tinharé e atravessar de Barco o Rio do Inferno.
    -prepare-se para andar bastante… crianças vão pedir colo hehehe
    - É interessante ver como o desenvolvimento que o turismo traz Boipeba reflete positivamente na vida dos moradores… Se tivesse um trabalho que conseguisse conciliar mais divulgação com preservação da ilha…
    - incomoda um pouco a falta de cuidado de alguns restaurantes na Boca da Barra com o esgoto que eles geram – acaba indo tudo pro Rio do Inferno.
    - a lagosta do Guido está a 45 reais…
    - cartões de crédito são pouco aceitos.
    Evelyn   
    4 de novembro de 2010 às 23:54 | Permalink | Responder

    Victor, obrigada pelo seu depoimento! Dicas anotadíssimas! (vou daqui a 15 dias!)
    Evelyn   
    1 de dezembro de 2010 às 21:06 | Permalink | Responder

    Olá a todos!!!!!!

    Acabo de voltar de Boipeba. Planejei a viagem com base nas dicas dadas aqui no VnV por Riq e pelos trips, e também seguindo o guia 100 Praias que valem a Viagem. Deixo aqui meu depoimento!

    Fomos eu e meu namorado e passamos 4 noites lá. Como moramos em Aracaju, fomos de carro até Valença. As estradas que pegamos foram a SE218, a BR101 e a BA542 – todas em perfeito estado de conservação.

    Depois de enfrentarmos toda a muvuca de Valença, deixamos o carro em um estacionamento bem próximo ao cais (Estacionamento do Luís, com banheiro limpo – $65 por 5 diárias depois de alguma pechincha). Não sei dizer se o preço que pagamos foi justo. E atenção: muito cuidado com homens de bicicleta que abordam os carros na entrada de Valença tentando levar você aos estacionamentos deles! Esses estabelecimentos às vezes ficam longe do cais!

    Compramos os bilhetes de lancha rápida no terminal do cais ($35,70 por pessoa). O barco lento custa $13,70, mas não vale à pena, pois leva 4 horas pra chegar. Agora em novembro tinha lancha fazendo o trajeto Valença/Boipeba de hora em hora. O pessoal de lá disse que na alta estação a freqüência de partidas é de meia em meia hora.

    O trajeto de lancha rápida dura em média 1 hora, e é bem panorâmico. De cara você já adquire uma noção da geografia do arquipélago, pois o barco passa por Cairu (a sede do Município), Canavieiras (onde estão os bares flutuantes especializados em ostras) e também dá pra ver um pedacinho da ilha de Tinharé, onde fica Morro de São Paulo. O desembarque é feito em um píer na Vila, já pertinho da Boca da Barra. Boca é a praia mais próxima à Vila, e é o ponto onde o rio do Inferno desemboca no mar. Então dá pra pegar praia tanto em um lado, no rio, como no outro, no mar.

    Nossa pousada, a Dendê Loft, fica no finalzinho da Boca da Barra, bem ao lado da trilha pra Tassimirim e Cueira. Escolhemos a Dendê Loft de forma totalmente aleatória. Simplesmente vimos as fotos no site e gostamos! Fizemos a reserva por e-mail, e ganhamos desconto para pagamento à vista. Ao desembarcarmos no píer, nos encaminhamos para o restaurante Coqueiros, na Boca da Barra, que pertence à mesma família que a Dendê Loft. Fomos extremamente bem recebidos. Lá aguardamos Carlinhos, o caseiro da pousada, que apareceu com um providencial carrinho de mão para levar nossa bagagem. Ao chegarmos à Dendê Loft, ficamos deslumbrados, porque o lugar é ainda mais bonito que nas fotos!!!! A pousada, na realidade, é constituída por apenas dois chalés à beira- mar, em uma parte um pouco elevada. Cada chalé é composto por um quarto enorme (a porta se abre para o mar!), um banheiro com ofurô (com vista para o mar!!!!), uma varanda (também com uma vista incrível para o mar, pufes, mesa, banquinhos e almofadas) e uma mini-cozinha ao ar livre (fogão de 2 bocas, pia, frigobar, sanduicheira, panelas, copos, taças, pratos e talheres). O café da manhã é simples, mas suficiente. Ele é deixado bem cedinho todas as manhãs em uma bandeja na varanda do chalé. O loft tem uma decoração charmosíssima em estilo rústico. A pousada também disponibiliza lanterna, repelente e caixinha de primeiros socorros. Ficamos apaixonados pelo “nosso” chalé. Mas como a pousada está praticamente dentro da mata, aparecem insetos. Se você é do tipo que entra em pânico por causa de gafanhotos e cigarras, não se hospede lá. Ou então, abstraia e aproveite! Um outro detalhe é que a pousada fica a uns 12 minutos de caminhada da Vila. Apesar da distância, não achamos que a localização atrapalhou de forma alguma.

    Devidamente instalados, nos dirigimos ao restaurante da pousada Tassimirim, que era o mais próximo ao nosso chalé. O visual desse restaurante é muito legal, especialmente no entardecer, porque ele tem mesinhas estrategicamente posicionadas ao ar livre, em meio a árvores com flores e de frente para o mar. Depois de comermos, aproveitamos um pouco a praia e de tardezinha fomos à Vila. Jantamos por lá e voltamos com ajuda de lanterna. Lá na Vila já acertamos o passeio de “volta à ilha” pro dia seguinte ($60 por pessoa). Foi tudo muito cômodo, porque o pessoal aceitou pegar a gente de lancha na frente da pousada. Então não tivemos que nos deslocar até a Vila de manhã cedo. E uma dica para quem vai na baixa estação: não adie muito os passeios, porque não é todo dia que eles conseguem completar os barcos, e as lanchas às vezes acabam não saindo por falta de lotação. Nesse caso, só dá pra fazer o passeio fretando a lancha inteira, e o preço fica mais salgadinho.

    No segundo dia, fizemos o passeio combinado. Adoramos!!! A lancha parou na frente da pousada, conforme previamente acertado. O trecho inicial é um pouco tumultuado, porque é em alto mar. Quem tem estômago fraco pode sofrer um pouco, mas essa parte passa logo. Dá pra encarar! A primeira parada é nas piscinas naturais de Moreré. De lá você avista a vilinha de Moreré. Depois fomos à Ponta dos Castelhanos. Achamos essa praia fantástica!!!!! Ela fica no encontro do rio Catu com o mar. É super calminha pra tomar banho e a água é transparente. Castelhanos é completamente desabitada. Um visual belíssimo! Depois do banho, todo mundo vai andando até o outro lado da praia, pra pegar novamente a lancha e ir direto às piscinas naturais de Castelhanos. Essas piscinas são deslumbrantes!!!!! Mas atenção: como ainda não há muito movimento turístico por lá (e que assim se mantenha esse lugar, Amém!), os peixinhos não estão acostumados com o movimento e não chegam até as pessoas. Então o snorkel é essencial para visualizá-los bem, pois eles se assustam com bastante facilidade!!! Pegadinha: se você não tiver snorkel próprio, alugue um ainda na ilha, porque no barco nem sempre o pessoal tem (preço médio: um snorkel sai por $15, dois saem por $10).

    Saindo das piscinas de Castelhanos, passamos pelo local onde naufragou um barco espanhol no séc. XIV (inclusive na ilha organizam mergulhos nesse ponto para aqueles mais experientes, o que definitivamente não é o nosso caso). Da lancha você percebe uma sombra escura na água, que na verdade é o navio lá embaixo. De acordo com o marinheiro (Cito), quando a maré seca está mais forte (lua cheia ou lua nova, conforme alertado por Riq aqui no VnV), dá até pra visualizar os mastros do navio naufragado. Infelizmente não tivemos essa sorte. Em compensação, exatamente nesse lugar vivenciamos um dos momentos mais mágicos do passeio: uma tartaruga marinha estava lá nadando “de boa”. Detalhe: Castelhanos é ponto de desova das tartarugas.

    A próxima parada foi na Coroa Grande, uma croa de areia já em água de rio. O banho também é bom. Em Coroa Grande tem uma palhocinha que vende drinks (média de $7 – experimente a caipirinha de cacau !!!!). De lá é possível avistar a praia de Pratigi. Da croa, fomos almoçar no povoado de São Sebatião, conhecido como Cova da Onça. E faço aqui uma ressalva: a lancha pára ainda na água, e todo mundo tem que andar um trechinho pelo rio até o restaurante. O problema é que a areia nessa parte é meio pegajosa, tipo laminha. Se você for uma pessoa super fresca, faça como eu: mentalize coisas boas, abstraia e seja feliz!!!! Asseguro que a lama não chega a estragar as unhas…

    A comida em Cova da Onça é muito, muito saborosa. Parece que a especialidade local é “badejo na chapa”. Foi o que pedimos!!!! Ele vem com frutas refogadas. Uma delíciaaaaa!!!! Apesar de termos adorado a comida, e sabermos das limitações do local, que é extremamente rústico e simples, ele ainda pode ser um pouquinho incrementado para receber melhor os visitantes (em nossa modestíssima opinião).

    Depois de nos empanturrarmos, continuamos navegando em torno da ilha, agora sempre em água de rio, e vimos diversos povoados. E aí aconteceu outro momento mágico do passeio: no entardecer, vários golfinhos podiam ser facilmente vistos nadando em grupo pelo rio!!!!!! Lindo!!!!

    Já no rio do Inferno, paramos em um bar flutuante para comer ostras. Esses bares ficam em Canavieiras e são muito interessantes, porque os viveiros de ostras ficam boiando ao lado do bar, e você come tudo fresquinho. Eles também criam peixes no rio, e é possível alimentá-los e até pescá-los para comer na hora. O visual é muito legal, especialmente com o pôr-do-sol se aproximando! Esse foi o ponto final do passeio, e dele retornamos à Boca da Barra. À noite preparamos um jantarzinho básico em nossa mini-cozinha na varanda (se quiser cozinhar pratos complexos, leve os ingredientes, pois o comércio em Boipeba é limitado).

    No dia seguinte, decidimos fazer a trilha que leva até Coeira, e depois seguir a pé até a praia de Moreré. Contornando toda a Boca da Barra, no cantinho da parte de mar, dá pra avistar uma escada morro acima (nossa pousada, como disse antes, fica exatamente ao lado dessa escada). Aí começa a trilha. A subida não é muito puxada e o caminho pelo morro é sinalizado. Logo, logo, se chega a Tassimirim, a primeira praia da trilha. Em alguns trechos de Tassimirim, onde não tem tanta pedra, o banho é muito bom, e com snorkel dá até pra visualizar corais (a água é mansinha e transparente). Continuando por Tassimirim, e contornando as pedras pela trilha (muito fácil de ser seguida), se chega a Coeira, que é uma praia com mais ondas e muito sargaço. Coeira é bem desabitada, com uns poucos barzinhos beeeem simples.
    Para se chegar até Moreré, existem três maneiras. Uma delas é pegar um trator/jardineira que sai da Vila de Boipeba ($5 por pessoa, com lotação mínima de 10 pessoas). A outra é ir caminhando por essa mesma trilha do trator (é bem longe, parece que o trajeto a pé dura cerca de uma hora). A outra, pela qual optamos, é andar por toda a praia de Coeira e depois atravessar um riozinho que separa Coeira de Moreré.

    Cruzar a praia de Coeira é a parte mais longa. Vá com as pernas descansadas, leve uma garrafinha de água e capriche no protetor solar! Aprecie a paisagem com calma, sem pressa, que você cansa menos! Para passar pelo rio, é preciso que a maré esteja quase seca. Mas não se preocupe, não é necessário que ela esteja compleeetamente seca. Atravessamos com a água batendo no quadril, levantando as bolsas e mochilas, e deu tudo certo! Dicas importantes: não caia na tentação de atravessar o rio pela parte mais estreita, porque ela é mais funda e cheia de pedras e ostras!!!! Cruze pelo local onde o rio desemboca no mar. Essa parte é mais larga, mas a correnteza é fraquinha, a água é transparente, e não tem pedra. Travessia tranqüilíssima! Com a maré totalmente seca, a água bate na canela. Passada essa etapa, é só seguir uma trilha curtinha por dentro de uma fazenda, e você estará em Moreré.

    Moreré é belíssima, e a cada trecho de pedras, a paisagem muda completamente. Achamos todos os trechos maravilhosos para o banho, e em vários pontos se formam verdadeiras piscinas naturais, estilo as que ficam em alto mar. Em uma parte de Moreré ficam vários restaurantes rústicos super charmosos. Eles disponibilizam redes à beira-mar, e você simplesmente fica lá achando que essa deve ser a vida que todo mundo pede a Deus. Almoçamos no recomendadíssimo Mar e Coco e adoraaamos a comida (ensopado de polvo com banana – sabor indescritível)!!! Depois, quando retornamos, nem conseguimos jantar, de tanto que comemos!!!
    O último trecho de Moreré é o da vilinha de pescadores. Lá tem uns barzinhos mais simples, e é a parte mais movimentada da praia. De lá, cruzando um manguezal, se chega à isoladíssima praia de Bainema. Não continuamos até Bainema, pois achamos que a volta seria extenuante. Então retornamos pelo mesmo caminho e chegamos à pousada já de tardezinha. Saliento: essa caminhada é bastante cansativa, mas é um passeio belíssimo, que não pode deixar de ser feito em hipótese alguma!

    No quarto dia, ficamos na Boca da Barra. Almoçamos na Vila e à tarde resolvemos curtir a praia na frente do nosso chalé (a pousada disponibiliza cadeiras de praia). Jantamos novamente no restaurante da pousada Tassimirim.

    No último dia, pegamos uma lancha cedinho até Valença, pois ainda tínhamos um longo caminho de volta a Aracaju. E a dica derradeira: compre seus bilhetes de volta com antecedência, pois a freqüência de barcos no sentido Boipeba/Valença não é tão grande como no sentido Valença/Boipeba. A empresa com mais opções de horários é a Garça Branca, que tem duas lojinhas, uma pertinho do píer, e outra próxima ao campinho de futebol da Vila.
    Em suma, Boipeba é um lugar para relaxar e apreciar a natureza. É simples, rústica, mas belíssima! Aliás, parte da beleza dela está exatamente nesse lado selvagem, ainda não invadido por hordas de turistas nem maculado por obras de grande porte. A maioria das construções na beira da praia é camuflada por plantas, e as praias parecem ainda mais desabitadas do que já são.

    As pessoas de Boipeba se sentem felizes por viverem lá (vários nativos foram extremamente enfáticos ao afirmarem que jamais morariam em outro lugar!) e gostam de conversar com os visitantes simplesmente pelo prazer de conversar, sem tentar vender nada, nem empurrar serviços e produtos. Em Boipeba, o turista não se sente explorado ou enganado.

    Se comparada à vizinha Morro de São Paulo, Boipeba é o extremo oposto. Enquanto Morro é super badalada e cheia de turistas, Boipeba é a tradução da tranqüilidade. Em Morro, as coisas são bem mais caras, e muitas vezes não se recebe aquilo pelo que se paga, pois a exploração do turismo é bem maior. Em compensação, Boipeba não tem a mesma infra-estrutura que Morro. Minha sugestão: estique a viagem e conheça as duas! Não passe apenas o dia em Boipeba em passeios a partir de Morro; pernoite lá!

    E termina aqui o meu relato, que já está bastante extenso! Agradeço a Riq e a todos pelas dicas!
        Ana Carolina   
        1 de dezembro de 2010 às 21:31 | Permalink | Responder

        adorei o relato, me deu saudades de Boipeba
            Evelyn   
            1 de dezembro de 2010 às 22:28 | Permalink | Responder

            obrigada, ana carolina!
            nem me fale em saudades, quero voltar logo pra lá!!!
            abç
    Beta   
    7 de abril de 2011 às 2:07 | Permalink | Responder

    Surtei com esse post!!!
    Marcia   
    25 de julho de 2011 às 21:14 | Permalink | Responder

    Olá a todos, acabei de passar 8 dias lá e já estou com saudades…. bem como a Evelyn comentou… passeio imperdível. Fiquei na pousada Nascente do Sol, bem simples mas de frente para o mar, próximo da vila.
    Noemi Fontana   
    1 de setembro de 2011 às 16:54 | Permalink | Responder

    Olá Ricardo tudo bem?

    Estou indo para Boipeba semana que vem. Com marido e filha de 5 anos, e ficaremos na Pousada Fasani na Praia da Cueira. Gostaria que me recomendasse restaurantes e barracas de praia se possível! Também, não sei exatamente o valor que deve-se levar por pessoa, para o traslado Ferry-Bom Despacho-Valença-Boipeba, e para gastar com lazer ao chegar. Pode me ajudar?
      
        1 de setembro de 2011 às 17:24 | Permalink | Responder

        Olá, Noemi! Aqui quem responde é a OnLine. Não existem pousadas na praia da Cueira. Pelo site da ilha de Boipeba, esta pousada não fica na praia de Cueira, e sim nos fundos da vila de Velha Boipeba. Conte entre quinze a vinte minutos de caminhada.

        http://www.ilhaboipeba.org.br/fasani.html

        Você encontrará barracas de praia em Cueira e também na Boca da Barra. Não dá para prever gastos de alimentação, cada pessoa/família tem seus hábitos.

        Leia:
        http://www.OnLineviagem.com/2011/03/quanto-vou-gastar-em-alimentacao/

        O relato mais recente do Ricardo Santos sobre o trajeto Salvador-Bom Despacho-Valença-Boipeba é este aqui:
        http://www.OnLineviagem.com/2010/01/de-salvador-a-boipeba-por-ferry-boat-onibus-e-lancha/

        Tenha em mente que ir com uma criança de 5 anos a Boipeba requer um pouco de espírito de aventura.
    Rafael   
    22 de agosto de 2012 às 18:22 | Permalink | Responder

    Oi,pretendo ir para morro de sp em fevereiro/2013 e queria fazer o passeio que vai para boipeba. Alguém conhece um passeio que é chamado e vip ou plus…que leva a praia de moreré.Será que vale a pena pagar mais um pouco e fazer este passeio ao invés do tradicional?
  
        22 de agosto de 2012 às 19:11 | Permalink | Responder

        Olá, Rafael! Não reconendamos bate-voltas a Boipeba. Vá e passe una ou duas noites, aí sim vale a pena!
    Flora   
    27 de agosto de 2012 às 16:51 | Permalink | Responder

    Olá, tudo bem? Estou planejando minha viagem a Boipeba e Morro de São Paulo e estou na dúvida por onde começar. Vou primeiro para Boipeba ou pra Morro? Quantos dias reservo para cada lugar? Poderia me ajudar? Obrigada!
    ps. Sairei de Belo Horizonte para Salvador.
      OnLine
        28 de agosto de 2012 às 7:25 | Permalink | Responder

        Olá, Flora! São duas ilhas com climas opostos, são raros os que gostam das duas com a mesma intensidade (se você adorar uma, talvez não goste da outra). Chegue por Morro, fique dois dias, então vá a Boipeba, fique mais dois dias. Passe o resto da sua temporada na ilha de que tiver gostado mais.

        Só não dá pra fazer isso no Réveillon ou no Carnaval, mas em outras épocas, se você não fizer questão de alguma pousada específica, sempre vai encontrar vaga.
            Flora   
            28 de agosto de 2012 às 10:22 | Permalink | Responder

            Irei em outubro e acredito que será fácil encontrar vaga em pousadas. Valeu, obrigada!
    Luis Rogério   
    8 de setembro de 2012 às 17:02 | Permalink | Responder

    Olá, estou indo com minha esposa para Boipeba em 21/09, vamos nos hospedar na pousada Fasani, gostaríamos de saber qual o caminho a pecorrer do local de desembarque até a pousada?
           
        8 de setembro de 2012 às 18:29 | Permalink | Responder

        Olá, Luis Rogério! Ainda não visitamos esta pousada. Segundo o site, fica na vila de Velha Boipeba, a 10 minutos do píer.

        Dica: sempre é melhor (mais prático, mais rápido, mais garantido) consultar diretamente a pousada para saber dos detalhes de chegada.
    Luis Rogério   
    12 de setembro de 2012 às 14:09 | Permalink | Responder

    Olá, observando o mapa de Tinharé, me parece que as praias de Boipeba entre si são bem mais distantes que as de Morro de São Paulo. To certo?
    Agradeço pelas informações.
    Estou ansioso para conhecer, esta bela ilha apreciada por muitos.
        OnLine   
        13 de setembro de 2012 às 7:01 | Permalink | Responder

        Olá, Luis Rogerio! São ilhas diferentes, é natural que seja assim.
    Lucia   
    18 de setembro de 2012 às 16:35 | Permalink | Responder

    Olá,
    Alguma dica sobre as pousadas em Moreré??
    Estou entre a Pousada Colibri, a Mangueira e a dos Ventos, mas não achei dicas ou impressões sobre nenhuma delas…
       
        19 de setembro de 2012 às 10:34 | Permalink | Responder

        Olá, Lucia! A sua pergunta vai para o Perguntódromo. Aguarde pitacos dos leitores!
            Ninho Moraes   
            1 de novembro de 2012 às 11:20 | Permalink | Responder

            Oi Lucia, já fiquei na Pousada Colibri e adorei. O dono é um suiço muito divertido que casou com uma bahiana. É (ou era há dois anos) super dedicado e os chalés dele são bem legais. A melhor sem dúvida…
    Érica Matos   
    29 de janeiro de 2013 às 7:09 | Permalink | Responder

    Como as informações do blog e dos comentários me ajudaram muito em minha recente ida a Boipeba (fui há duas semanas), vim aqui passar algumas atualizações.

    Fiquei hospedada na Casa de Irene. Lá é espetacular! A diária custa o preço médio de outros lugares da ilha (quando fui, o quarto pra 2 pessoas custou R$170, pessoa extra custava R$30; mas parece que varia de acordo com a época do ano). O café da manhã é um dos melhores que já vi, o fato de ter apenas 3 quartos deixa o atendimentos mais pessoal e personalizado e Irene é uma figura divertidíssima, pra bater papo por horas. Num final de tarde, assista o pôr-do-sol no deck que tem no teto da pousada. Ah, sim os passarinhos são pontualíssimos: às 4h30 da manhã, eles cantam frenéticos em sua janela, mas é apenas por alguns minutos. Não tem TV (vc não vai sentir falta) e nem ar condicionado (mas os ventiladores super deram conta).

    Muita gente (na internet e amigos meus) tinha relatado de como era bom e barato comer em Boipeba. Creio que isso seja informação antiga, pois achei os preços bem parecidos com os praticados em Salvador. As moquecas custam sempre a partir de R$40 (R$65 no caso de lagosta) e os camarões são sempre minúsculos. A dúzia de lambreta custa R$8 na maioria dos lugares.

    A grande decepção da viagem foi as piscinas de Moreré. Apesar de aqui ter um aviso de como lá acaba a rusticidade da ilha, ainda assim estava esperando mais. Sim, a água é azulzinha, o banho é uma delícia. Mas a muvuca é tamanha que os peixinhos todos fogem. Tente chegar cedo no embarque e vá na primeira lancha que tiver saindo. Depois disso, chegam várias lanchas, algumas com som alto ligado, e vc vai se chatear bastante vendo muita gente desrespeitando o meio ambiente, pisando nos corais, dando comida aos peixes. As pessoas precisam ser orientadas por lá, senão aquilo não dura muito tempo.

    Se você for para a praia mesmo de Moreré, evite ir no horário do pico de maré baixa. A praia fica bastante seca.

    Se você quiser se misturar com a turistada e com os nativos, dê uma voltinha na praça de Velha Boipeba a noite. As tapiocas por lá são baratas e deliciosas.

    Meu melhor jantar foi no novíssimo Namoa, uma creperia numa rua mais por trás da vila. Os crepes são ótimos e imensos, servindo até mesmo para 2 pessoas se a fome não for das grandes. Os preços giravam em torno de R$18 e R$25. O suco também estava muito bom.

    Também belisquei no restaurante italiano da pousada Marina de Boipeba. Fiquei só nas bruschettas e nos drinks e já valeu muito a pena. Estava sem fome então fiquei só imaginando o quão ótimas estavam as massas que passavam fumegando por mim (apesar deles dizerem que o prato é individual, achei muito bem servida, ótimo para 2 pessoas).

    Se você não estiver hospedado numa pousada da vila, leve uma lanterna. As pessoas circulam pelas trilhas a noite e não são em todos os trechos que há iluminação por postes. Pode parecer meio assustador num primeiro momento andar no mato no escuro (pra mim foi, urbana que sou), mas vá tranquilamente. Parece que essas coisas de violência e assaltos ainda não chegaram por lá (e que fique assim por bastante tempo).

    Cuidado em Valença! A todo momento você vai ser cercada por pessoas que querem tirar alguma vantagem sobre o turista. O estacionamento está o olho da cara, a maioria dos lugares cobra R$25 a diária. Pelos relatos que ouvi lá em Boipeba, está mais barato e seguro ir para Torrinhas: lá você entra estacionamentos por R$10 ou até menos e a travessia também é mais em conta. A desvantagem é a falta de regularidade e a quantidade menor de lanchas. Se você for por lá, evite os domingos.

    Ainda são poucos os lugares na ilha que aceitam cartão. Vá com uma quantidade boa de dinheiro. Se bater um tiquinho de medo, existe a opção de pagar o valor integral da pousada por transferência bancária e dá pra achar alguns restaurante que aceitem cartão (mas atente que alguns aceitam só para débito e não crédito).

« Anterior 1 2   
ATENÇÃO:
Antes de perguntar, veja se a dúvida já não está respondida no texto. Perguntas redundantes e comentários em maiúsculas serão apagados. Obrigado!

Nome *

Email *

Website

« De Ilhéus a Boipeba pra Sylvia Enquete da semana: gafes inesquecíveis »




    Comentódromo
    Arquivo
    Tags
    +Recentes

    Sandra Mara Cunha Pickersgill em 30 dias em Portugal, II: Douro, Minho e Serra do Gerês (por Silvio)
    Bruna em Primeira viagem: roteiro dia a dia em Montevidéu
    Bruna em Primeira viagem: roteiro dia a dia em Montevidéu
    Gilberto em Paris: chegando por Charles de Gaulle, Orly, Beauvais e Vatry
    Lu em St.-Barth para duros: a Elisa foi e comprovou :-)
    Denilo Mello em Recife
    Fernanda Viana em Vai por mim: San Francisco a Los Angeles de carro
    Felipe em Onde ficar em Nova York: hotéis nas melhores regiões
    Ilidia em Como viajar sozinho, mas acompanhado
    Helena em Vai por mim: trem na Europa


OnLine viagem viajefera


Palácio de Blenheim em Cotswold (Catálogo de Viagens)

Nosso Roteiro em Abu Dhabi (Alquimia do Viajante)

Nova York ainda mais doce (Abrindo o Bico)

Filipinas - quando ir, como chegar, onde ficar, o que fazer e muito mais (A vida é uma viagem)

Ronda, muito mais que um abismo (A Fragata Surprise)

La Paz , Bolívia, cordilheira dos andes saturada de paisagens grandiosas (100 Dimensões)

Pequim, uma nova janela para o mundo (Viajar pelo Mundo)

Dicas em Roma: Ostia Antica - para caçadores de arqueologia romana (Viagem na Itália)

Descobrindo a Península de Maraú (Pri Pelo Mundo)

Bruges - cenário de tranquilidade (Passageiros a Bordo)

E MAIS: 320 blogs pra você viajar

OnLine Viagem     Brasil de A-Z     Europa de A-Z           Hotéis - Brasil     Hotéis - Caribe
Anuncie     Guia de Aracaju     Guia de Amsterdã     Pousadas em Fernando de Noronha     Hotéis em Aruba
Dicionário da OnLine     Guia de Belo Horizonte     Guia de Barcelona     Hotéis em Gramado       Hotéis em Cancún
#Viajosfera     Guia de Curitiba     Guia de Berlim     Hotéis no Rio de Janeiro     Hotéis em Los Roques
Assine o site (RSS)     Guia de Fernando de Noronha     Guia de Lisboa     Hotéis em São Paulo       Hotéis de Punta Cana
Assine o comentódromo (RSS)     Guia de Florianópolis     Guia de Londres        
Registre-se no OnLine Viagem     Guia de Fortaleza     Guia de Madri     Hotéis - América do Norte     Hotéis - Europa
    Guia de Foz do Iguaçu     Guia de Paris     Hotéis em Miami     Hotéis em Amsterdã
Guias de Resorts do Brasil     Guia de João Pessoa     Guia de Roma     Hotéis em Nova York     Hotéis em Barcelona
Albergues & Hostels     Guia de Maceió         Hotéis em Orlando     Hotéis em Berlim
Apartamentos de temporada     Guia de Manaus     Caribe de A-Z         Hotéis em Florença
    Guia do Recife     Guia de Aruba     Hotéis - América do Sul     Hotéis em Lisboa
Shows & Atrações     Guia de Natal     Guia de Barbados     Hotéis em Bariloche     Hotéis em Londres
Tango em Buenos Aires     Guia de Porto Alegre     Guia de Cancún & Riviera Maia     Hotéis em Buenos Aires     Hotéis em Madri
    Guia do Rio de Janeiro     Guia de Curaçao     Hotéis em Mendoza     Hotéis em Munique
    Guia de Salvador     Guia de Los Roques     Hotéis em Montevidéu     Hotéis em Paris
    Guia de São Luis     Guia de Punta Cana     Hotéis na Patagônia e Lagos Andinos     Hotéis no Porto
    Guia de São Paulo     Guia de St. Maarten/St. Martin     Hotéis em Santiago     Hotéis em Praga
    Guia de Vitória             Hotéis em Roma
                Hotéis em Sevilha
    Américas de A-Z            
    Guia de Buenos Aires            
    Guia de Montevidéu            
    Guia de Nova York            
    Guia de Santiago            
               

__facebook.com/viajenaviagem__


Aluguel de carro

Termos de uso do site
Conteúdo protegido por direitos autorais.
Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização expressa dos autores.
© 2011 Organizações da OnLine Conteúdo Digital Ltda

Options Theme

Imprimir | Enviar por email
new balance heren hogan schoenen nike air huarache nike roshe run nike sb adidas yeezy kopen mont blanc pen nike corte valentino schoenen hollister sale oakley zonnebril louis vuitton tas nike air force nike free rn nike schoenen fila sneakers nike air max 95 new balance dames ray ban zonnebril michael kors tas adidas superstar sale Timberland Schoenen puma sneakers nike huarache balenciaga sneakers polo shirt Adidas Schoenen nike outlet new era pet Ralph Lauren Schoenen puma schoenen nike flynit ray ban brillen asics sneakers adidas superstar dames polo ralph lauren sale converse sale louis vuitton riem adidas voetbalschoenen

© morrodesaopauloonline.com.br - 2017 - Todos os direitos reservados

 

Both the Rolex Datejust II and Rolex Day-Date II replica watches have famously legible and attractive dials. The Rolex Datejust II has baton or Arabic hour numerals while the Day-Day II has baton or Roman numeral hour markers. Aside from style differences it should be noted that the sportier Rolex Datejust II has lume on its dial while the Rolex Day-Date II replica watches dials do not have applied luminant on them (for viewing the dial in the dark). Aside from the Submariner, the Rolex Datejust replica watches uk is probably the second most popular Rolex timepiece, and among the brand's higher-end models, the Rolex Day-Date II replica watches is among the top choices next to fancier versions of the Daytona. Depending on your budget there are lots of versions, and these are great watches to own being classics in their own right and extremely good keepers of value. Complaints? Really not many. Rolex replica watches sale has so many types of watches that there is something for everyone.